GUIA TÁTICO LA LIGA 2015/16

Na próxima sexta-feira, dia 21 de agosto, a temporada 2015/2016 de La Liga tem início. O campeonato ainda é domínio de Real Madrid e Barcelona, mas as duas potências já são seguidas bem de perto por Atlético, Sevilla e Valência, times espanhóis que também estão na Champions League. Nesta temporada, a competição deve ser parelha.

BARCELONA

LUIS ENRIQUE BARÇA

Campeão de tudo que disputou na temporada 2014/15, o Barça de Luis Enrique tem um difícil desafio na jornada que se inicia: repetir o êxito. Mesmo com o potencial do trio MSN, o time da Catalunha tem problemas. Seus defeitos ficaram evidentes nas disputas da Supercopa Europeia e da Espanha, uma conquistada e a outra perdida (com direito a um acachapante 4×0 em Bilbao contra o Athletic).

Leia mais: Bilbao x Barcelona, velho encontro

Com €51 milhões, o Barça comprou Arda Turan e Aleix Vidal, jogadores que só vão poder atuar em janeiro de 2016. Outro que “reforça” a equipe é Song, que volta de empréstimo, mas não sabe se permanece. Na porta de saída, Montoya foi emprestado a Internazionale, Xavi foi para o Qatar após o fim de seu contrato e Adama Traoré, jovem promessa da base, custou €10 milhões ao futebol inglês. Pedro foi o último a deixar o Barça, rumando ao Chelsea por €30 milhões.

O 4-3-3 de Luis Enrique em duas variações!

O 4-3-3 de Luis Enrique em duas variações!

Luis Enrique deverá manter a base do 4-3-3, ao menos até janeiro, quando ingressam Arda e Vidal. Sem poder de reforço até lá, pode sofrer com o elenco reduzido, principalmente na defesa, onde não existem substitutos à altura de Piqué e Mascherano – o espanhol, suspenso, ficará fora das quatro primeiras rodadas da Liga.

Com muito talento, mas sem peças de reposição, o início da temporada do Barça é uma incógnita. Sem Piqué e Neymar a princípio, o time pode sofrer com um duro início, quando vai a San Mamés, ao Calderón, e recebe o Málaga, time que o derrotou na última temporada.

REAL MADRID

BENÍTEZ REAL

Após uma temporada “em branco”, Florentino trocou Ancelotti por Benítez e “desceu um lugar na prateleira” ao trocar um dos melhores técnicos do mundo por um treinador que tem obtido poucos êxitos nos últimos anos. No mercado, o clube gastou €79,5 milhões em seis reforços: Kiko Casilla, Danilo, Casemiro, Asensio, Vazquez e Kovacic.

CAPA OLHO NELE - KOVACIC

Clique e saiba mais sobre o jovem promissor

De saída: Chicharito, que voltou ao United, Iker, que foi para o Porto, Pacheco, para o Aláves, e Khedira, que agora defende a Juventus. Todos eles sem deixar nada nos cofres madridistas. A manutenção do elenco, agregando bons reservas, é um ponto positivo, mas a pré-temporada não empolgou. Poucos gols deram o tom, em contraste com a defesa sólida.

O 4-2-3-1 de Benítez e uma possível variação para o 4-3-3.

O 4-2-3-1 de Benítez e uma possível variação para o 4-3-3.

O grande reforço da temporada é o retorno de Modric, ausência muito sentida na jornada que se passou.

Leia mais: Luka Modric, a peça-chave do Real Madrid

Porém o 4-2-3-1 de Benítez tem problemas, pois a execução traz Cristiano Ronaldo aberto à esquerda, mas sem serviços defensivos, deixando o time desequilibrado. Bale centralizado é outra incógnita, pois na pré-temporada não rendeu por ali.

Um início “tranquilo” contrasta com a tabela mais difícil de Barça e Atleti. O Real tem a chance de largar bem e, quem sabe, abrir pontos. Contudo, o trabalho terá de ser bem analisado e precisará de ajustes, tendo base no que foi apresentado na pré-temporada.

