Christian Pulisic, o talento norte-americano

  • por Rogério Júnior
  • 4 Anos atrás

No início deste ano, segundo semestre da temporada de futebol na Alemanha, depois da longa e já habitual pausa de inverno, Thomas Tuchel, treinador do Borussia Dortmund, surpreendeu ao não trazer nenhum reforço para a sequência de Bundesliga, DFB Pokal (Copa da Alemanha) e Europa League, embora os rumores sinalizassem contratações de novos jogadores. Tuchel, no entanto, decidiu incorporar dois novos jogadores vindos das categorias de base do clube logo nos primeiros dias de treinamentos. Um deles é Christian Pulisic, um talentoso norte-americano disposto a fazer historia.

OLHO NELE - PULISIC

Pulisic é o futuro. Com apenas 17 anos de idade, o jovem é tratado como uma das principais revelações do futebol dos Estados Unidos, nos últimos tempos. O Pennsylvania Classics, uma espécie de academia de jogadores nos EUA, foi a porta de entrada para o garoto no mundo da bola. Logo se destacou, sendo chamado posteriormente para as divisões secundárias da seleção americana, acumulando passagens pelo sub-14 e pelo sub-17 do selecionado do país.

Foi justamente nesta última categoria que Pulisic se consagrou aos olhos do público. Disputando o Nike Friendlies 2013, torneio amistoso disputado na Flórida, o jogador foi um dos responsáveis pela bela campanha dos Estados Unidos, refletida no título conquistado sobre o Brasil na grande decisão. Mais do que ganhar moral perante a sua seleção, Pulisic acabou colhendo frutos ainda mais preciosos em virtude de seu rendimento naquela ocasião.

O Dortmund, como de costume, estava representado no campeonato por uma comissão de observadores técnicos e o desfecho desta história não poderia ser diferente. Pulisic agradou os olheiros de forma contundente e o staff não tinha qualquer dúvida. O negócio foi fechado e a bela cidade de Dortmund estava a espera da maior promessa da década dos EUA.

Chegada ao Borussia Dortmund:

Pulisic foi oficialmente contratado em fevereiro de 2015. Passou a atuar de forma constante na equipe sub-17 e de forma surpreendentemente rápida foi promovido a categoria posterior, tamanha sua qualidade técnica. No sub-19, o garoto continuava a encantar e caminhava naturalmente em busca de uma chance na equipe principal.

https://www.youtube.com/watch?v=WZBOVkfkWFQ

Em meio a afirmação nas categorias de base do Dortmund, Pulisic foi convocado para a disputa no Mundial Sub-17 da FIFA, disputado no Chile, em 2015. Embora a seleção americana tenha ficado precocemente pelo caminho, Pulisic se destacou em meio aos seus companheiros, chegando a anotar um gol diante da Croácia na primeira fase.

Ascensão meteórica:

Como dito anteriormente, Pulisic, ao lado do jovem Felix Passlack, foi uma das grandes novidades de Tuchel para o início de 2016. O jovem inicialmente tinha a incumbência de ocupar os postos deixados por Jonas Hoffmann, vendido ao Borussia Mönchengladbach, e Adnan Januzaj, devolvido ao Manchester United.

Ciente de sua responsabilidade e desenvolvendo naturalmente seu compromisso, não demorou quase nada para que tivesse sua primeira oportunidade na equipe de cima do Borussia Dortmund. A estreia oficial aconteceu diante do Ingolstadt, em 30 de janeiro, numa vitória por 2 a 0. Os 22 preciosos minutos que teve para atuar, em pleno Signal Iduna Park costumeiramente lotado, serviram para que Pulisic se tornasse o oitavo jogador mais jovem a disputar um jogo oficial em toda a história da Bundesliga.

Sob a confiança de Tuchel, logo mostrou suas inúmeras virtudes. Excelente tecnicamente, conta também com uma eficaz leitura de jogo, além de grande velocidade, quando atua pela faixa esquerda do campo, embora renda mais na zona central, atuando atrás do centroavante.

Características e sequência de jogos:

Imagem: Transfermarkt - Na linha que abastece o centroavante, Pulisic pode atuar em todas as posições, mas é na zona central onde mais se destaca.

Imagem: Transfermarkt – Na linha que abastece o centroavante, Pulisic pode atuar em todas as posições, mas é na zona central onde mais se destaca.

De acordo com Hannes Wolf, treinador do sub-19 do Dortmund, em entrevista concedida ao Soccer America, as principais características de Pulisic são a velocidade, a habilidade notória, além da capacidade de partir para cima do marcador no chamado 1×1. De acordo com o treinador, o jovem é muito participativo com o grupo, tem personalidade forte e aprendeu o idioma alemão rapidamente, o que facilita sua adaptação na Alemanha.

Pulisic costuma dizer à imprensa de Dortmund que sua principal função no campo é se divertir, conforme as orientações de Thomas Tuchel. Seu jogo é baseado na simplicidade, mas Pulisic a exerce de maneira precisa e um tanto metódica, o que faz com que o simples se pareça belo sempre que sobe ao gramado verde.

O certo é que o jovem tem ganhado muita confiança de seu treinador . Ao todo, já disputou onze jogos com a camisa do Dortmund. Oito deles foram pela Bundesliga e outros três pela Europa League. Contra Bayer Leverkusen e Schalke 04, no tradicional Derby do Vale do Rühr, Hamburg e Stuttgart, Pulisic iniciou como titular, corroborando sua importância diante do grupo e principalmente de Tuchel.

Contra o HSV, inclusive, alcançou a glória de marcar seu primeiro gol como jogador profissional, tornando-se o quarto atleta mais jovem a balançar a rede na Bundesliga, abrindo o placar para mais uma vitória do Dortmund. E gostou do sabor da rede. Contra o Stuttgart, veio o segundo gol.

Outra glória alcançada recentemente pelo jovem foi a primeira convocação oficial para a seleção principal dos Estados Unidos, dirigida atualmente pelo alemão Jürgen Klinsmann. A chance para jogar veio na última Data FIFA, nas Eliminatórias da CONCACAF para o Mundial da Rússia, em 2018, diante da seleção da Guatemala. Os nove minutos em campo representam a capacidade do jogador e mostram que barreiras existem para serem ultrapassadas pelo seu imenso talento.

Olho nele!

Comentários

Curitibano, jornalista, 24 anos. Apaixonado pela bola, apegado pelas canchas e admirador do povão que as frequentam. Apreciador do futebol, seja ele jogado na final da Copa do Mundo ou numa singela rodada da terceirona gaúcha.