O que o Liverpool pode esperar de Klopp

  • por Lucas Sousa
  • 4 Anos atrás

Os rumores se confirmaram: depois de demitir Brendan Rodgers, o Liverpool agiu rápido e acertou com Jürgen Klopp. O alemão já era cotado para assumir o time ao final da temporada passada, mas a diretoria dos Reds decidiu dar nova chance ao então comandante. Entretanto, o início de Premier League não indicou que 2015/16 seria diferente. No último período sob comando de Rodgers, o Liverpool não venceu clássicos, tropeçou em equipes menores e somou apenas 12 pontos em 8 rodadas.

Leia mais: Os anos de Rodgers no Liverpool

Se o clube não fechou com Klopp antes da temporada começar, ao menos esperou uma data FIFA para o início de um novo trabalho. Embora a maioria de seus jogadores não esteja à disposição, esta pausa de nove dias servirá para o começo de uma ambientação.

A troca de técnicos carrega a expectativa por mudanças. Durante a passagem de Rodgers, alguns pontos importantes foram esquecidos ou simplesmente se tornaram distantes da realidade do time. Com o novo treinador, chegam novas ideias e formas de trabalho.

Mas o que o Liverpool pode esperar de Klopp?

;

Recolocar o Liverpool entre os gigantes da Europa

Foto: Liverpool FC - Gerrard e Rafa Benítez no "Milagre de Istambul", em 2005

Foto: Liverpool FC – Gerrard e Rafa Benítez no “Milagre de Istambul”, em 2005

Se perguntarmos aos torcedores do Liverpool o que eles querem de Jürgen Klopp, a maioria esmagadora deve dizer: que ele resgate o clube como resgatou o Borussia Dortmund. Com certeza, essa era a intenção de Tom Werner, presidente da entidade, ao contratar o alemão.

Depois de bater na trave na temporada 2013/14 (quando perderam o título por apenas dois pontos), os Reds pareciam ter encontrado o homem certo para recolocá-los no caminho das glórias. Os anos seguintes mostraram, entretanto, que o vice-campeonato foi um acidente, e que Brendan não era o nome ideal para o momento.

O Liverpool não pode esperar, precisa de títulos. É surreal imaginar que o segundo maior campeão do país nunca conquistou uma Premier League, iniciada em 1994/95. Essa é a grande missão de Jürgen , que aceitou o desafio de colocar um novo item na sala de troféus de Anfield (sem novidades desde 2012).

Vencer clássicos e jogos importantes

Foto: Liverpool FC - O jogo que traçou o caminho do vice em 2014

Foto: Liverpool FC – O jogo que traçou o caminho do vice em 2014

Certamente, o dia 27 de abril de 2014 ainda dói no coração da torcida. O Liverpool recebia o Chelsea pela 36ª rodada da Premier League. Àquela altura, os Reds lideravam com 80 pontos, enquanto os Blues e o Manchester City vinham logo atrás, com 75 e 74, respectivamente. Uma vitória deixaria o time muito próximo do inédito título da Premier League. Os comandados de Rodgers tiveram 73% de posse e finalizaram 26 vezes, mas perderam por 2×0.

https://www.youtube.com/watch?v=sBuOEI2Kk5o

Na hora H, a equipe escorregou – tal qual Gerrard no lance acima – e viu o título escorrer por entre os dedos.

O histórico do antigo treinador quando enfrentou seus maiores rivais fora de casa (Arsenal, Chelsea, Everton e a dupla de Manchester) é assustador: 17 jogos, 1 vitória, 8 empates e 8 derrotas. Na Premier League, os confrontos diretos são determinantes na briga pelas primeiras posições e diversas vezes Brendan Rodgers caiu neles.

Enquanto esteve em Dortmund, Klopp mostrou que gosta dos grandes jogos. Seu histórico nas 23 partidas que fez contra o Bayern de Munique é equilibradíssimo: 9 vitórias, 4 empates e 10 derrotas, sendo que um empate levou a partida para os pênaltis e teve vitória aurinegra. Além disso, o Borussia chegou a emplacar 5 vitórias consecutivas sobre os bávaros.

Dar uma cara ao time

Foto: Liverpool FC - Em sua primeira coletiva, Klopp falou que seu time tem que jogar com intensidade máxima cada partida

Foto: Liverpool FC – Em sua primeira coletiva, Klopp falou que seu time tem que jogar com intensidade máxima cada partida

Nas sete temporadas em que esteve à frente do Borussia Dortmund, Jürgen Klopp quase sempre utilizou o 4-2-3-1. Quando negociava um jogador, buscava outro com características semelhantes para encaixá-lo no perfil da equipe. O estilo de jogo aurinegro mudou pouco durante a passagem do alemão e isso se tornou até uma crítica ao seu trabalho, já que a falta de variação poderia deixar o time previsível.

Em Liverpool aconteceu o contrário. Brendan Rodgers mudou radicalmente seu jogo várias vezes, atuando no 3-4-3, 4-2-3-1, 4-3-3 e 4-4-2 ao longo da última temporada. Essa variação nas formações não é, necessariamente, algo ruim. O problema é que em diversos momentos o norte-irlandês parecia perdido entre as diferentes plataformas. Com Klopp, os Reds devem ter uma equipe mais definida, sem tantas modificações. Devem ter uma cara, o que faltou no último ano do antigo técnico.