ATLÉTICO DE MADRID

CHOLO ATLETI

“Mais leve”: esta é a expressão que pode definir o Atlético de Madrid da temporada 2015/16. Ao que tudo indica, o time terá mais possibilidades de sair do “simeonebol”, jogo mais carrancudo e baseado na bola alta. Não que tais características devam sumir, mas as contratações de Jackson Martínez e Vietto, que devem vir para jogar, pressupõem um jogo mais rápido na transição ofensiva.

vietto

Clique e saiba mais sobre o jovem, e promissor, atacante argentino

Além deles, Filipe Luis, Savic e Carrasco “tiraram” €116 milhões dos cofres colchoneros, que tiveram as saídas de Miranda, Mandzukic, Arda Turan e Jimenez rendendo €61 milhões. Koke e Griezmann terão mais uma temporada para desfilar seu talento ao lado de bons laterais que chegam, mas fazem uma defesa sólida com Gimenez e Godín.

O 4-4-2 de Atlético de Madrid

O 4-4-2 de Atlético de Madrid

Oliver Torres é outro que chegou na hora certa, tanto para substituir Arda quanto para manter a ideia de um time mais leve. Além deles, bons reservas como Moyá, Saúl, o sempre efetivo Raúl García e Fernando Torres.

Sevilla e Barcelona estão na rota do Atlético logo no início do campeonato, trazendo oportunidades precoces para o novo time e mostrar a que veio em 2015/2016.

SEVILLA

EMERY SEVILLA

Fora do “eixo”, o Sevilla tem o elenco mais forte da Liga. O assediado Unai Emery ficou e, com €19,5 milhões, trouxe jogadores pontuais para um bom time, bicampeão da Europa League.

Leia mais: Na fantástica temporada do Sevilla, o céu é o limite

O Sevilla fez bons negócios também na hora de vender, com €57 milhões por Bacca, Fazio, Vidal e MBia. Chegaram o zagueiro Rami, os laterais Escudero e Mariano, os meias N’Zonzi e Krohn-Dehli, além dos atacantes Immobile e Konoplyanka.

https://www.youtube.com/watch?v=ULvoXPmBCeQ

Na Supercopa da UEFA, frente ao Barça, o time da Andaluzia mostrou força para reagir e explorar os erros dos catalães. Brava derrota em um jogaço de bola, com destaque para Banega, Vitolo e Gameiro, remanescentes da última temporada. Além de Konoplyanka e Immobile, que chegaram mostrando serviço.

O 4-2-3-1 de Emery, com uma variação 4-4-2;

O 4-2-3-1 de Emery, com uma variação 4-4-2;

Em seu 4-2-3-1, Emery tem várias oportunidades de rotacionar sem perder a qualidade, e em ano de Champions isto é fundamental. O técnico conta com dois bons jogadores para cada setor do campo, como Coke-Mariano para a lateral, Krohn-Dehli e Krychowiak para o meio, Banega-Iborra e ainda Gameiro-Immobile para o ataque, etc.

Nas duas primeiras rodadas, o time enfrenta Málaga e Atlético, prova de fogo para um elenco forte e bem reforçado.

VALÊNCIA

NUNO VALENCIA

Com investidores injetando dinheiro no clube, o Valência sonha alto na temporada 2015/16. O time já começou a disputar uma vaga na próxima Champions, no playoff contra o Mônaco, e quer voltar a conquistar o campeonato espanhol sob a batuta do ótimo Nuno Espírito Santo.

https://www.youtube.com/watch?v=n3P2qnoHQwQ

O Valencia gastou €77 milhões na permanência de jogadores que deverão ser titulares, como Cancelo, André Gomes e Rodrigo, além do goleiro Ryan, enquanto Diego Alves está machucado. Entre os que se vão, destaque para Otamendi, que fechou com o Manchester City.

O 4-3-3 de Nuno Espirito Santos

O 4-3-3 de Nuno Espirito Santos

No 4-1-4-1 que Nuno gosta de usar, Feghouli, André Gomes, Parejo e Alcácer são os grandes destaques.

Leia mais: Parejo, o toque de classe do Valência

O time é muito compacto e rápido. Sua precisão arrancou quatro pontos do Real Madrid e rendeu uma performance melhor que a do Barcelona em pleno Camp Nou. O playoff da Champions pode fazer o time se desfocar da Liga e largar mal, porém é inegável que o Valência é um dos grandes times do futebol espanhol na temporada 2015/16.

São estes os cinco favoritos, mas não se pode esquecer do forte Athletic em San Mamés, do Villarreal, que repatriou Soldado, de Málaga e Sociedad, que são fortes em casa, e do tradicional Bétis, que trouxe Van der Vaart de volta a Espanha.

Um grande campeonato vem por aí!

Comentários

Estudante de jornalismo. Redator e editor no Taticamente Falando. Colunista no Doentes por Futebol. Contato: [email protected]