Os clubes rentáveis e seus negócios

  • por Felipe Simonetti
  • 3 Meses atrás

O mundo dos negócios e transferências do futebol guarda certas peculiaridades: porque o Barcelona é o que é e o Valencia (destaque no início do milênio) não? Como o Porto consegue prospectar revelações como o faz e o Braga segue sendo uma força coadjuvante no futebol português? E por que boa parte dos contratados do Liverpool vem do Southampton e não de um Tottenham ou Napoli?

Todas essas perguntas são abordadas no livro “A bola não entra por acaso” do ex-CEO do Barcelona (e hoje CEO do Manchester City), Ferran Soriano, mas resolvemos ir mais à fundo. Fomos a casos específicos que são somente permeados pela obra literária (obrigatória para os analistas do esporte) e focamos em alguns clubes qualificados como: rentáveis. Clubes os quais possuem um bom destaque no cenário nacional, mas não se expandem para o internacional por serem repassadores de craques e não montadores de grandes elencos.

Lembramos ainda de atletas que passaram por alguns desses times, já movimentaram milhões de euros e hoje se colocam em grandes equipes como é o caso de Sadio Mané, James Rodríguez e Bernardo Silva.

A participação de Gabriel Corrêa (@_GabrielCorrea) e do repórter de negócios do esporte da Época, Rodrigo Capelo (@rodrigocapelo) foram primordiais para o fomento do debate que pode ser complementado com diversas literaturas. Além do livro já citado, há quatro matérias do Footure (uma escrita por mim) sobre Southampton, Ajax, Juventus e Monaco que ajudam a entender melhor o panorama e o blog do Capelo no site da Época ajudam a complementar o debate.

Portanto, não percam tempo e ouçam o Imigrantes 069!

E-mails para imigrantesdabola@gmail.com e mais interações pelo @imigrantescast no Twitter.

Comentários

Capixaba que se mudou para BH e passou a dividir sua paixão principal pelo São Paulo com o Atlético Mineiro, ama acima de tudo, o futebol. Graduando em Relações Econômicas Internacional pela UFMG, podcaster do Imigrantes da Bola e doente por futebol, esse sou eu.