Precisamos falar sobre essa geração portuguesa

  • por convidado
  • 5 Meses atrás
(por Rodrigo Jufo)

Alguns deles ainda eram crianças, em 2004. Quando viram seu país ser machucado pela zebra grega na final da Eurocopa. Agora avancemos no tempo, até 2016. Portugal x Hungria, jogo decisivo que vale vaga para a fase seguinte do certame. Em campo representando os lusitanos, apenas Cristiano Ronaldo estava no dia que nenhum lusitano gosta de lembrar. Justamente ele, que passou de jovem promessa na época para se tornar a maior referência de toda nação. Zebras como a Euro 2004 à parte, ver a seleção portuguesa entre as melhores da Europa não é novidade.

A Eurocopa Sub-21 (2015) foi uma amostra da boa geração portuguesa. Alguns deles seguiriam progredindo e ajudariam na conquista do maior título da história de seu país. No Sub-21, Portugal foi vice-campeã, após derrota nos pênaltis para a Suécia.

 

Três de seus jogadores figuraram na lista de convocados de Fernando Santos para a Eurocopa 2016: João Mario, Raphael Guerreiro e William Carvalho. Além deles, Renato Sanches, Rafa Silva, André Gomes, Cedric Soares e Danilo, foram outras jovens apostas para a disputa da Eurocopa na França.

O expoente Cristiano e seus companheiros em busca de afirmação

Portugal chegou a Euro 2016 como a sexta seleção mais valiosa do torneio (dentre as 24). Com grande peso do valor de mercado de seu astro Cristiano Ronaldo. Mas, também contava com o segundo jogador mais jovem do torneio: Renato Sanches. O volante chegou badalado, pois tinha acabado de ser vendido pelo Benfica ao Bayern. E por nada mais nada menos que 40 milhões de Euros.

Aos poucos, o elenco que era desacreditado foi se encontrando no torneio. Os portugueses foram avançando e chegaram à final para enfrentar a temida anfitriã França. Dos onze titulares e três reservas que entraram na conquista do título, cinco tinham menos de 25 anos – e todos começaram o jogo.

 

Renato Sanches

É uma das principais figuras da promissora geração portuguesa. Nascido em 1997, surgiu no Benfica e rapidamente encantou a Europa com seu bom passe, visão de jogo e poder de marcação. Não à toa foi logo comprado pelo Bayern. Mesmo assim, a imprensa portuguesa tratava como dúvida a convocação de Renato para a Euro. Em vista de sua pouca idade e proximidade da competição. Após longa novela, Fernando soltou a lista. O volante estava entre os 23 que representariam Portugal numa Eurocopa.

Renato foi reserva durante a maior parte do torneio. Aos poucos, acabou se tornando peça importante do time. Entrou em quase todos os jogos e marcou o gol decisivo contra a Polônia, nas quartas de final. O chute de Sanches empatou o jogo e garantiu a ida de Portugal para a disputa dos pênaltis. Suas boas atuações o fizeram ser eleito o melhor jovem da competição.

 

Pelo Benfica, disputou 35 jogos, em sua primeira temporada como profissional. Marcou 2 gols e ajudou a conquistar a Taça da Liga e o Campeonato Português. Os títulos pelo Benfica e pela seleção também valeram a Renato Sanches o prêmio Golden Boy de 2016. O troféu  é dado ao melhor jogador jovem do futebol europeu.

No final da temporada 2015/2016, foi para o Bayern com a dura missão de concorrer a um espaço num time estelar. Javi Martínez, Xabi Alonso, Philipp Lahm e Arturo Vidal eram seus concorrentes para a posição de volante. Renato acabou jogando muito menos, em 2016/2017, do que na sua temporada de estreia pelo Benfica, o que era esperado. Mas, dada sua juventude, tem tempo de sobra para conquistar seu espaço com paciência. Com a aposentadoria de Xabi AlonsoRenato pode vislumbrar mais minutos em campo pelos Bávaros no futuro.

Eliminatórias para a Copa 2018: mais jovens portugueses a caminho

Após a inédita conquista da Euro, Fernando Santos começou a convocar mais jovens para a disputa das Eliminatórias. Na derrota para a Suíça por 2 x 0, tratou de chamar mais dois jovens talentos que estavam despontando no cenário do futebol. Bernardo Silva e André Silva.

Bernardo foi um dos principais responsáveis pela bela temporada do Mônaco. Os monegascos avançaram até as semifinais da Uefa Champions League e foram campeões da Ligue 1. O ex-camisa 10 da equipe do principado, nascido em 1994,  brilhou tanto contra o Manchester City, que Pep Guardiola não titubeou em pagar 48 milhões de euros – segundo informações extraoficiais – para contar com seus serviços na temporada 2017/2018.

 

Chegou no Mônaco em 2014, por empréstimo, após integrar a equipe dos melhores jogadores da Eurocopa Sub-19 (2013) e a tríplice coroa pelos Encarnados (conquistando o Campeonato Português, a Taça de Portugal e a Taça da Liga). Depois de uma temporada emprestado, agradou aos franceses e foi comprado em definitivo por 16 milhões de euros. Bernardo é um daqueles meias completos, capaz de executar várias funções pelo gramado:

Fonte: whoscored.com

O baixinho tem tudo para crescer ainda mais sob a tutela de Guardiola.


