Com Jesus, o Sporting voltou para ficar

  • por Levy Guimarães
  • 5 Anos atrás

Imagem: Reprodução - Sporting vê em Jesus a grande chance para quebrar o jejum que já dura 13 anos

É definitivo: o Sporting é um sério candidato ao título português em 2015/2016. Depois de anos assistindo à dupla Benfica-Porto disputar a tapas o título nacional e se revezando no topo do futebol da terrinha, o Leão está disposto a voltar a reinar em seu país.

Apesar de alguns problemas extracampo, como o impasse sobre a renovação do peruano Carrillo, alguns fatores indicam que esta temporada pode ser diferente para o time comandado por Jorge Jesus. Para começar, o Sporting não perdeu os pontos bobos que muitas vezes perdia contra times menores nas rodadas iniciais do Campeonato Português. Era comum ver, em anos passados, o time tropeçando na largada e, com poucas rodadas de competição, se encontrar já a 5, 7, às vezes 10 pontos dos rivais. Neste ano, até aqui, são 16 pontos conquistados em 18 contra equipes de menor escalão do futebol lusitano. E para quem disputa o título em Portugal, cada tropeço nesses jogos custa muito caro.

Mas a evidência determinante de que o Sporting vai brigar ponto a ponto pela taça veio no histórico 3×0 sobre o Benfica, em 25 de outubro, em pleno Estádio da Luz. A maior vitória do Sporting sobre o arquirrival fora de casa em 28 anos mostrou uma equipe, além de compacta e já bem adaptada ao 4-4-2 de Jesus, com uma postura que há muito não se via pelos lados de José Alvalade. Imponentes contra o rival e cirúrgicos no setor ofensivo, os leões mostraram, pela segunda vez na temporada, ser o time mais forte de Lisboa no momento e o mais apto a tirar o título do ainda favorito (mas não tanto quanto antes) Porto, que tem o melhor elenco do futebol português, mas segue sem conseguir cativar o seu torcedor no certame nacional.

Foto: Sporting CP / Oficial - Sporting lava a alma em goleada no Estádio da Luz

Individualmente, o destaque é a excelente temporada que vem fazendo João Mário. Partindo do lado direito para a faixa central do meio-campo, o jovem volante tem sido uma espécie de coringa na formação sportinguista. Flutua pelo meio, aparece para cruzar, chega na área para finalizar e auxilia Adrien na armação. Contra o Benfica, quando foi o melhor em campo, ainda marcou com muita eficiência o excelente Nico Gaitán.

Imagem: Reprodução - Com grande atuação contra o Benfica, João Mário se firma como peça-chave da equipe

Há quase um ano, quando ainda treinava o Benfica, a arrancada de Jorge Jesus rumo ao seu 3º título português começou justamente vencendo um clássico fora de casa – um 2×0 contra o Porto. O 3×0 no Benfica serviu, acima de tudo, para acabar com qualquer complexo de inferioridade que o sportinguista ainda poderia ter em relação aos rivais. Com um time competitivo e uma nova mentalidade, o Sporting avisa: voltou às cabeças para ficar.

Comentários

Estudante de Jornalismo e redator no Placar UOL Esporte, belo-horizontino, apaixonado por esportes e Doente por Futebol. Chega ao ponto de assistir a jogos dos campeonatos mais diversos e até de partidas bem antigas, de décadas atrás.