DPF recomenda: Paixão – Uma Viagem pelo Futebol Inglês

Por mais controverso que possa ser o fato de o futebol ter sido inventado na Inglaterra, sempre o aceitamos de forma natural. Assim, qual o melhor lugar para investigar as raízes da paixão que move o esporte do que aquele em que se deu sua gênese?

DESTACADA PAIXÃO

“Paixão” é um livro com histórias curtas e vivazes, que transportam o leitor à realidade britânica. O jornalista Plácido Berci, formado na PUC-Campinas e coordenador do projeto “quatro4dois”, conta um pouquinho do que ronda o futebol na Inglaterra e a relação do povo com a modalidade.

Com um tom intimista, que revela a pessoalidade das experiências retratadas, o autor aborda uma série de temas que abarcam toda uma gama de distintas realidades do futebol inglês, trazendo até mesmo uma relação com o Brasil.

Histórias como a do “time mais antigo do mundo”, a do clássico entre Everton e Liverpool e a da relação entre o Corinthian-Casuals e o Sport Club Corinthians Paulista dão a tônica de um livro interessante e envolvente. Além disso, são retratadas impressões pessoais do autor, que teve a oportunidade de presenciar, in loco, toda a atmosfera do futebol inglês. Seja ela visitando clubes amadores, em conversas com torcedores locais, acompanhando as partidas nos famosos Pubs ingleses ou ainda nos grandes templos do futebol.

Além disso, a obra é recheada de fotografias extremamente interessantes que ilustram com precisão a experiência vivida pelo autor. Isso aumenta, ainda mais, a sensação de vivência que o livro, durante toda a narrativa, proporciona ao leitor. “Paixão – Uma Viagem pelo Futebol Inglês” é um convite ao entretenimento e a uma viagem pelo futebol inglês e tudo o que ele representa – suas raízes, seus costumes, suas relações e, por fim, seu “verdadeiro eu”. Interessante, a obra, que conta com prefácio de Gustavo Hofman, é fácil de ler e tem o poder que apenas os bons livros têm: o de prender a atenção do leitor.

O DPF recomenda!

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.