Tite não merece ser questionado sobre suas convocações?

  • por Victor Gandra Quintas
  • 29 Dias atrás

Nas últimas convocações, desde que a Seleção Brasileira confirmou – de forma inquestionável – sua vaga na Copa do Mundo da Rússia, nós temos montado análises das convocações testes do treinador. De lá para cá a base titular foi mantida como deveria mesmo ter sido, já que Tite conta com jogadores de muita qualidade de boas fases em seus clubes. Ao observar o elenco, alguns nomes foram modificados, mas pouca efetivamente coisa mudou. E isso sim é preocupante.

Como lembrou o colega André Rocha em seu blog, em 2010 Dunga manteve coerência em suas convocações. Algo semelhante ao que Tite vem fazendo. No entanto, no fatídico jogo que eliminou o Brasil daquele mundial, Dunga se viu “atado” a jogadores que pouco poderiam acrescentar ao jogo naquele momento.

É claro que os momentos são muito diferentes. O Brasil de 2010 não tinha tantos talentos como o de hoje, sete anos depois. Na verdade tinha, mas os principais jogadores daquele momento não estavam em suas melhores formas; como Adriano ou Ronaldinho Gaúcho. O Brasil dependia essencialmente do talento de Robinho e Kaká, este ainda voltando de lesão.

Hoje, Tite tem à sua disposição jogadores que são protagonistas em grandes clubes na Europa. Neymar, Gabriel Jesus e Coutinho compõem um trio de ataque de fazer inveja a qualquer seleção, até mesmo na atual campeã mundial, a Alemanha.

 

Mas o que incomoda aos torcedores e grande parte da imprensa é a insistência em jogadores que não tem qualidade para compor o elenco, assim como insistiu Dunga em 2010. Não entraremos mais em detalhes dessa comparação, já que André Rocha o fez muito bem. Mas vamos analisar o elenco atual.

OS GOLEIROS

A única discussão neste setor é a preferência de Tite em contar com Cássio e não testar outros dois atletas que são pedidos por muitos. Fábio, do Cruzeiro e, principalmente Vanderlei, do Santos, tem feito ano excelente. Cássio, o concorrente nesta posição (já que Alisson e Ederson já estão garantidos há algum tempo), também tem feito um ano de qualidade. Entendemos que Cássio já é conhecido do treinador, mas como trata-se de uma posição que dificilmente o jogador será titular na Copa do Mundo, por que não testar os outros dois também?

Vanderlei tem feito um Brasileirão 2017 impecável. Paredão importantíssimo que garantiu pontos ao Santos. | Foto: Ivan Storti/ Santos FC

OS DEFENSORES

Quanto aos laterais, não restam dúvidas. Daniel Alves e Marcelo são incontestáveis. E merecem a posição. Quanto aos reservas, a vez é de Danilo e de Alex Sandro, mantidos desde a última convocação. A ida de Danilo para o Manchester City, sem dúvida nenhuma, ajudou o jogador a voltar à seleção. O que é bom, já que seu concorrente direto é Fágner, que, apesar do bom ano no Corinthians, é mais limitado tecnicamente (e até taticamente, já que Danilo pode atuar em outras posições).

Na esquerda Alex Sandro tem a concorrência direta de Filipe Luís. O lateral da Juventus só conseguiu ser chamado quando Marcelo e o próprio Filipe ficaram indisponíveis. Não há vaga garantida aí, já que ambos são importantes em seus clubes. Alex Sandro se favorece por ter características mais parecidas com o titular Marcelo.

Quanto aos zagueiros, Tite está fechando com Thiago Silva, Miranda e Marquinhos. Jemerson tem sido o quarto convocado da vez e isto é um grande acerto. O atleta do Monaco tem sido indispensável no clube francês, demonstrando merecer a chance. Há, claro, atletas como Geromel (Grêmio) e Felipe (Porto) que têm feito boas temporadas; mas só de não convocar Gil ou Rodrigo Caio mais já está excelente. Tem ainda David Luiz, que vem muito bem no Chelsea, desde a campanha do título da Premier League 16/17. Pesa contra ele a marca do 7×1 da última copa.

 

OS MEIAS

Aqui é que a situação começa a ficar complicada. Jogando com 3 atletas do setor, temos Casemiro, Paulinho e Renato Augusto titulares já garantidos. Fernandinho é o reserva, também garantido (de Casemiro). O problema são os reservas dos outros dois.

