Liverpool, uma história de grandes viradas

  • por Igor Leal da Fonseca
  • 4 Anos atrás

Duas semanas atrás, o Liverpool foi protagonista em uma daquelas partidas que ficarão para a história do futebol, e que torcedores do clube contarão para os netos na hora de falar sobre as glórias passadas dos Reds. O Liverpool perdia por 3×1 para o Borussia até os 21’ do segundo tempo e precisava de três gols para eliminar o time alemão da Liga Europa. Olhando a temporada dos dois clubes, parecia algo praticamente impossível. Mas se existe algo com que o clube inglês sabe lidar é a famosa virada.

A vitória sobre o Dortmund foi a mais recente de uma história repleta de momentos assim – o mais famoso deles, em 2005, quando saiu de um 3×0 contra o Milan na final da Liga dos Campeões para a conquista do título. Conheça outros capítulos dessa história.

Final da FA Cup 2001 – Arsenal 1 x 2 Liverpool

Owen chuta para fazer o gol da vitória do Liverpool ARSENAL v LIVERPOOL FA CUP FINAL. CARDIFF. 12/5/2001 COPYRIGHT : MARK PAIN 07774 842005. 5/5/2001

Owen chuta para fazer o gol da vitória do Liverpool sobre o Arsenal

O Arsenal tinha no seu elenco jogadores como Vieira, Pires, Henry e Ljungberg, todos já considerados estrelas da Premier League e do futebol mundial. Com essa base, o Arsenal venceria o campeonato inglês na temporada seguinte e faria história na 2003-04, com o time sendo campeão invicto da competição.

Pelo lado do Liverpool, bandeiras do clube como Hammann, Carragher e Hyypia, além de Gerrard e Owen, estrelas em ascensão na equipe. Durante o jogo, o Arsenal teve o domínio das ações e perdeu chances claras, até abrir o placar aos 27’ do segundo tempo. O clube de Londres ainda teve outra oportunidade clara de encerrar a disputa, mas viu Owen, então um jovem de 21 anos, marcar dois gols nos últimos oito minutos e dar o troféu para o time da terra dos Beatles.

Final da Copa da UEFA 2001 – Liverpool 5 x 4 Alavés

Na mesma temporada da conquista sobre o Arsenal – mais precisamente apenas quatro dias depois, o Liverpool entrou em campo para a disputa da final da antiga Copa da UEFA contra o Alavés. Depois de eliminar Roma, Porto e Barcelona nas três fases anteriores, a conquista dos comandados de Houllier parecia mera formalidade. O Alavés cumpria campanha mediana em La Liga e seus maiores destaques individuais eram Jordi Cruyff e Javi Moreno, jogadores já um tanto rodados e sem maiores feitos na carreira.

Parecia que tudo caminharia nesse sentido, com o Liverpool abrindo 2×0 antes dos vinte minutos de jogo e indo para o intervalo com 3×1 no placar. Mas logo na volta do intervalo, Javi Moreno marcou por duas vezes – aos 2’ e aos 4’ do segundo tempo – e deixou tudo igual no placar. Fowler colocou o Liverpool à frente no placar aos 27’, porém Jordi deixou tudo igual aos 43’ do segundo tempo. Na prorrogação, o Liverpool chegou à vitória com o gol de ouro – contra – de Geli, aos 11’ do segundo tempo extra. E chegou à conquista, encerrando um jejum de 17 anos sem títulos europeus.

Final da Copa da UEFA 1976 – Liverpool 3 x 2 Brugge

Keegan

Keegan marca, de pênalti, o gol da virada do Livepool

Muitos lembram das conquistas do Liverpool na Liga dos Campeões no final da década de 70 e na primeira metade dos anos 80, quando o time inglês venceu quatro Ligas dos Campeões em oito anos. O que pouca gente sabe é que essa história de conquistas começou com o título da Copa da UEFA na temporada 1975-76. O adversário foi o Club Brugge, que chegou à decisão após passar por Roma, Milan e Hamburgo, gigantes europeus. Comandados pelo lendário Ernst Happel – primeiro técnico a vencer a UCL por dois clubes diferentes e um dos poucos a conquistar ligas nacionais em quatro países diferentes -, os belgas foram para o intervalo vencendo por 2×0 em pleno Anfield, e mantiveram o placar até os quinze minutos da etapa final, quando sofreu o primeiro gol. Dez minutos depois, o Liverpool já havia virado o placar, para garantir a vantagem no jogo de ida da final. Na volta, 1×1 e taça para os Reds.

 

Final da FA Cup 1989 – Liverpool 3 x 2 Everton

Herói do título, Rush saiu do banco para marcar duas vezes na prorrogação

Herói do título, Rush saiu do banco para marcar duas vezes na prorrogação

Se no começo dos anos 80 o Liverpool tinha amplas conquistas na Europa e dentro de casa, o Everton era ‘’o primo pobre’’ no Merseyside Derby, com o último título inglês conquistado em 1970. Na segunda metade da década o Everton voltou a vencer o campeonato nacional e chegou ao seu primeiro e único título europeu, a UEFA Cup Winner’s Cup em 1985. Em 1989, os eternos rivais chegaram à final da FA Cup e fizeram um jogo para a história da competição. Ainda antes dos cinco minutos, o Liverpool abriu o placar, que não sofreu alterações até os 44’ do segundo tempo, quando o Everton chegou ao empate. Rush colocou o lado vermelho em vantagem aos cinco do primeiro tempo da prorrogação, mas McCall – autor do primeiro gol do Everton – deixou tudo igual aos 12’. Dois minutos depois, Rush fez seu segundo gol e sacramentou a conquista dos comandados da lenda Dalglish.

