Dendoncker, um diferente talento belga

DESTACADA OLHO NELE 2016

Rica em wingers, meio-campistas de criação e jogadores box-to-box, a Seleção Belga sente falta, em muitos turnos, de um atleta com maior capacidade defensiva na contenção. Falo daquele jogador capaz de executar desarmes e uma melhor cobertura às laterais, sem perder, contudo, o bom passe. Vem da boa categoria de base do Anderlecht mais um nome promissor e, diferentemente de Dennis Praet ou Youri Tielemans, com melhores qualidades defensivas: Leander Dendoncker, jovem volante.

Foto: rsca.be

Foto: rsca.be

Alto (1,88m), rápido e dono de uma excelente noção de posicionamento, apesar de ser mais velho do que alguns de seus companheiros que também surgiram nas categorias de base dos Mauves et Blancs, Dendoncker despontou apenas na última temporada. Curiosamente, o atleta de 20 anos cresceu em um momento em que Tielemans não estava bem.

Foto: rsca.be

Foto: rsca.be

Outra característica que chama atenção em sua atuação é sua liderança. Ex-capitão dos times de base em que jogou, o jogador mostra incomum maturidade. Na temporada 2013-2014, conduziu o Anderlecht sub-19 à final da famosa Viareggio Cup, um dos torneios de base mais tradicionais da Europa. Na ocasião, o Anderlecht perdeu, na prorrogação, para o Milan Primavera, cujo maior destaque na partida foi Andrea Pentagna, autor de um gol e uma assistência – nada que tenha chamuscado a brilhante campanha da esquadra belga e de seu capitão.

Dendoncker também tem a seu favor a versatilidade, visto que pode atuar em três funções distintas: volante – a que melhor desempenha –, meio-campista central ou zagueiro. É um jogador moderno e obediente taticamente, defendendo com eficiência, mas não deixando de ter saída para o jogo.

Foto: rsca.be

Foto: rsca.be

Não à toa, com apenas uma temporada como profissional, foi chamado por Marc Wilmots para a Seleção Belga principal, estreando na emocionante vitória de seu país contra a França, em amistoso que terminou 4×3, no início do último mês de junho. É também válido ressaltar seu histórico com as equipes de base dos Roten Teufel, tendo defendido seu país nos escalões sub-16, 17, 19 e 21.

“Minha maior satisfação é Leander Dendoncker. Eu já havia dito a ele no último ano que ele não poderia sair porque era um de nossos meio-campistas defensivos – com Milivojevic ou Kljestan. (…) Ele trabalhou duro, cresceu muito e hoje eu tenho mais um jogador. Ele tomou o lugar de Tielemans em absoluto. Eu disse ao Youri que não era minha culpa ou dele, o Leander também progrediu. (…) Se ambos, Dendoncker e Tielemans, estiverem bem, vou achar lugar para os dois, mas a evolução de Dendoncker me dá muita satisfação. (…) Ele sabe quando ficar atrás da bola, mas também pode infiltrar (…) ele tem um bom chute e pode correr por três dias sem forçar”, disse Besnik Hasi, treinador do Anderlecht, ao periódico belga HLN.be, em fevereiro de 2015.

Foto: rsca.be

Foto: rsca.be

Nascido em 1995, Dendoncker começou sua carreira em 2001, aos 6 anos, no pequeno FC Passendale, de sua cidade natal. Dois anos depois, mudou-se para o KSV Roeselare e chegou ao Anderlecht em 2009, aos 14 anos. Embora só tenha feito uma temporada regular em 2014-2015, o garoto estreou em 2013-2014, em partida contra o Genk, válida pela Supercopa da Bélgica. Vale ressaltar que, no último ano, o volante entrou em campo 38 vezes, balançando as redes em dois turnos, contra o Lierse SK, na 22ª rodada do Campeonato Belga (um belíssimo tento de fora da área), e contra o KV Kortrijk, na 28ª.

Com a ascensão impressionante de sua joia, o Anderlecht viu o interesse de outras equipes crescer assustadoramente nos últimos meses e, sabiamente, renovou seu contrato, que vige até o fim da temporada 2019-2020. Arsenal, Chelsea e Manchester United já tiveram seus nomes ligados a uma possível contratação de Dendoncker.

Foto: rsca.be

Foto: rsca.be

Na temporada atual, o camisa 32 segue sendo peça importante no time belga, alternando entre a zaga e o meio-campo, mas atuando com muita frequência. Até o momento, já tem 23 jogos disputados e dois tentos anotados, destacando-se o belo gol marcado contra o SV Zulte Waregem, ocasião em que o atleta mostrou sua boa marcação, além de qualidade técnica e frieza.

É evidente que o garoto é mais um atleta interessantíssimo produzido pela escola do Anderlecht e um novo integrante da famigerada “Geração Belga”, mas, a despeito disso, suas características físicas, técnicas e até mesmo posicionais fogem ao perfil-padrão dos promissores talentos de seu país.

Dendoncker é diferente e talvez por isso não tenha chamado a atenção mais cedo. O intrigante é que é justamente sua peculiaridade que o tem distinguido positivamente em sua curta trajetória e o tornado um raro e valioso nome no mercado. Volante, meia ou zagueiro dos Mauves et Blancs, Dendoncker é mais um atleta para ficarmos de olho.

Olho nele!

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.