Depois do futebol, as urnas: Os boleiros candidatos em 2016

Setembro chegou e, com ele, veio a liberação da propaganda eleitoral por todo o Brasil. Nesse período marcado por promessas vazias, sujeira nas ruas e muita estratégia de campanha, os candidatos fazem o que podem (e o que não podem também) para atrair a atenção do público. Eles vêm de todos os segmentos sociais e áreas de atuação – entre elas, o futebol, que também conta com seus representantes nas urnas.

Vários nomes que fizeram a alegria de grandes torcidas do país estão agora concorrendo a cargos nessas eleições municipais. Todos eles torcem para que a fama adquirida nos tempos de jogador faça a diferença na hora de atrair votos. Para apresentar essas figuras ao público, o Doentes por Futebol preparou uma “seleção” com onze ex-atletas que estão tentando (re)conquistar sua confiança em 2016. Faltou alguém? Use os comentários para nos avisar.

1. Marcelo Ramos

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Artilheiro que marcou a história de clubes como Cruzeiro, Bahia, Vitória e Santa Cruz, o ex-atacante é candidato à câmara municipal de Salvador (BA) pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB). Ele vinha tentando uma carreira como auxiliar técnico de Uéslei, que foi seu companheiro no Tricolor de Aço.

2. Nildo

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Ídolo do Sport, com passagens também por São Paulo e Santa Cruz, Nildo era um jogador conhecido por seu estilo “arisco”, cheio de arrancadas e dribles em velocidade, sempre em direção ao gol. Agora, pelo Partido Humanista da Solidariedade (PHS), tenta se eleger vereador do município de Jaboatão dos Guararapes (PE). Depois de deixar os gramados, o ex-meia vinha se dedicando à administração de campos de futebol society.

3. Anderson Lima

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Lateral conhecido por sua precisão nas bolas paradas, Anderson Lima teve passagens marcantes por Grêmio, onde conquistou a Copa do Brasil de 2001, e São Caetano, clube pelo qual conquistou o Campeonato Paulista de 2004, sob o comando de Muricy Ramalho. Fora dos gramados desde 2009, tentou seguir no futebol como auxiliar do técnico Jorginho, antes de se candidatar à Câmara de Vereadores de São Caetano do Sul (SP) pelo Partido da República (PR).

4. Fábio Júnior

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Certa vez apontado como novo Ronaldo, pela ausência de cabelos e por ter despontado para o futebol no Cruzeiro, o ex-atacante Fábio Júnior entrou para a história como uma das transferências mais caras de um clube nacional, quando foi vendido para a Roma. Encerrou sua carreira há pouco tempo, depois de fazer boas temporadas no América-MG e em clubes mineiros de menor expressão. Agora, está se candidatando a um cargo de vereador pelo Partido Social Democrata Cristão (PSDC), em Belo Horizonte (MG), cidade cujos três grandes clubes ele defendeu.

5. Lecheva

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Meia com longa passagem pelo Paysandu, Lecheva entrou também para a história do futebol pernambucano, mas por uma causa menos nobre: atuando pelo Santa Cruz, perdeu um pênalti decisivo em uma disputa que terminou dando o título estadual de 2006 ao Sport. Após pendurar as chuteiras em 2009, tentou emplacar uma carreira de treinador e agora é candidato pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) ao cargo de vereador em Belém (PA).

6. Odvan

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

O inesquecível “zagueiro-zagueiro” está de volta. Dono de histórias hilárias, batizado em homenagem a uma música de Roberto Carlos e um dos grandes personagens do futebol brasileiro nos anos 90, Odvan tenta repetir nas urnas o sucesso que teve dentro de campo, sobretudo com a camisa vascaína. Filiado ao Partido Popular Socialista (PPS), o ex-defensor é candidato a vereador de Campos dos Goytacazes (RJ).

7. Marcelinho Carioca

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Aposentado como um dos maiores ídolos da história do Corinthians – senão o maior -, o eterno camisa 7 vem tentando há alguns anos entrar na política. Disputou e perdeu as eleições de 2010 (deputado estadual), 2012 (vereador) e 2014 (deputado estadual), mas assumiu, em novembro de 2014, mandato de deputado federal como suplente de Márcio França, eleito vice-governador de São Paulo. Marcelinho ocupou o cargo durante dois meses. Nesse período, já foi filiado ao PSB e ao PT, mas agora é candidato a vereador de São Paulo (SP) pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB).

8. Dão

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Dono de 60 gols com a camisa do Avaí, clube pelo qual conquistou o título brasileiro da Série C em 1998, Dão é um dos maiores nomes da história do futebol catarinense. Aposentado dos gramados desde 2002, ele tenta se eleger vereador pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) em Sento Sé, cidade no norte do sertão baiano onde nasceu, a 689 km da capital Salvador.

9. Aílton Delfino

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Ex-atacante formado nas categorias de base do Atlético Mineiro, Aílton Delfino teve uma carreira longa e vitoriosa. Conquistou títulos mineiros pelo Galo – entre eles, a Copa Conmebol de 1992. Levantou taças no futebol europeu – foi campeão português pelo Benfica em 1993/94. Na reta final da sua trajetória como jogador, ainda foi duas vezes vice-campeão brasileiro com a camisa do São Caetano, em 2000 e 2001. Longe dos holofotes desde então, ele é candidato a vereador de Três Marias (MG) pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB).

10. Eduardo Ramos

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Ele já foi anunciado como “Kaká goiano”, quando chegou ao Corinthians após despontar no Anápolis, em 2008. Mas após não conseguir empolgar durante a Série B daquele ano, rodou por diversos clubes, passando por Goiás, Sport, Náutico e Vitória, entre outros. Desde 2013, no entanto, ele parece ter se encontrado no futebol paraense – primeiro, com a camisa do Paysandu, e a partir de 2014, no Remo. Com alta popularidade em Belém (PA), ele tenta uma vaga na câmara municipal pelo Partido Social Democrático (PSD).

11. Araújo

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Você, que acompanhou o futebol nacional do início do século 20, certamente se lembra de ver Araújo tocando o terror com a camisa do Goiás, no Serra Dourada. Veloz, goleador e criativo, o atacante eternizou seu nome na história do clube esmeraldino antes de passar muitos anos na Ásia. De volta ao Brasil, teve passagens por Fluminense, Náutico e Atlético Mineiro antes de encerrar a carreira, no início de 2016, no Central, de sua cidade natal, Caruaru (PE). É lá onde ele tenta iniciar sua carreira na política, concorrendo ao cargo de vereador pela Rede Sustentabilidade (REDE) e mandando dancinhas estilosas como essa:

P.S.: Como formador de opinião, o DPF adverte: não vote em ninguém – jogador ou não – apenas por seu carisma ou por sua trajetória profissional. Procure conhecer as ideias de seus candidatos e (sim!) dos partidos a que eles são filiados.

Em tempos de tantos aproveitadores na política, é com responsabilidade e critério que você vai transformar a sua cidade, não votando em qualquer um só porque é “figura” ou, pior, porque deu alegria ao seu time. Vote consciente!

Comentários

Jornalista recifense, sócio-diretor do Doentes por Futebol, editor da Revista Febre. Curioso observador de tudo o que cerca o futebol brasileiro e internacional.