4 reservas de luxo que poderiam ser protagonistas em outros clubes

  • por Tiago Lima Domingos
  • 3 Anos atrás

Eles só não seriam titulares em uma pequena parcela de equipes do mundo. O alto nível do futebol europeu te obriga a montar elencos cada vez mais grandiosos e fortes, mas nem sempre isso agrada a todos. A competitividade nos grandes clubes europeus acaba trazendo alguns exemplos de ótimos jogadores que acabam não sendo aproveitados da maneira que muitos gostariam, afinal, conseguir um lugar no onze inicial de um Real Madrid, PSG ou Bayern de Munique não é tarefa das mais fáceis.

A sensação que fica é que estes jogadores poderiam evoluir e contribuir muito mais se estivessem em outras equipes. São os casos de quatro jovens atletas que citaremos abaixo.

1 – Marquinhos (Paris Saint-Germain)

Posição: Zagueiro.

Idade: 21.

Clube em que cairia bem: Manchester United, Chelsea.

Valor de mercado: €30 milhões.

Constantemente convocado por Dunga para a Seleção, Marquinhos não costuma figurar muitas vezes entre os titulares de Laurent Blanc. O zagueiro foi titular em apenas 7 das 19 rodadas da Ligue 1 e conta com a forte concorrência de David Luiz e Thiago Silva.

Depois de ser considerado um dos melhores jovens do mundo quando atuava na Roma, Marquinhos já está na sua 3ª temporada na França. Sem ter um lugar constante entre os titulares, acaba não evoluindo como deveria. Aos 21 anos, o zagueiro precisaria arrumar um clube para ter uma sequência e continuar seu processo de maturação na carreira.

2 – Lucas Moura (Paris Saint-Germain)

Posição: Meia direita, winger.

Idade: 23.

Clube em que cairia bem: Manchester City, Arsenal, Internazionale.

Valor de mercado: €32 milhões.

Lucas Moura já viveu altos e baixos na França. Quando achávamos que nessa temporada o brasileiro explodiria de vez, Lucas viu o PSG contratar Di María e acirrar a briga por posição.

O argentino entrou como uma luva no esquema de Laurent Blanc e Lucas ficou observando do banco de reservas. O brasileiro foi titular em 13 das 19 rodadas da Ligue 1, apenas uma vez nas seis rodadas da Liga dos Campeões. Ou seja, quando a coisa aperta, Blanc opta por uma equipe mais defensiva com o trio Motta-Verratti-Matuidi atrás e o tridente Di María, Cavani e Ibrahimovic à frente. Atualmente, Lucas pode ser considerado o 12º jogador do PSG, mas sempre fica aquela sensação de que poderia ser titular absoluto em outra equipe grande.

No City, Lucas poderia jogar em uma trinca de meias com Sterling e De Bruyne, já que Silva vive às rusgas com as lesões. No Arsenal, se encaixaria muito bem em uma linha de 3 meias com Sanchez e Özil, no estilo rápido de Wenger. Na Inter, seria titular com facilidade e um dos melhores jogadores do clube.

3 – Isco (Real Madrid)

isco

Posição: Meia, meia esquerda, “volante”.

Idade: 23.

Clube em que cairia bem: Juventus, Chelsea.

Valor de mercado: €45 milhões.

Assim como Lucas, Isco tornou-se o 12º jogador do Real Madrid. Substituiu Kroos, Modric, James e Bale com maestria na última temporada. Atuando atrás ou mais à frente, é inegável o talento do espanhol. Porém, a sensação que passa é de que Isco, em outra equipe, seria ainda mais importante.

Na Juventus, hoje tão carente de um bom meia, Isco seria peça fundamental. No Chelsea, poderia jogar na dupla de volantes, atrás dos três meias, ou mesmo no lugar de Oscar.

4 – Mario Götze (Bayern de Munique)

Posição: Meia.

Idade: 23.

Clube em que cairia bem: Borussia Dortmund, Juventus.

Valor de mercado: €45 milhões.

Vinte e três anos e muita história para contar. Uma troca de clube inesperada e um gol que deu a Copa do Mundo de 2014 à Alemanha. É estranho falar de Mario Götze. Tão novo, com tanta rodagem, mas desde que trocou o Borussia Dortmund pelo Bayern de Munique, não evoluiu o que se esperava.

No Bayern, nunca foi protagonista. É quase sempre preterido nos grandes jogos. Dizem as más línguas que não tem um bom relacionamento com Pep Guardiola. A sensação que fica é que Götze teria evoluído muito mais se tivesse permanecido em Dortmund.

Improvável, mas o melhor lugar para o alemão hoje seria voltar para casa. Formaria um trio excelente com Reus e Aubameyang no Borussia Dortmund. Na Juventus, cairia como uma luva e dividiria o protagonismo com Pogba.

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.