O ótimo momento de Jorginho

Foto: http://sccnapoli.it/

Foto: http://sscnapoli.it/

Muito conhecido no Brasil por ter optado pela Seleção Italiana, após passar pelo Hellas Verona e ter vivido um período de adaptação ao Napoli, o ítalo-brasileiro Jorginho vive temporada dos sonhos no sul da Itália. Com um aproveitamento de passes absurdo, um dos maiores de todo o Campeonato Italiano, o jogador vai assumindo um protagonismo importante e já é titular absoluto, atuando em uma função semelhante à desempenhada por Andrea Pirlo em seus anos na Juventus.

Após uma temporada e meia apenas regulares com a camisa Azzurri e com as saídas de Gokhan Inler para o Leicester City e do treinador Rafa Benítez para o Real Madrid, o novo comandante do Napoli, Maurizio Sarri, passou ao catarinense de Imbituba uma confiança que parecia que o líder espanhol não tinha em seu futebol. E mais: deu-lhe um papel que favorece muito o desenvolvimento de seu futebol, deixando-o menos exposto ao combate direto e dando-lhe mais liberdade para distribuir a bola, sua melhor característica.

Foto: http://sccnapoli.it/

Foto: http://sscnapoli.it/

Atualmente, o Napoli, que luta bravamente pelo título italiano, vem atuando com Jorginho numa posição semelhante a de primeiro volante, mas sua função não é apenas de destruição, muito pelo contrário.

Protegido por uma linha de meio-campo que atua mais avançada e faz o combate mais pesado, normalmente composta pelo brasileiro Allan e pelo eslovaco Marek Hamsik, Jorginho tem podido preocupar-se mais com a armação. Se seu desempenho nos desarmes não enche os olhos – apenas 32% de aproveitamento – porém, seu índice nas recuperações de bola, com 75%, e sua acurácia nos passes, com 91% de acerto, chamam muita atenção.

“Estou muito feliz com a temporada até o momento, o mérito é do trabalho de todo o time e da comissão técnica. No trio de meio-campo eu consigo me expressar melhor do que antes, o mérito é também do treinador e do time”, disse Jorginho no início do último mês ao Corriere Dello Sport.

Foto: http://sccnapoli.it/

Foto: http://sscnapoli.it/

Jorginho tem se mostrado um construtor de jogo que atua no setor defensivo. A maior parte das bolas trabalhadas pelo Napoli passa por seus pés, o que ficou evidente na vitória do clube contra o Hellas Verona, ocasião em que passou a bola impressionantes 180 vezes, com 92% de aproveitamento. Apesar de só ter uma assistência na competição, outro número que chama atenção é o de passes-chave providos: 24 no total, dado que o coloca na 9ª posição deste ranking no italiano.

Além disso, como mostra o mapa de seus passes na referida partida contra o Verona, a maioria deles é vertical, ou seja, conduz sua equipe à frente.

Foto: Squawka

Foto: Squawka

A temporada do Napoli começou no esquema tático 4-3-1-2, com o volante Mirko Valdifiori, jogador que trabalhou com Sarri por anos no Empoli e que conta com sua confiança, na vaga do ítalo-brasileiro. Sem vitórias nas três primeiras partidas do Calcio, Sarri sentiu a necessidade de mudar a forma de jogo de sua equipe, sacou Valdifiori e lançou mão do talento de Jorginho, com a mudança para um esquema tático que pode ser lido como um 4-1-2-3, uma variação do 4-3-3. Desde então, em 11 partidas, o Napoli venceu nove e empatou duas, batendo rivais de respeito como Juventus, Milan, Fiorentina e Inter de Milão.

Foto: http://sccnapoli.it/

Foto: http://sscnapoli.it/

Com a presença do camisa 8, cuja saída foi especulada na última janela de transferências, o Napoli cresceu. Sarri tomou a dura decisão de sacar Valdifiori, em quem deposita grande fé, enxergou a melhor forma de aproveitar o brasileiro e vem sendo recompensado por isso. Bem posicionado e sendo excepcional na distribuição de bola, Jorginho vive um momento especial e é peça vital num Napoli que sonha com o título italiano.

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.