Red Devils gastam muito, mas falta critério

Foto: ManUtd.com I van Gaal tem gastado muito e visto poucos resultados

Foto: ManUtd.com I van Gaal tem gastado muito e visto poucos resultados

Em 2012-2013, após quase 30 anos no comando dos Red Devils, Sir Alex Ferguson deixou a cidade de Manchester, que ficou tomada pela comoção com sua despedida. Apesar disso, mais do que a saudade de seu treinador, os torcedores vêm sentindo a falta do bom futebol e dos resultados de outros tempos. David Moyes fracassou e Louis van Gaal, apesar de ter melhorado um pouco o desempenho da equipe, também não tem conseguido levar o time aos sucessos esperados. A despeito disso, o dinheiro vem sendo gasto (e como!), mas a falta de critério nas contratações está impedindo o clube de retornar ao patamar dos tempos do antigo e eterno comandante.

Onde está o tão necessário zagueiro?

Foto: ManUtd.com I Blind tem atuado na zaga, mas não tão bem

Foto: ManUtd.com I Blind tem atuado na zaga, mas não tão bem

Qual é a grande crítica que todo amante do futebol faz ao analisar as alternativas do elenco do Manchester United? A falta de bons zagueiros. A resposta, inequivocamente, é essa. Para uma equipe que contou no passado recente com uma brilhante dupla, formada por Nemanja Vidic e Rio Ferdinand – foi considerada, por muitos, a melhor zaga do mundo durante um período razoável –, o rendimento de Chris Smalling, Phil Jones e Marcos Rojo, além do polivalente Daley Blind, que tem atuado pelo setor, e do garoto Patrick McNair é insatisfatório.

Foto: MCFC.co.uk I Pretendido pelo United, Otamendi foi para o rival

Foto: MCFC.co.uk I Pretendido pelo United, Otamendi foi para o rival

Durante a janela de transferências recém-finda, especulou-se alguns nomes interessantes para a defesa, como Nicolás Otamendi, Mats Hummels, John Stones e Sergio Ramos. No entanto, nenhum deles chegou a estar realmente próximo de uma transferência. Além disso, ainda que fraco e contestável, Jonny Evans deixou o clube e partiu para o West Bromwich Albion. Diminuiu-se, portanto, o número de opções para a retaguarda dos Red Devils.

O que justifica essa estranha falta de contratações? Escassez de dinheiro? Certamente não, uma vez que o clube dispendeu quase £100 milhões em contratações para o meio-campo, o ataque e até mesmo para a lateral direita. Mas ninguém para a defesa central.

Foto: RealMadrid.com I Desejado pelo United, Sergio Ramos renovou com o Real

Foto: Instagram/SergioRamos I Desejado pelo United, Sergio Ramos renovou com o Real

Já na última temporada, quando o clube contratou Rojo e gastou quase £150 milhões, o questionamento quanto à falta de contratações qualificadas para a zaga tem estado evidente.

Confira: John Stones, a pedra angular da defesa

Com o fim da janela de verão europeu da temporada 2015-2016, parece que, de fato, um zagueiro de grande classe não faz parte dos planos da equipe inglesa. Impossível compreender o porquê dessa escolha. Se comparado aos seus principais adversários na temporada 2014-2015 – Chelsea, Manchester City e Arsenal -, o clube só não sofreu mais gols do que o rival da mesma cidade. Mesmo assim, o City marcou 19 tentos a mais e ficou com um saldo melhor. Até mesmo o Southampton teve desempenho defensivo superior ao do United.

Foto: BVB.de I Hummels foi outro nome especulado que permaneceu em seu clube

Foto: BVB.de I Hummels foi outro nome especulado que permaneceu em seu clube

Até o momento, na Premier League, os Red Devils sofreram apenas dois gols e têm a segunda melhor defesa da competição. Por outro lado, marcaram apenas três e são donos do segundo pior ataque. Não há fartura de gols, e o que acontecerá quando os zagueiros não estiverem em um bom dia?

A fortuna por Martial

Foto: ManUtd.com I Martial custou caro e terá que se provar

Foto: ManUtd.com I Martial custou caro e terá que se provar

Na temporada passada, ainda que não vivesse grande fase, o Manchester United tinha Falcao García e Robin van Persie para o ofício de goleador da equipe. Todavia, a temporada de 2015-2016 começou sem nenhuma dessas figuras. O colombiano viu seu malfadado empréstimo expirar; o holandês foi negociado com o Fenerbahçe. Com contratações para o meio-campo, parecia certo que Wayne Rooney seria reafixado no centro do ataque, o que de fato vem acontecendo.

