Rúben Semedo, a nova fortaleza sportinguista

Dissociar a história do Sporting Clube de Portugal da produção caseira de talentos é impossível. Seu maior artilheiro histórico foi formado no clube, assim como o atleta que mais vezes envergou o manto leonino. Não bastasse, os únicos jogadores portugueses que conquistaram o prêmio de Melhor Jogador do Mundo da FIFA também tiveram sua formação no alviverde lisboeta, que não para de produzir bons jogadores. Se William Carvalho, Rui Patrício e Adrien Silva já estão consolidados, há outros se firmando em Alvalade. É nesse contexto que ascende a firmeza de um beque promissor: Rúben Semedo.

De ascendência cabo-verdiana, mas português de nascença, o jovem zagueiro de 22 anos começou verdadeiramente sua formação no modesto Futebol Benfica, equipe sem qualquer vínculo com o famoso Sport Lisboa e Benfica. Antes, o garoto chegou a passar pelo Sacavenense, contudo, viveu período muito difícil em sua adolescência e entre a passagem por sua primeira equipe e a chegada à segunda, passou alguns anos afastado dos campos.

Foto: Sporting.pt/pt

Seu período no Futebol Benfica foi curto e curiosamente o destino que o jogador tomou – o Sporting – passou pelo rival máximo dos Leões. Foi em uma derrota massacrante para as Águias que Semedo chamou atenção. De forma insólita, nem o 8×0 no placar impediu o beque de ser escolhido o melhor jogador em campo. Em função dessa aparição e de uma ligação, representantes do Sporting foram observar o garoto e, na sequência, o jogador passou a vestir o mais famoso uniforme verde e branco lusitano

Casos assim são raros, mas acontecem; em geral, expondo jogadores destinados ao sucesso. Foi assim, por exemplo, com o zagueiro Lúcio, que ao final da década de 90 chamou a atenção do Internacional, após representar o pequeno Guará-DF e ser derrotado por 7×0 pelo Colorado.

Voltando ao assunto principal, é também interessante observar que devido as suas qualidades técnicas e capacidade física, Semedo chegou ao Sporting como um meio-campista. Como relatou Luís Dias, um dos treinadores do clube, ao portal MaisFutebol, o jovem só foi convertido em zagueiro em razão da saída de Eric Dier, hoje atleta do Tottenham, para o Everton e de uma lesão de Tobias Figueiredo. Tal mudança se mostrou fundamental para Rúben, que em 2013 estreou como profissional. Entretanto, sua afirmação se deu somente na última temporada.

Foto: Sporting.pt/pt

Em 20 de outubro de 2013, o jogador deu seus primeiros passos no futebol profissional. Na ocasião, substituiu o argentino Marcos Rojo e disputou um tempo contra o modestíssimo SC Alba, pela 3ª rodada da Taça de Portugal. Demoraria mais de uma temporada para que voltasse a vestir a camisa dos Leões.

Após atuar a temporada 2013/14 praticamente inteira pelo Sporting B, o defensor foi emprestado ao pequenino CF Reus, então na terceira divisão espanhola, retornando na campanha seguinte. Nela efetivamente passou a ser utilizado, mas não desde o início – Semedo começou a temporada 2015/16 emprestado ao Vitória de Setúbal, mas a convergência de alguns fatores ocasionou seu retorno a Alvalade em janeiro de 2016.

Foto: FPF.pt

No inverno europeu, o treinador Jorge Jesus viu Tobias Figueiredo sofrer problemas físicos, assim como Ewerton, Paulo Oliveira e Naldo também tiveram durante a temporada. Por isso, pediu reforços e recebeu o uruguaio Sebastián Coates, por empréstimo. Nesse contexto, Semedo foi chamado de volta e se tornou titular – entre sua estreia na 20ª rodada do Campeonato Português e o final da temporada, perdeu apenas uma partida, por suspensão.

Sua evolução, é bom dizer, também tem muito a ver com a ascensão do beque charrua, com quem se encaixou muito bem.

“O segredo está no trabalho. O mister tem grande qualidade e ensina-nos bem. Vejo com bons olhos estar a ser reconhecido. Estou focado no Sporting e em ajudar a equipa. Fernando Santos? Não sabia que estava presente (no estádio) mas é um objetivo meu chegar à seleção”, disse Semedo após a vitória do Sporting contra o Légia Varsóvia, pela UEFA Champions League.

Semedo chama atenção de qualquer um que o vê, não só pelo cabelo ou por sua estatura. Zagueiro muito rápido, apto ao jogo com os pés (até o momento acerta uma média de 90,6% dos passes que tenta no Campeonato Português) e pelo alto, vai bem às interceptações e desarmes, com média, na atual temporada, de 2,8 e 2 por partida.

https://www.youtube.com/watch?v=MmHbMKrkUkE

Seu jogo é muito físico, agressivo e preciso. Por isso, mostra aptidão para atuar também no meio-campo. No entanto, é um diamante bruto a ser lapidado, ainda exagerando por vezes no uso da força e na expressão de sua vontade.

Com passagem pelos times sub-20 e sub-21 de Portugal, aguarda um chamado à Seleção das Quinas, o que não deverá tardar.

“O Gelson e o Rúben Semedo fazem parte da equipa do Sporting quase sempre como titulares. Não vai demorar muito tempo para o Rúben Semedo também ser chamado à Seleção. Isto é fruto do trabalho da formação do Sporting, que produz muitos ativos e depois com um treinador que saiba potencializar isso torna-se mais fácil”, disse Jorge Jesus em entrevista coletiva após a convocação de Gelson Martins à Seleção Portuguesa.

Aliás, com predicados técnicos raros, Rúben já tem chamado a atenção de outras equipes. Ultimamente, foi noticiado interesse de Milan, Everton, Chelsea e Southampton em seu futebol, estando seu valor rondando algo entre £10 e £15 milhões. Seu contrato, no entanto, vige até 2022 e não deverá ser tarefa fácil tirá-lo de Alvalade.

Com futebol muito sólido, qualidades técnicas difíceis de encontrar no mercado, muita autoconfiança e apoio de seu treinador, Semedo vai, rapidamente, pavimentando sua trilha no futebol europeu.

Olho nele!

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 24 anos. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Estou também no O Futebólogo, no Chelsea Brasil e na Corner.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.