Com conta simples, mas tarefa difícil, Argentina luta por vaga no Mundial

  • por Victor Gandra Quintas
  • 2 Meses atrás

Messi e companhia precisam voltar a vencer nas eliminatórias

Chegou a hora da verdade nas eliminatórias sul-americanas e restam duas vagas diretas e uma na repescagem para cinco países em disputa. No entanto, os holofotes estão todos na Argentina, que aparece na sexta posição e precisa da calculadora na mão para se classificar. A conta até é fácil, o que dificulta é o rendimento da equipe dentro de campo. O melhor de tudo é que toda esta tensão é bem lucrativa nas casas de apostas de futebol.

Calculadora na mão

Mesmo aparecendo fora da zona de classificação, a Argentina aparece mais cotada para ir do que para ficar de fora, dando R$ 1,57 para cada real contra R$ 2,35 por um vexame, segundo dados do Oddsshark.com. A explicação para esses números é simples e se deve a dificuldade dos compromissos dos seus concorrentes.

A questão agora fica para o que os argentinos farão na sua partida. Para a sorte da seleção, a equipe terá pela frente o Equador, que já está eliminado. O problema é que o duelo será fora de casa e certamente o adversário vai querer fazer história. Caso os equatorianos vençam, pagam inacreditáveis R$ 7,50 para cada real, de acordo com estatísticas do Oddsshark.com, e confirmaria Messi e sua turma fora da Rússia.

O empate, que vale R$ 4,70, também não seria nada bom, mas ao menos deixaria as esperanças vivas. Para isso, a calculadora teria que funcionar para valer. Para chegar a classificação desta forma, teria que torcer por uma vitória do Brasil sobre o Chile por dois gols, um triunfo da Colômbia contra o Peru e um tropeço do Paraguai diante a frágil Venezuela. Já por um lugar na repescagem bastaria dois dos três resultados.

Vencer ou vencer

A grande questão da Argentina é fazer o seu papel dentro de campo. A seleção não ganha há quatro partidas e vem de um horrível 0 a 0 com o Peru, em casa. Ainda assim, basta vencer nesta terça-feira que conseguirá um lugar na Rússia. Isso porque o Chile dificilmente vencerá o Brasil, que segue forte e invicto em partidas oficiais com o Tite. Além disso, Peru e Colômbia se enfrentam, o que significa que no mínimo um ficaria abaixo dos argentinos.

Da mão na taça ao vexame

Foi por muito pouco que a Argentina não conquistou a Copa do Mundo de 2014, disputada no Brasil, tendo perdido para a Alemanha na prorrogação. O curioso é que quase toda a base que disputou a última edição está disponível ainda e muitos ainda no auge, como Messi, Higuaín, Aguero e Di María. Isso torna a campanha atual ainda mais decepcionante.

Ao longo da história, somente quatro finalistas ficaram de fora do Mundial seguinte. O caso mais recente foi da Holanda, que chegou ao vice-campeonato em 1978 e não conseguiu se classificar em 1982. Antes disso, Tchecoslováquia (1966), Suécia (1962) e Uruguai (1934) também falharam em voltar a disputa após a perda do título. Este número baixo se deve principalmente ao fato de até 2002 o campeão ter vaga automática na edição posterior, o que fazia com que somente o derrotado precisasse passar pelas eliminatórias.

Neste ano, a Alemanha fez o oposto dos Argentinos e carimbou o passaporte com sobras na Europa, tendo vencido todas as suas 10 partidas.

Longe de tropeços

Apesar de já ter sofrido em outras eliminatórias, a Argentina não sabe o que é ficar de fora de um Mundial desde 1970. Na ocasião, a seleção começou com derrotas para Bolívia e Peru e ficou em situação delicada logo de cara, pois na época a disputa era em formato de grupo. Os argentinos até se recuperaram no segundo jogo contra os bolivianos, porém, não passaram de um empate no reencontro com os peruanos.

O que esperar do jogo

É evidente que a tensão vai atrapalhar a Argentina nesta última rodada. A obrigação de buscar os três pontos deve dificultar o começo de jogo. No entanto, tendo tantos jogadores com capacidade de resolver, é pouco provável que a seleção deixe a vitória escapar. Mesmo atuando fora de casa, vale confiar no triunfo da equipe de Messi, que paga R$ 1,46 para cada real. O resultado por dois ou mais gols de diferença garante mais R$ 1,12 de lucro.

Aliás, pode investir também em um gol do atacante do Barcelona, que rende R$ 1,82 para R$ 1,00, segundo números do Oddsshark.com. O camisa 10 é sem dúvidas a principal esperança da seleção nesta rodada.

 

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).