Equilíbrio pode levar o São Paulo a dobradinha inédita

  • por Elcio Mendonça
  • 3 Anos atrás
Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net - São Paulo pode alcançar feito inédito na história do Brasileirão

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net – São Paulo pode alcançar feito inédito na história do Brasileirão

49 dias. Esse é o intervalo de tempo entre a classificação são paulina diante do Atlético Mineiro e o primeiro jogo da semifinal contra o Atlético Nacional, no Morumbi, marcado para 6 de julho. Neste período acontecerão 12 partidas do Campeonato Brasileiro, praticamente um terço de toda a competição. Um período mais do que considerável, independentemente do objetivo na Série A.

O São Paulo terá pela frente o mesmo desafio que assola os clubes brasileiros nos últimos anos, fruto do calendário desorganizado do futebol nacional: se dividir entre Libertadores e Brasileirão.

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net - Gol de Maicon garantiu o Tricolor na semifinal da Libertadores

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net – Gol de Maicon garantiu o Tricolor na semifinal da Libertadores

E isso acontece em um momento de afirmação do Tricolor. O time que deixava grandes dúvidas no começo da temporada se transformou em uma equipe consolidada, forte defensivamente e letal no contra ataque, algo que ficou claro no gol da vitória sobre o Palmeiras no último domingo.

18 segundos separaram o desarme de Wesley, na entrada da área, e o cabeceio de Ganso, em uma jogada que cruzou todo o campo e passou por seis jogadores diferentes.

https://www.youtube.com/watch?v=0EMZHYCYnaI

Mas nem só de contra ataques vivem os comandados de Bauza. O São Paulo, com a bola nos pés, é intenso e sabe atacar muito bem apostando nas triangulações, resultado da compactação da equipe.

Em condições normais o clube do Morumbi pode se consolidar como um dos candidatos na luta pelo título nacional. O grande problema é precisar dividir as atenções com a busca pelo tetra na Libertadores. Se não virar refém da competição continental, tem chances de buscar uma dobradinha inédita. Desde a criação do Campeonato Brasileiro, em 1971, nenhum clube conseguiu o título nacional e o sul-americano na mesma temporada.

O São Paulo já disputou três das 12 partidas que serão realizadas durante a parada da Libertadores por conta da Copa América. Somou quatro pontos, com uma vitória no clássico paulista, um empate diante do Coritiba, no Couto Pereira, e uma derrota para o Internacional no Morumbi. Apenas 33% de aproveitamento. O triunfo do time reserva sobre o Botafogo na primeira rodada ajuda o Tricolor a se manter na sexta colocação com a mesma pontuação do Corinthians, que fecha o G4 do Brasileiro.

https://www.youtube.com/watch?v=VSHaGjYz9dc

Nos pontos corridos começar bem é fundamental. Guardiola, por exemplo, defende que um campeonato é vencido nas oito primeiras rodadas e perdido nas últimas oito. A pausa cria um cenário favorável ao time paulista, desde que ele consiga segurar a empolgação e “troque o chip”, focando na Série A.

Se avançar até a final da Libertadores, o clube do Morumbi se dividirá por mais quatro rodadas, chegando praticamente ao final do primeiro turno. Por isso, pensando no título brasileiro, é fundamental não desgrudar da dianteira. É difícil imaginar uma grande reação independentemente do que acontecer no torneio continental. Uma possível finalíssima da Libertadores pesa, seja em caso de título ou não. A taça, somada a um distanciamento da ponta, poderá antecipar o “projeto Mundial”. A derrota, por sua vez, trará uma “ressaca”, que se não for bem cuidada poderá fazer com que o Tricolor demore para se recuperar.

O tetra nacional, conquistado em 2006, pode servir como exemplo para os são paulinos, que na ocasião foram derrotados pelo Internacional na final da Libertadores.

Foto: Divulgação - Rogério Ceni e a taça do Brasileirão. A dobradinha quase veio em 2006

Foto: Divulgação – Rogério Ceni e a taça do Brasileirão. A dobradinha quase veio em 2006

Como nesta temporada, o Tricolor dividiu a atenção entre as duas competições durante 16 rodadas. A diferença é que o Brasileirão, assim como o torneio da CONMEBOL, também parou por conta da Copa do Mundo, tornando ainda mais difícil a conciliação. Após os 16 jogos iniciais o São Paulo somava 33 pontos e já liderava o campeonato, com 68% de aproveitamento. No período pós Libertadores foram 45 pontos em 22 jogos, o mesmo percentual de aproveitamento.

Os números reforçam a importância de não priorizar apenas a Taça, mas talvez essa não seja a ideia de Bauza. O argentino pretende poupar o time considerado titular com 10 dias de antecedência para os encontros decisivos na Libertadores. Com isso, não irá com força máxima em quatro jogos por conta da semifinal. Se avançar à final, mais duas partidas. Quem sabe, se tudo correr bem na Série A, o técnico não muda de ideia?

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net - Calma aí! Bauza pretende preservar os titulares para a Libertadores

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net – Calma aí! Bauza pretende preservar os titulares 

Além da divisão no foco, o São Paulo precisa lidar com outros problemas. Os contratos de Maicon e Calleri se encerram no final de junho. Os dirigentes são paulinos negociam com o Porto a permanência do zagueiro para o restante da temporada. Já o caso do argentino é mais complicado. Apalavrado com a Inter de Milão, no melhor cenário o atacante permanecerá apenas até o fim da Libertadores.

Rodrigo Caio, companheiro de Maicon na zaga tricolor, foi convocado para a Copa América e ficará de fora entre quatro e sete rodadas, assim como o lateral Mena, chamado para defender a seleção chilena. Rodrigo também participará dos Jogos Olímpicos, desfalcando o São Paulo em agosto por até cinco partidas. Se tiver equilíbrio e souber lidar com a exigência das duas competições, o São Paulo pode fazer história.

Um sonho plenamente possível para um clube acostumado a vencer.

Comentários

Jornalista pós graduado em Gestão Aplicada ao Esporte e um doente por futebol. Trabalha atualmente como gerente executivo de esportes na RedeTV! e já passou por Esporte Interativo, Náutico, Portuguesa e Santo André.