Otávio, o volante moderno do Furacão

  • por Doentes por Futebol
  • 4 Anos atrás

Por Gabriel Belo

OLHO NELE - OTÁVIO ATLÉTICO-PR

Talento para atacar e defender, numa posição-chave no futebol de alto nível: essas palavras podem definir o volante Otávio, de 21 anos, que atua pelo Atlético Paranaense.

Leia mais: Já temos Willian e Oscar, falta o Fàbregas

Destacado por seus desarmes limpos, boa ocupação de espaços, contribuição tática e saída de jogo qualificada, o jovem conseguiu, em apenas 16 jogos neste Campeonato Brasileiro, garantir a titularidade absoluta do Furacão, além de atrair os holofotes para si.

Foto: http://www.atleticoparanaense.com/site/clube/jogador/119/otavio

Foto: http://www.atleticoparanaense.com/site/clube/jogador/119/otavio

O jovem fez as suas primeiras aparições como profissional em 2014. Foi titular da equipe alternativa que disputou o Campeonato Paranaense, e desde já despontou como destaque. Jogando como segundo volante, se notabilizou por sua contribuição ofensiva, com infiltrações e lançamentos precisos. Ainda nesse ano, o jovem ganhou de Claudinei Oliveira uma chance para atuar no Campeonato Brasileiro, com o grupo “principal”. O treinador o deu oportunidades logo como titular, aproveitando que uma das vagas para a posição de volante estava em aberto. Em seus primeiros passos, Otávio demonstrou a sua corriqueira boa saída de jogo, mas defensivamente deixava muitos espaços. Seu desarme era falho e não demorou para que o jogador fosse alvo de críticas da exigente torcida rubro-negra. Dito isso, fica claro que o volante não terminou o ano como titular. 2015 apareceu como um ano de total instabilidade para o Atlético-PR, que teve quase um treinador por mês no começo da temporada.

E foi com Milton Mendes, cujo trabalho já foi destacado aqui no Doentes por Futebol, que o cenário começou a mudar para Otávio. Sua primeira oportunidade como titular veio no duelo contra o Atlético-MG, terceiro jogo sob o comando de Milton. Jadson havia sido expulso no jogo anterior, e Deivid, outro titular, estava machucado. Uma grande chance não só para Otávio, mas também para Hernani, outro jovem que entrou bem no time. Os dois tiveram uma atuação segura no complicado jogo contra o Galo, em que o Furacão foi bastante pressionado, mas conseguiu a vitória.

Clique e veja matéria do Globo Esporte falando sobre o sucesso da dupla Otávio e Hernani.

Clique e veja matéria do Globo Esporte falando sobre o sucesso da dupla Otávio e Hernani.

O jogo seguinte, contra o Joinville, fora de casa, foi o divisor de águas para a dupla. Hernani foi efetivo no apoio, e também conseguiu fechar bem espaços. No entanto, acabou sendo coadjuvante perto de seu parceiro de posição. Otávio conseguiu oito roubadas de bola, demonstrando que evoluiu muito defensivamente em relação ao ano anterior. Além disso, sua presença dentro de campo, em todos os setores para dar suporte na saída de jogo, foi o que mais se destacou. A partir daquela partida, Otávio manteve esse estilo de jogo, com muita presença, e vem evoluindo tecnicamente ao longo do tempo.

MAPA DE CALOR ACUMULADO EM 16 PARTIDAS

Seu mapa de calor acusa contribuição efetiva por quase todo o campo, fazendo com que a bola rode pelos setores até que chegue o momento certo para a conclusão. Hernani, seu companheiro de posição, é questionável tecnicamente, mas ajuda com bom posicionamento, permitindo que Otávio apareça em quase todos os espaços. Se taticamente esse é o seu valor, tecnicamente, especialmente na parte defensiva, Otávio vem se apresentando como um talento raro.

Fonte de dados: http://footstats.net/campeonatos/brasileiro-serie-a-2015/estatisticas/ (em 12/08/2015)

Fonte de dados: http://footstats.net/campeonatos/brasileiro-serie-a-2015/estatisticas/ (em 12/08/2015)

É o líder do Brasileirão em roubadas de bola, e com o diferencial de cometer pouquíssimas faltas (18 faltas e 02 cartões amarelos em 16 partidas até o momento). E esse é um ponto importante nas características do volante: sua recuperação de posse costuma ser limpa, sem falta e com a cabeça levantada, já visando uma oportunidade lançamento ou saída rápida de contra-ataque, uma das marcas do time de Milton Mendes.

O futebol brasileiro costuma produzir diversos ladrões de bolas, e não é difícil “pescar” alguns exemplos recentes. Entretanto, esses jogadores não costumam ser efetivos na criação da equipe, além cometer faltas em demasia. São apenas dezesseis jogos, e uma instabilidade no jogo de Otávio pode, sem nenhuma dúvida, ocorrer durante o Brasileirão. A análise e os elogios são precoces, mas podem aparecer como uma boa introdução para a carreira do jogador, que saiu da base, enfrentou algumas dificuldades, mas já se firmou como titular. Sobre o estilo de seu talentoso meia, Milton Mendes resume como ele se encaixa na proposta de jogo de sua equipe e rasga elogios a seu jogador:

“Todos os nossos jogadores têm que atacar e defender. Não podemos ter um jogador que só defende, aqueles conhecidos “caça-craques” antigos. Hoje, nossos volantes, obrigatoriamente, têm que jogar porque é ele o coração do time. Eles têm que aparecer mais na frente, têm que jogar alimentando os meias, cobrindo os laterais e cobrindo os meias. São protagonistas da equipe. O Otávio tem trabalhado muito bem. Além de ser um excelente profissional, é um homem extraordinário. Juntamente com os outro jogadores do meio-campo, eles têm procurado dar o máximo em prol da equipe. Logicamente que todos procuram dar o seu melhor, aproveitando o cavalo branco. Ele está aproveitando. Eu costumo dizer e vou repetir: coletivamente realça o individual; o individual não realça o coletivo. Ele (Otávio) está jogando pelo coletivo e está realçando o seu individual. Não só ele, como os outros todos” – comentou o treinador.

É uma prova de os clubes devem ter paciência com os seus jovens, especialmente quando o seu talento é aparente. Se bem moldado, ele pode ser importante em um futuro recente. E Otávio é um exemplo forte disso. Olho Nele!

Comentários