DPF Recomenda: The Class of 92

960x450classof92

1999 foi um ano incrível para o Manchester United. Campeão inglês, da Copa da Inglaterra, da UEFA Champions League e do Intercontinental, o clube inglês conquistou o inédito treble e ainda bateu o Palmeiras em Tóquio. A despeito do talento e importância de jogadores como Dwight Yorke, Andy Cole, Roy Keane e do goleiro Peter Schmeichel, foi um grupo de jogadores formados nas próprias categorias de base do clube inglês que comandou as ações do time, a Class of 92.

Na defesa, havia a parceria dos irmãos Gary e Phil Neville. No centro do meio-campo, Paul Scholes e Nicky Butt controlavam o jogo, pela direita David Beckham encantava com seus passes, lançamentos e chutes mágicos e, pela esquerda, os dribles insinuantes de Ryan Giggs desequilibravam. Juntos, os garotos criados pelo próprio clube conduziram-no a êxitos somente comparáveis aos dos Busby Babes.

The Class of 92 é um documentário que conta com riqueza de detalhes as vidas dos membros deste seleto grupo de talentos competitivos, mas, sobretudo, de grandes amigos que juntos chegaram ao topo do futebol mundial. A película registra como era todo o ambiente por trás do crescimento dos jovens, como a cidade de Manchester viveu um momento especial em sua história, após anos difíceis, e a forma com a qual o mítico Sir Alex Ferguson foi fundamental para o crescimento de seus prospectos.

Há depoimentos dos próprios protagonistas relatando como era a relação e o temperamento de seus amigos. Também estão presentes outras personalidades falando sobre o ocorrido, figuras como Zinedine Zidane, Eric Cantona, Gary Mounfield – baixista da banda mancuniana “The Stone Roses” – e Eric Harrison, treinador da base dos Red Devils.

O documentário conta a história da formação de um dos melhores times da história do Manchester United e do mundo, revelando como um trabalho de base bem feito e fortes laços de amizade podem conduzir uma equipe às glórias.SELO-DPF-RECOMENDA

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.