Humanabilidade: DPF Recomenda “Tite”

  • por Jessica Miranda
  • 3 Anos atrás

Se obras sobre personalidades do futebol que já faleceram demandam doses extras de zelo e esforço, pois mexem no âmago da paixão dos torcedores, imagina aquelas que versam sobre os vivos e, ainda por cima, sobre profissionais na ativa.

IMAGEM PROMO LIVRO

Camila Mattoso, jornalista da Folha de São Paulo, é autora do livro “TITE”. Em meses de entrevistas com dezenas de pessoas, incluindo o próprio Tite e até mesmo com figuras como Galvão Bueno e Carlo Ancelotti, ela fez “jornalismo de verdade” para destrinchar a vida de Adenor. Mas o livro não se trata apenas de uma biografia, tampouco foi escrito em ordem cronológica dos fatos. É uma rede de acontecimentos costurada em treze capítulos, número predileto do treinador, cada qual com um tema específico e um título acompanhado do sufixo “bilidade”, marca registrada do treinador desde seu comentário sobre os treinos de Ronaldo Fenômeno. De Hexabilidade a Previsibilidade temos uma boa projeção da moral, dos costumes, da lealdade e, principalmente, do caráter de Tite. Temos noção de sua HUMANABILIDADE.

“Tite é capaz de transformar tudo que toca em ouro.” – PVC

Como torcedora, sei bem que Tite esteve primeiro no inferno e depois no céu da história corinthiana. O que não teria como saber sem este livro são vários detalhes dos bastidores de sua jornada que me fizeram aumentar minha gratidão e diminuir minhas mágoas. O livro, no entanto, não se destina apenas aos torcedores do Timão. Pelo contrário, satisfaz a curiosidade de todo doente por futebol ao abordar polêmicas, traições, relacionamentos profissionais e familiares e a intensidade (ou como diria Tite, IN-TEN-SI-DA-DE) de trabalho, desde a época em que era volante.

“A pior decisão que eu tomei, a que eu mais me evoquei na vida, foi de ter demitido o Tite. Eu acho que se ele tivesse ficado, seríamos campeões brasileiros.” Fernando Carvalho (presidente do Internacional no período)

A família de Tite não era pobre, era paupérrima. O parto do primeiro filho da Dona Ivone foi complicado e delicado: apenas a cabeça de Tite saiu, necessitando da ajuda de três pessoas para retirar o resto do corpo, que ficou deformado. O pequeno Adenor Leonardo (nome composto em homenagem ao pai e ao São Leonardo Murialdo) passou um mês enfaixado para que seus ossos se ajeitassem.

De certa forma, o nascimento de Tite ilustra a sua carreira. As ideias e valores alojados em sua cabeça são inabaláveis e as derrotas o moldam, após um período de reflexão e recuperação. Nunca vou te amar como amo o Corinthians, caro Tite, mas te amo imensamente.

Obs: Infelizmente, o livro não responde às seguintes perguntas: Por que Bruno Henrique? Por que Undel? Por que Yago? Por que Alan Mineiro? Por que André?

Porém, isto talvez seja pedir demais, não concorda?

SELO-DPF-RECOMENDA


 

Promoção:

Conseguimos um exemplar do livro “TITE”, através da editora Panda Books, para ser presenteado a um dos nossos queridos leitores. O critério de seleção será o seguinte:

defina Tite em 13 palavras (exatamente), usando a seção de comentários desta postagem. O autor de melhor frase (julgada pela equipe DPF) será premiado com o livro.

O resultado será divulgado no dia 13 de junho. Use toda a sua habilidade  – não podia faltar o sufixo – e boa sorte!

13/06/2016 – 19:52:02

O autor da melhor frase foi:

VENCEDOR

Parabéns e obrigado a todos que participaram, vamos sempre tentar conseguir novos presentes para nossos leitores aqui na “DPF Recomenda”, fiquem ligados!

Comentários

Uma versão petit da mistura entre Romário e Cantona que se mete a escrever de vez em quando.