A temporada de afirmação de Mattia Caldara

  • por Raniery Medeiros
  • 6 Meses atrás

Equipe sensação da temporada 2016/2017 do Campeonato Italiano, a Atalanta nos brindou pelo bom futebol jogado. E, acima de tudo, através de jogadores como Berisha, Rafael Tolói, Conti, Papu Gómez e Mattia Caldara. O último, por sinal, foi quem encheu os olhos deste que vos fala. Trata-se da afirmação e ascensão do zagueiro que não teve medo de jogar Série B. Para depois potencializar sua carreira na 1ª divisão.

Início

Natural de Bergamo, Mattia esteve sempre capacitado à prática do esporte. Iniciou sua profissão tendo que mostrar sempre o algo a mais, pois seu aspecto emocional não o credenciava ao futebol de primeira linha. O processo de maturação teve de adaptar-se ao jogo mais pegado e intenso da Série B italiana. Fato este que não o intimidou em nenhum momento.

Chegou ao modesto Trapani em 2014/2015. Foi na Sicília que encarou a missão de manter o time na 2ª divisão italiana. Roberto Boscaglia, então treinador, decidiu colocá-lo no banco. Caldara entrava apenas esporadicamente nas partidas. Isso obstinou o atleta, que após vários infortúnios, enfim assumiu a titularidade. Bom posicionamento, extremamente perigoso no jogo aéreo. Características que o definem até hoje. Bem, voltando ao Trapani, Boscaglia não resistiu as dez partidas sem vitória e foi demitido. O conhecido Serse Cosmi assumiu a equipe. O novo treinador apostou em Mattia como titular e tirou o time da briga contra o rebaixamento. O zagueiro, além de confiante, começou seu histórico de goleador. Balançou as redes nas duas últimas rodadas, sendo eleito o melhor em campo contra o Avellino e Pro Vercelli. No fim, ajudou sua equipe a figurar na honrosa 11ª colocação.

Mais rodagem

Experiente e habituado ao estilo e ritmo de jogo da Série B, foi emprestado ao Cesena. No 4-3-3 de Massimo Drago, fez parceria com o islandês Hordur Magnússon. Atuou em 27 das 42 partidas, fez três gols. E colabirou com sua equipe na ida aos playoffs, vislumbrando o acesso. O sonho acabou na derrota para o Spezia, em casa. Apesar da meta não ter sido alcançada em 2015/2016, Caldara foi repatriado pela Atalanta.

De volta a Bergamo

Agora sim, série A do Calcio. A vitrine para jogar bem e conseguir um bom contrato com alguma equipe de maior expressão. Sob a batuta do ótimo Gian Piero Gasperini, com quem aprendeu mais a fundo sobre modelos táticos, atuou de maneira impecável. Fez parte, sendo peça fundamental, para obter a 4ª melhor defesa da competição. E consequentemente levou o time à Liga Europa. Não restam dúvidas sobre o jovem de apenas 23 anos de idade, principalmente ao relatarmos sua capacidade.

 

Sua regularidade fez com que a poderosa Juventus o procurasse para assinar um contrato. Seria amadorismo da Juve perder tal oportunidade de mercado, visando o futuro. Mattia Caldara foi eleito o homem da partida em três oportunidades em 16/17. Sendo uma delas na vitória de 2×0 sobre o Napoli, quando anulou Dries Mertens. E para fechar com chave de ouro fez os gols da partida.

 

 

Lembra da fama de zagueiro artilheiro? Pois é! Foram sete tentos em 30 partidas disputadas. O garoto tende a evoluir ainda mais.

Elencar suas qualidades torna-se fácil, sobretudo após a excelente temporada realizada com a Atalanta. Posiciona-se bem, interceptações precisas e aperfeiçoamento no jogo aéreo. Em contrapartida, não espere dele lançamentos à la Bonucci, tampouco a técnica apurada. Raça, comprometimento tático e dedicação. Mattia Caldara já é realidade.

O reconhecimento da boa temporada veio na convocação de Giampiero Ventura, chamando-o para jogar pela Azzurra nas partudas contra San Marino e Uruguai.

.

Comentários