Leia mais: Bernardo Silva, o príncipe luso


André Silva

Desde a aposentadoria de Pauleta, Portugal sente a falta de um camisa 9 nato. Hélder Postiga, Hugo Almeida, e Éder, autor do gol do título da Eurocopa, são exemplos de jogadores que não conseguiram substituir a altura o ex-atacante do PSG. Algumas vezes, por falta deste fazedor de gols, Cristiano Ronaldo chegou a ser utilizado como centroavante. O precoce André Silva parece ter chegado para suprir esta carência na seleção portuguesa.

O atacante surgiu no Porto e chegou à equipe principal em 2015, após marcar 15 gols em 20 jogos pelo Campeonato Português de juniores e 4 gols em 6 jogos pela Liga dos Campeões Sub-19. Em sua primeira temporada nos profissionais, André marcou 3 gols em 14 jogos. Foi reserva imediato do camaronês Aboubakar, substituto de Jackson Martínez, vendido ao futebol chinês. Seu bom rendimento fez com que, ao final da temporada, o Porto emprestasse Aboubakar ao Besiktas e lhe desse uma vaga na equipe titular.

André agarrou a chance e correspondeu. Na atual temporada 2016/2017, sua primeira como titular da equipe dos Dragões, foi o artilheiro do time. O jovem artilheiro, nascido em 1995, participou em 29 gols da campanha do Porto (21 gols e 08 assistências). Como reconhecimento pela ótima temporada, inclusive, foi selecionado para equipe de revelações da Champions League.

 

O talentoso atacante possui faro de gol, mas também sabe servir aos companheiros. Seu repertório é vasto:

Novos ares para André

Não é de se estranhar que o Porto não conseguiu segurá-lo. André está de malas prontas para Milão. O Milan, que vive processo forte de reformulação, aposta em seu talento para reforçar sua produção ofensiva. O atacante chega custando aproximadamente 38 milhões de euros. Mais uma ótima venda para o FC Porto. Sua transferência só fica atrás das de James Rodríguez (45 milhões), Hulk e Falcão (40 milhões cada).


Leia mais: André Silva, o 9 que Portugal precisa


Na convocação seguinte para as Eliminatórias da Copa de 2018, goleadas sobre Andorra e as Ilhas Faroe. Fernando Santos abriu espaço para mais dois jovens. O comandante convocou Nelsinho, de 23 anos, do Benfica, e Gelson Martins, de 21 anos, do Sporting.

Nelson Semedo

Destaque da equipe das Águias, nascido em 1993, apelidado de Nelsinho, é lateral direito titular do Benfica. Somou 43 partidas pelos Encarnados, na temporada 2016/2017. A boa subida ao ataque e o drible são suas principais características e fizeram Fernando leva-lo para a seleção principal. Aproveitou a deixa do lateral titular, Cédric Soares, que estava machucado. Nelsinho acabou não entrando nos jogos, foi reserva de João Cancelo, outro jovem de 22 anos que estava na conquista do título da Euro, o reserva imediato da posição. O lateral não deve ficar no Benfica por muito tempo. Jornais portugueses dão conta de que o Barcelona está em negociações avançadas por sua contratação.

 

Gelson Martins

Gelson Dany Batalha Martins é um atacante de lado de campo que atua no Sporting Lisboa. Um dos pilares do time de Jorge Jesus. Tem como ponto forte a velocidade e a visão de jogo, principalmente em contra-ataques. Sempre presente em todas as divisões de base da seleção portuguesa, estava com André Silva no time que foi vice-campeão Europeu sub-19 (2014) perdendo a final para a Alemanha. Como André, Gelson também foi eleito para a seleção do campeonato.

 

Revelado pelo Sporting e no time titular desde o ano passado, disputou 40 jogos na temporada 2016/2017. Marcou 06 gols e proveu 09 assistências. Sua atuação contra o Real Madrid, em jogo válido pela Uefa Champions League 16/17, resume bem suas qualidades e por que vem sendo especulado em grandes clubes. Seu estilo agudo e veloz, porém sem perder a precisão dos passes e objetividade de seu jogo, certamente é apreciado além Portugal.

Futuro promissor

Com Renato, Bernardo, André, Nelsinho e Gelson, a seleção portuguesa soma 12 jogadores abaixo dos 26 anos. Ainda há que mencionar Raphael Guerreiro (Borussia Dortmund), André Gomes (Barcelona), William Carvalho (Sporting) e João Mario (Inter de Milão). Todos com presenças constantes pelas categorias de base do país. Todos que cresceram com a lembrança, vaga ou presente, do dia que o Estádio da Luz parou de respirar por alguns segundos enquanto a lagrima escorria.

 

Todos extasiados com o dia que a caravela portuguesa afundou o grande navio de guerra francês em plena Paris. Todos com a missão de honrar o futebol português. E com condições de não só apenas fazer jus a nomes como EusébioDeco, Maniche, Figo e Pauleta, mas também ir além. O primeiro passo, a Eurocopa, foi dado. O próximo desafio está próximo. A Copa das Confederações, na Rússia.

 

Capitaneados pelo ex-menino prodígio – que chorou de tristeza em 2004 -, e que agora, como melhor jogador mundo, a seleção de Portugal chega com jogadores de muito talento e faminta por mais feitos inéditos.

Às armas!

Comentários