As boas temporadas de Di María e Chicharito escancaram o péssimo trabalho de van Gaal no United

  • por Tiago Lima Domingos
  • 3 Anos atrás

van gaal

O trabalho de Louis van Gaal é tão ruim a frente do Manchester United que dá pra dividir em algumas partes: a técnica, já que o clube apresenta um futebol pobre, sem nenhuma criatividade. A construção do elenco, já que o holandês não qualificou o grupo em todas as posições. A financeira, já que gastou-se demais em contratações de jogadores que não valiam o que foi pago. E por último, o mal aproveitamento de alguns jogadores, que após saírem do clube mostram o seu valor. São os casos de Ángel Di María, no PSG, e de Chicharito Hernández, no Bayer Leverkusen.

Di María – Não conseguiu fazer render, pode vender

di maria

O caso de Di María escancara a falta de paciência do treinador com um dos melhores jogadores da temporada 2013-14. Após brilhar no Real Madrid, o Manchester United desembolsou €75 milhões pelo argentino. Um ano depois, após não conseguir o argentino render o esperado, van Gaal decidiu que o atleta não lhe servia mais e o vendeu ao PSG por €63 milhões.

Leia também: Di María para correr e agredir

Na França, Ángel Di María encontrou um time arrumado e brilha. Em 19 jogos da temporada, o argentino já soma 7 gols e 10 assistências. Nas grandes ligas europeias só não dá mais passes para gol (foram 9 na Ligue 1) do que Mesut Özil (líder com 12 na Premier League). Ora, Di María não desaprendeu a jogar em um ano, só achou no PSG o que não tinha na Inglaterra: uma equipe arrumada.

Chicharito – Renegado duas vezes

Outro caso é o do centroavante mexicano, que agora brilha na Alemanha. Na primeira temporada com Rooney, van Persie e Falcao García a disposição, Chicharito não era necessário e foi emprestado ao Real Madrid. Na Espanha, Chicha foi discreto, afinal não passava de um mero reserva de Benzema. Mesmo assim, com o faro de artilheiro, foi decisivo nas quartas de final da Liga dos Campeões, quando classificou o clube merengue com gol decisivo contra o Atlético de Madrid.

O erro de Louis van Gaal acontece porque o Manchester United 2015-16 não tem nenhum centroavante de área no elenco. O holandês não poderia se desfazer do mexicano e ficar dependendo de jovens da base. van Gaal preferiu gastar (mais). Desembolsou quase €80 milhões pelas promessas Martial, do Monaco, e Memphis Depay, do PSV, bons valores, mas que não são homens de área, finalizadores como Chicharito.

Chicharito acumula 18 gols em 21 jogos na Alemanha. O artilheiro do United na temporada é Wayne Rooney, com 7.

Um ano e meio de clube. Dinheiro não faltou. Se van Gaal não poderia ser julgado por estar no início de trabalho, essa desculpa já não cola mais. O Manchester United não pode ser refém do péssimo trabalho do holandês, que foi comprovado com a não classificação dos Diabos Vermelhos ao mata-mata da Liga dos Campeões em um grupo que era apontado como franco favorito.

O trabalho de van Gaal é muito ruim, em vários aspectos. As boas temporadas de Di María e Chicharito, fora da Inglaterra, são uma parte que explica isso. O holandês não teve paciência, não soube aproveitar seus jogadores, montou um elenco capenga que não se encontra na temporada. Os maus resultados e o pobre futebol não são à toa.

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.