Fase de Grupos da Liga dos Campeões 2004-05 – Liverpool 3 x 1 Olympiacos

Gerrard pega de fora da área para garantir a classificação dos Reds

Gerrard pega de fora da área para garantir a classificação dos Reds

Você que chegou até aqui certamente estranhará a presença desse jogo nesse seleto apanhado de grandes vitórias do Liverpool em decisões. Mas por conta desse jogo e dessa vitória, os Reds seguiram adiante na competição que acabariam conquistando no histórico jogo de Istambul.

Na primeira fase da competição, o Liverpool caiu no grupo de Monaco – vice da edição anterior – e La Coruña, além do time grego. Com uma campanha de sete pontos em cinco jogos, os comandados de Rafa Benitez chegaram à última partida contra o Olympiacos precisando vencer para avançar. Até aí, nada demais, pois mesmo com o Olympiacos podendo jogar pelo empate, o jogo seria realizado em Anfield. Mas a situação começou a se complicar pouco depois da metade do primeiro tempo, quando os gregos abriram o placar com Rivaldo. Agora, não bastava mais vencer, era necessário fazer dois gols de diferença, já que o Liverpool havia perdido na Grécia por 1×0 e, se apenas virasse para 2×1, seria eliminado pelo confronto direto.

Atordoados, os Reds foram para o intervalo perdendo, mas chegaram ao empate logo aos 2’ do segundo tempo. O empate persistiu até os dez minutos finais, quando Mellor virou o jogo. Cinco minutos mais tarde, Gerrard definiu o placar no necessário 3×1 e a equipe inglesa seguiu em frente para adentrar à história do futebol contra o Milan. Sem essa virada contra os gregos, nada disso teria acontecido.

 

Final da FA Cup 2006 – Liverpool 3(3) x (1)3 West Ham

Gerrard acerta petardo da intermediária e empata o jogo

Gerrard acerta petardo da intermediária e empata o jogo

O Liverpool chegou à decisão da tradicional competição inglesa classficado para a Liga dos Campeões da temporada seguinte, enquanto a equipe de Londres havia terminado a Premier League na metade da tabela, sem grandes feitos. Tendo jogadores como Xabi Alonso, Gerrard, Carragher e Hyypia, o time de Benítez era amplo favorito ao título. Mas como nos jogos citados anteriores, a emoção não faltou nesse e o West Ham abriu 2×0 antes dos trinta minutos do primeiro tempo. Cissé diminiu logo depois e Gerrard empatou aos dez da segunda etapa. A virada parecia questão de tempo, mas o West Ham saltou à frente aos 20’ da etapa final e o placar se manteve assim até os acréscimos, quando Gerrard deixou tudo igual aos 46’. Na disputa de pênaltis, o Liverpool venceu por 3×1 e conquistou a taça.

Final da Copa da Liga Inglesa 2012 – Cardiff 2(2) x (3)3 Liverpool

Na última conquista do clube, o adversário foi o inexpressivo Cardiff, equipe do País de Gales que disputava a segunda divisão do campeonato inglês na época. O Liverpool vinha de uma temporada ruim na Premier League – apenas o oitavo colocado – mas era considerado amplo favorito para a conquista. Como sempre, teve que ser com emoção, já que o Cardiff abriu o placar antes da metade da etapa inicial. O placar não se mexeu mais no primeiro tempo, porém Skrtel deixou tudo igual aos 10’ do segundo e a virada parecia questão de tempo, mas não aconteceu. Na prorrogação, Kuyt virou o jogo, mas o Liverpool provou uma dose do seu próprio veneno quando o Cardiff empatou faltando apenas dois minutos para o fim da partida. Na disputa dos pênaltis, Gerrard e Charlie Adam desperdiçaram as duas primeiras cobranças, mas o Cardiff acertou a trave por duas vezes e, na derradeira cobrança, Anthony Gerrard – primo do capitão do Liverpool – cobrou para fora, dando o título aos Reds.

E você, tem algum jogo na memória que possamos acrescentar?

Comentários

33 anos, morador do Rio de Janeiro. Rubro Negro de coração, apaixonado pelo Maracanã, tem no Barcelona o exemplo de clube para o que entende como futebol perfeito, dentro e fora do campo. Estudioso da memória do futebol, tem nessa sua área de maior atuação no site, para preservar a memória do esporte. Dedica especial atenção aos times mais alternativos, equipes que tiveram grandes feitos, mas que não são tão lembradas quanto as maiores do mundo. Curte também futebol do centro e do leste da Europa, com uma coluna semanal dedicada ao assunto. Um Doente muito antes de fazer parte desse manicômio, sua primeira memória acadêmica é uma redação sobre o Zico, na qual tirou 10 e a mesma foi para o mural da escola. Nunca trabalhou com futebol dessa forma, mas adora o que faz junto com o restante do pessoal e se pergunta o porquê de não ter começado com isso antes. Espera recuperar o ''tempo perdido''. Acha Lionel Messi o melhor que viu jogar e tem em Zico, Petkovic e Ronaldo Angelim como heróis.