Contratações melhores

Foto: Liverpool FC - Balotelli foi um fracasso de 19 milhões de euros

Foto: Liverpool FC – Balotelli foi um fracasso de 19 milhões de euros com a camisa vermelha

É inegável o talento de Jürgen Klopp nas negociações. O alemão enxerga algumas temporadas à frente e sabe o que determinado jogador pode oferecer. Jogadores importantes da história recente do Dortmund chegaram ao clube pelas suas mãos. Neven Subotic, Lukasz Piszczek, Sokratis Papastathopoulos, Ilkay Gundogan, Shinji Kagawa, Marco Reus, Robert Lewandowski e Pierre-Emerick Aubameyang são alguns exemplos de ótimas contratações feitas por Klopp.

A precisão nas reposições também impressiona. Lucas Barrios foi substituído por Lewandowski. Destaque do primeiro título, Nuri Sahin foi vendido ao Real Madrid e Gundogan chegou para seu lugar. Depois foi a vez de Kagawa deixar o clube rumo ao Manchester United e a aposta foi no jovem Mario Götze. Na mesma janela, Ivan Perisic rumou para o Wolfsburg e Reus chegou do Monchengladbach como reposição.

Na Inglaterra, o Liverpool apostou em Mario Balotelli e Rickie Lambert para substituir Luis Suárez e fez de Roberto Firmino a segunda contratação mais cara de sua história (29 milhões de libras). A expectativa é que ocorra uma mudança também no mercado, com negócios mais certeiros e sem gastar tanto.

Desenvolvimento dos jovens

Foto: Liverpool FC - Jordan Ibe é uma das promessas que devem ter oportunidades com Klopp

Foto: Liverpool FC – Jordon Ibe é uma das promessas que devem ter oportunidades com Klopp

Outra virtude do novo técnico dos Reds é seu trabalho com os jogadores jovens. Estrelas como Götze, Lewandowski e Reus foram lançadas no Borussia por Jürgen .

Seu novo elenco está recheado de atletas em desenvolvimento. Joe Gomez (18 anos), Jordon Ibe (19) e Jordan Rossiter (18) chamaram a atenção de Brendan e receberam oportunidades mesmo com a pouca idade. Divock Origi (20), Emre Can (21), Jon Flanagan (22) e Danny Ings (23) foram nomes constantes nas partidas da equipe, mas ainda não engrenaram. Com experiência em lapidar jogadores, Klopp pode ajudar esses garotos a se firmarem de vez como profissionais.

Identificação com a torcida

Foto: Borussia Dortmund - Despedida de Jurgen Klopp no Signal Iduna Park

Foto: Borussia Dortmund – Despedida de Jürgen Klopp no Signal Iduna Park

A imagem de Brendan Rodgers no Liverpool estava de mal a pior. Fracassos dentro do campo e decisões duvidosas fora dele foram minando a confiança dos torcedores em seu comandante. Já não havia muito clima para o sério norte-irlandês.

Seu substituto, além de ter o aval das arquibancadas, é bastante carismático. Autêntico, excêntrico e intenso, Klopp é do tipo de pessoa que conquista a admiração tanto de sua torcida quanto de adversários.

Sua despedida da Alemanha diz muito sobre isso: quantas vezes você já viu um treinador ser homenageado por seus torcedores com um mosaico?

Injeção de ânimo:

liverpool_normal_one

O jeito franco e expansivo de Klopp casa muito bem com a cultura do Liverpool. A Kloppmania se instalou no ambiente do Anfield e pode ser vir como trampolim para alavancar o moral do clube.

Depois de depositar as fichas em Brendan Rodgers para resgatar a grandeza dos Reds trazendo a tão sonhada taça da Premier League, e ver o norte-irlandês falhar temporada após temporada, a contratação de um técnico de ponta especializado em brigar de igual para igual com gigantes muito mais fortes economicamente, com certeza é um grande alento para os torcedores do Liverpool. Porém, o próprio alemão sabe do tamanho de seu desafio e pede tempo para que seus esforços deem frutos no comando da equipe:

“Quando deixei Dortmund, tenho quase certeza que minha última frase foi: Não é tão importante o que as pessoas pensam quando você chega no clube, é muito mais importante o que elas pensam quando você sai. Por favor, nos deem tempo para trabalhar para que vocês pensem ainda mais positivamente a respeito da nossa chegada, no futuro”.

Se Klopp terá tempo para isto, e se ele conseguirá entregar o que promete, só o tempo dira. Resta saber se ele terá o tempo desejado para conseguir.

Comentários

Mineiro e estudante de jornalismo. Admira (quase) tudo que cerca o futebol inglês, não esconde seu apreço por times que jogam no contra-ataque (sim, sou fã do Mourinho) e acha que futebol se discute sim. Também considera que a melhor invenção do homem já ultrapassou os limites do esporte.