Paulinho e Renato Augusto ainda despertam dúvidas em algumas pessoas. O que é injusto, já que ambos provaram que merecem a vaga. Os dois atletas se completam, revezando no auxílio ao ataque e na posição, mais defensiva. O que preocupa é a ausência de um deles. Tite resolveu chamar Giuliano e Diego Ribas de volta. O que podemos classificar, no mínimo, como questionável.

Giuliano foi chamado em quase todas as convocações de Tite, mas pouco atuou. E mesmo quando teve a chance, não fez nada que justificasse sua presença. Atua no Fenerbahce, em uma liga inferior e antes atuava no Zenit, em liga mais fraca ainda. Quanto a Diego, há tempos o jogador do Flamengo não apresenta nada que valha sua convocação. Até mesmo os torcedores do time carioca tem perdido a paciência com ele.

Em comparação, nomes como Fabinho (Mônaco), Allan e Jorginho (ambos do Napoli) seriam opções excelentes e em boa forma para estarem no grupo. O Napoli é um dos clubes que vem apresentando melhor futebol no velho continente. E vou além: a dupla do Napoli não deve em nada a dupla atual da seleção. Allan e Jorginho podem muito bem fazer o que Paulinho e Renato Augusto fazem.

 

Há ainda opções como Talisca, que atua no mesmo futebol turco que Giuliano e tem jogado muito mais bola. Ainda, no Brasil, Thiago Neves, como já falamos no texto anterior, tem sido muito mais eficiente no ano que Diego. Até mesmo Gustavo Scarpa poderia ser testado, o canhotinho vem sendo importante para o Fluminense. E não citarei Luan, do Grêmio, pois este está, infelizmente, machucado há algum tempo.

O ATAQUE

É ainda mais impressionante quando chegamos ao setor de ataque. As “novidades” são Diego Souza, Taison e Douglas Costa. Dos três, o único que pode mostrar algo realmente bom e o meia-atacante da Juventus. Mesmo que Douglas não esteja em excelente fase, já provou que pode ser um diferencial em qualquer equipe.

 

Já os outros dois, bem, vejamos: Diego Souza não é o mesmo há meses. Apesar de ter atuado bem em alguns jogos com a camisa da seleção, não tem qualidade para ser reserva nem no meio-campo e nem no ataque, pelo que vem apresentando atualmente. Aliás, seu time (Sport Recife) vem flertando com a zona de rebaixamento há algum tempo.

Taison é o mesmo caso de Giuliano. Jogando no Shakhtar, nunca mostrou anda de diferente na seleção que merecesse tamanha confiança. Ao contrário de Diego Souza, vive bom momento em seu clube, até mesmo na Liga dos Campeões. Mas há opções que poderiam ser testadas, já que este é um período para isso.

Malcom (Bordeaux) e Richarlison (Watford) jogam em ligas mais competitivas e, mais que isto, são destaques de suas equipes. Ser destaque no Watford, sendo decisivo para que o time ocupe a parte de cima da tabela na Premier League é feito que merece atenção. E o que o ex-corintiano vem fazendo na Ligue 1 também é bastante animador.

 

Caberia ainda dar uma chance a Willian José. Sim, este é um nome que gera desconfiança só de falar, mas o jogador tem feito maravilhas no campeonato espanhol; ajudando a Real Sociedad a ficar Sempre em posições superiores. Se Taison tem chance, porque não Willian ser testado?

 

A FALTA DE CRITÉRIO

O que mais impressiona no discurso do Tite é de que ele insiste em dizer que o grupo não está fechado. Bem, vendo suas convocações, podemos notar que não é o que o treinador transparece. Na última convocação, tivemos a presença de Fred (Shakhtar), Tardelli (Shandong Luneng) e Arthur (Grêmio). Mas nenhum dos três sequer entrou em campo. Como comentamos no texto sobre a convocação, questionamos a presença dos dois primeiros. Mas se foram chamados, por que não usá-los? Testar só em treinamento pode ser pouco, ainda mais quando se usa os mesmo atletas nos jogos e são feitas as mesmas mudanças.

O grupo que vai à Rússia parece cada vez mais estar fechado. Assim que a vaga na Copa foi garantida, nós falamos sobre as alternativas de Tite para testar. Porém, parece que o treinador não pretende explorar outras opções que o Brasil pode ter.

É por isto que a interrogação no título cabe muito bem. Muita gente trata Tite como inquestionável. Não esqueço que ele tem muitos méritos ainda e merece nossa confiança. Não duvido que ele possa ser campeão com o time que tem, com as estrelas que tem, mas assim como disse André Rocha, tivemos uma experiência negativa que nos deixa com a pulga atrás da orelha.

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).