No entanto, o que aconteceria em caso de lesão do craque e capitão inglês? O clube lançaria o garoto James Wilson no time titular, improvisaria Memphis Depay ou daria nova chance a Chicharito Hernández? A resposta estava na ponta da língua do torcedor e não incluía nenhuma das situações supramencionadas. Estava clara a necessidade de uma contratação para o setor, ainda que não fosse necessário trazer um jogador de grande categoria, que chegasse para ser titular.

Foto: ManUtd.com I Van Persie partiu para o Fenerbahçe

Foto: ManUtd.com I Van Persie partiu para o Fenerbahçe

Dessa forma, o United trouxe o francês Anthony Martial, de 19 anos, cria do Lyon e revelado para o mundo no Monaco, clube que revelou Thierry Henry e David Trezeguet na década de 90. A compra do jogador foi uma boa contratação, uma vez que ele tem mostrado bom futebol. No entanto, os alegados €49 milhões (que podem subir para €80 milhões), dispendidos na contratação, são proibitivos e obscenos.

Leia também: Quem é Martial, o francês mais caro que Zidane

Foto: ManUtd.com I Com mais cancha que Martial, Depay custou consideravelmente menos

Foto: ManUtd.com I Com mais cancha que Martial, Depay custou consideravelmente menos

Com 70 partidas disputadas pelos monegascos – apenas sete durante os 90 minutos –, o atleta marcou apenas 15 gols. Como é possível que um clube gaste essa fortuna por uma aposta que não marcou sequer 20 tentos na carreira? O valor pesa e a camisa 9 do United, também. O jogador tem qualidades, sim. Mas não vale €49 milhões. Qual o critério utilizado para contratar Martial por esses valores?

Não sei se valho 80 milhões de euros. Aceitei o desafio pelo lado desportivo. É uma loucura para um jovem da minha idade, mas é o mercado. Esse montante foi negociado entre os dois clubes, não fui tido nem achado em nada. A mim cabe-me mostrar o que sei fazer. Não sinto qualquer pressão particular”, revelou o francês.

A paciência com Di María durou muito pouco

Foto: PSG.fr I O PSG viu no desvalorizado Di María uma boa oportunidade de negócio

Foto: PSG.fr I O PSG viu no desvalorizado Di María uma boa oportunidade de negócio

Outro negócio estranho feito pelo Manchester United na temporada foi a venda de Ángel Di María, com a perda de quase £10 milhões. Tudo bem que o argentino fez uma primeira temporada muito fraca, considerando o brilhantismo de seu último ano no Real Madrid. Entretanto, soava muito estranha a contratação de um jogador dessa estirpe, pelo preço que custou e para não se ter paciência por resultados.

No fim das contas, talvez o clube tenha apostado em uma venda nesse momento por temer uma maior depreciação do valor de seu atleta. O fato é que as expectativas quanto ao futebol do argentino eram muito grandes, e a decepção foi ainda maior. Como o jogador oscilou muito em sua passagem pelo Real Madrid – nunca foi unanimidade -, era possível esperar que o atleta não conseguisse um bom desempenho em Manchester no início.

A paciência com Di María durou muito pouco e, em certa medida, isso demonstrou falta de planejamento e critério por parte do clube. Não se previu a possibilidade de insucesso do argentino (ou dificuldade na adaptação ao futebol inglês). Contratado com status de craque que levaria o clube a outro patamar, o jogador saiu pela porta dos fundos e trouxe prejuízo financeiro.

Foto: ManUtd.com I O argentino em um de seus poucos bons momentos em Manchester

Foto: ManUtd.com I O argentino em um de seus poucos bons momentos em Manchester

Grandes jogadores, ao nível de (George) Best, (Paul) Scholes, (Ryan) Giggs, (Roy) Keane, (Ruud) van Nistelrooy – onde é que estão? Onde é que estão as estrelas do Manchester United? (A política) Foi sempre em torno de criar jogadores e não o contrário. Vi (Ángel) Di Maria e ele parecia que nunca tinha jogado futebol na vida (…) Há contratações precipitadas. (…) Podíamos sempre (Sir Alex Ferguson e Carlos Queiroz) tomar decisões erradas, mas nunca entramos em pânico e fizemos compras precipitadas“, revelou Carlos Queiroz, antigo auxiliar técnico de Ferguson no United.

Desde a saída de Sir Alex Ferguson, o Manchester United vem tendo enormes dificuldades para se reestruturar. Apesar disso, os meios para a melhora, basicamente o dinheiro, estão ao alcance das mãos dos comandantes. Estes falharam miseravelmente nas janelas de transferências, embora tenham feito bons negócios neste ano (Bastian Schweinsteiger, Morgan Schneiderlin e Depay são provas).

O United é o clube que mais arrecada com patrocínio e material esportivo no mundo, mas vem gastando mal. Contempla setores que já dispõem de bons recursos e limita os investimentos em outros necessários. Falta critério nas negociações e o resultado vem sendo percebido dentro das quatro linhas.

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.