O improvável Corinthians

  • por Larissa
  • 4 Anos atrás

Foto: Agência Corinthians - Romero comemora gol contra o Shakhtar

Foto: Agência Corinthians – Romero comemora gol contra o Shakhtar

Depois de uma bela campanha no último Campeonato Brasileiro, o Corinthians despontava como um dos favoritos para a temporada de 2016. A boa execução do meio-campo montado por Tite, a sólida defesa e o ataque por vezes surpreendente eram as armas para as competições que estariam por vir. Com a perda devastadora de seis titulares, o que esperar do time alvinegro neste ano?

O clima antes da Florida Cup era de pessimismo e de muita incerteza quanto ao time titular, mas como depois da tempestade pode vir a calmaria, as chegadas de algumas peças devem mudar o que se imaginava para 2016. A princípio, percebe-se que o momento é de apostar em jogadores que demonstraram evolução e que também não têm idade muito avançada. Além disso, o entrosamento é outro ponto chave na busca por uma reestruturação.

As vindas de Marlone e André, nomes que fizeram boa temporada com a camisa do Sport, além das contratações de Guilherme e Giovanni Augusto, dois meias que também são jovens e apresentaram um bom desempenho no Atlético Mineiro, comprova isso. As duas duplas contratadas já possuem um conhecimento prévio e podem repor, mesmo que com dificuldades, a perda de Malcom e Vagner Love, assim como a de Jadson e Renato Augusto.

Como apostar na base também pode ser uma boa solução, o zagueiro Yago tem crescido desde a temporada passada nas mãos de Tite. Fica a expectativa de sua afirmação ao lado de Felipe. Maycon, Matheus Pereira, Gabriel Vasconcelos e Claudinho, se tiverem oportunidades, também contribuirão com o restante do elenco. Alguns já podem ser testados no Campeonato Paulista.

Ainda que “os mais jovens” apareçam como as cartas na manga do ano, Tite seguirá contando com a experiência de Danilo, Elias, Fagner, Cássio e Willians como opção para a vaga deixada por Ralf, hoje de Bruno Henrique. Fica a espera por uma melhora de desempenho de Rodriguinho e Romero, a manutenção da “estrela” de Lucca e a chegada de pelo menos mais um zagueiro, um meia e um atacante mais cascudo. O lateral Moisés, o meia Alan Mineiro e o goleiro Douglas correm por fora na disputa por uma vaga.

O que não dá para garantir é o sucesso total ou o desastre absoluto na temporada. Mas o torcedor precisará ser paciente com as mudanças e os novos contratados. Além disso, terá que apostar em Tite, para que siga montando equipes competitivas, como fez em suas passagens pelo clube.

Comentários