Balanço dos selecionáveis brasileiros a um semestre da Copa

  • por Doentes por Futebol
  • 8 Meses atrás
(Por: Sérgio Lopes)

Conforme se aproxima a Copa do Mundo de 2018, aumenta a expectativa sobre quais jogadores Tite levará para a Rússia em junho. Encerrada a primeira metade da temporada na Europa, onde a maioria dos nossos jogadores atua, é hora de fazer um balanço, a fim de apontar quem subiu e quem desceu.

Vamos ver quem merece um sinal de alerta e quem poderia merecer uma chance.

Os goleiros

Havia expectativa sobre como Alisson (Roma) e Ederson (Manchester City) se comportariam na temporada. Os jovens goleiros teriam uma prova de fogo pela frente ao assumir a titularidades de times de ponta na Europa. Havia muita desconfiança, porém a avaliação até aqui não poderia ser melhor. Ambos fazem ótima temporada, demonstrando segurança e sendo decisivos com boas defesas. Em relação ao terceiro nome, embora Cássio esteja na frente, é bom ficar de olho em Marcelo Grohe, campeão da Libertadores fazendo milagres.

 

Os defensores

Na zaga, Miranda vem fazendo boa temporada na Inter de Milão. Thiago Silva e Marquinhos são titulares do PSG. Mas, embora o time francês tenha se tornado um dos mais potentes da Europa com a chegada de Neymar e Mbappé, a equipe sofre muitos gols e não raro com vacilos da zaga. Merecem ir à Copa, mas deve-se ter atenção. A quarta opção que tem sido convocada por Tite é Jemerson (Mônaco) que faz temporada muito ruim, cometendo erros grotescos. A vaga dele está aberta e quem merece ser testado “pra ontem” é Geromel (Grêmio). O xerife do Imortal é o zagueiro brasileiro em melhor forma no momento.

 

Nas laterais

Nas laterais, Marcelo e Daniel Alves mantém o nível. Seus reservas, no entanto, são incógnitas. Na esquerda, Filipe Luis e Alex Sandro fazem disputa ferrenha. Uma das mais acirradas, não tendo nenhum dos dois se destacado tanto na atual temporada. Mas, o fato de o Atlético de Madrid de Filipe já estar eliminado da Liga dos Campeões e de não fazer campanha tão regular na liga nacional pode fazer a diferença em favor de Alex Sandro, que ainda por cima é mais jovem. Na direita, nenhuma opção muito confiável para a suplência. Danilo, que tem jogado pouco no City, deve disputar a vaga com o campeão brasileiro Fágner.

No meio-campo

Em relação aos volantes, as notícias são boas. Casemiro segue como xerife do meio campo do Real Madrid. Paulinho chegou ao Barcelona cercado de desconfiança. Porém conquistou a torcida e a crítica catalãs com boas atuações e gols. Outro que subiu muito de conceito foi Fernandinho. O volante brasileiro tem jogado muito no Manchester City e deve ameaçar a titularidade de Renato Augusto, que não vinha bem nos últimos jogos. Quem aparece correndo por fora por uma vaga é Arthur, melhor jogador da final da Libertadores e pretendido por gigantes europeus.

 

No meio campo ofensivo, Coutinho tem brilhado intensamente no Liverpool e chegará ao Mundial da Rússia como a grande estrela brasileira ao lado de Neymar.

 

Willian, embora não seja titular sempre no Chelsea, sempre corresponde quando acionado. E será peça importante para o Brasil, ainda que seja vindo do banco. Luan, melhor jogador da Libertadores, merece novo teste. Ainda que tenha decepcionado na final do Mundial de Clubes. É um jogador com condições de mudar o panorama de um jogo, assim como aconteceu nas Olimpíadas.

 

Por fim, a vaga que tem sido ocupada por Diego, do Flamengo, está aberta. Já que a sua convocação não tem sido justificada por suas atuações. As opções não são muitas, entre elas vale a pena acompanhar o desenvolvimento de Lucas Lima no Palmeiras.

O ataque

No ataque, nosso grande craque Neymar tem ótimos números na sua nova equipe, apesar dos rumores de problemas internos. Deve chegar à Rússia em boa condição física. O calendário francês não é tão exigente e o PSG ainda pode se dar ao luxo de poupá-lo em jogos de menor importância

Um sinal de alerta deve ser ligado para Gabriel Jesus, que tem tido dificuldades em se firmar como titular do City. Óbvio que sua vaga na Copa está garantida, e com justiça. Mas seria imprudente não pensar em alternativas a ele, em se tratando de um jogador ainda em formação. Uma dessas alternativas é Roberto Firmino. O 9 do Liverpool e vem fazendo temporada até melhor que o jovem do City.

Richarlison (Watford) merece ao menos um teste. Pode entrar na vaga de Diego Souza, cuja convocação nunca foi lá muito coerente. A seleção carece muito de um jogador de ataque que venha do banco e bote fogo no jogo. E Richarlison pode ser esse cara.

 

Temos pela frente mais um semestre de observação, em que tudo pode mudar. O importante é que as portas se mantenham abertas para o grupo final e também para o time titular. O histórico recente mostra que fechar o grupo a essa altura é uma grande armadilha. Então é preciso que Tite tenha coragem para inovar e testar novas possibilidades.

Comentários