Teimosia de Rueda e tradição argentina são obstáculos para Flamengo na final da Sul-Americana

  • por Doentes por Futebol
  • 3 Anos atrás

Treinador colombiano insiste em não dar chance a Vinicius Junior de começar jogando, enquanto que Independiente é considerado o ‘Rei das Copas’

Nesta quarta-feira (13) chegará ao fim mais uma edição da Copa Sul-Americana. Depois de perder por 2 a 1 no jogo de ida, o Flamengo receberá o Independiente, da Argentina, precisando da vitória de qualquer maneira para ainda sonhar em levantar uma taça antes do fim de 2017. Como na grande final não existe o critério de gol fora de casa, o time de Reinaldo Rueda precisa fazer dois ou mais tentos para se sagrar campeão nos 90 minutos. Se vencer por um gol de diferença, a disputa vai para a prorrogação, e se por assim ficar teremos a decisão por pênaltis. Confira com o OddsShark.com qual a melhor possibilidade para fazer o seu investimento e se dar bem em apostas em futebol.

Estando atrás no marcador, é claro que os cariocas terão que ir para cima dos argentinos. Mas isso não quer dizer que Reinaldo Rueda fará grandes alterações nos 11 que iniciarão o confronto decisivo. Mesmo com a grande promessa chamada Vinícius Junior no banco de reservas e pedindo passagem, o treinador dá pintas de que manterá seu pensamento sobre o atacante – de que ele não aguenta no mesmo vigor físico os 90 minutos de uma partida profissional. A única mudança pode vir por conta da recuperação do ponta Éverton, que se torna uma alternativa para a posição que vem sendo ocupada por Lucas Paquetá.

Apoiados com a possível presença de mais de 50 mil torcedores no Maracanã e tendo a semana livre para trabalhar após o término do Campeonato Brasileiro, onde ficaram com a sexta colocação, os flamenguistas levam o favoritismo deste confronto. Ainda segundo números do OddsShark.com, a vitória dos donos da casa rende R$ 1,71 por real apostado e é o investimento de menor risco. Mas não que seja fadas contadas. Longe disso.

Ao contrário do rival, o Independiente não teve todo o tempo do mundo para se preparar para a grande decisão. O Campeonato Argentino segue a todo vapor e no fim de semana a equipe comandada por Ariel Holan teve que encarar o Arsenal, de Sarandí. Como a Sul-Americana é prioridade completa para os argentinos neste momento, o treinador optou por colocar seu time reserva em campo e, mesmo assim, venceu por 2 a 1, se mantendo na parte de cima da tabela e próximo aos líderes.

Como se viu no confronto de ida, o Independiente está longe de ser uma equipe frágil, mas também tem seus defeitos. Um deles é a bola aérea, como pudemos constatar no primeiro jogo, quando Réver abriu o placar para o Flamengo de cabeça. Tirando isso, os argentinos contarão com a força de sua tradicional camisa e o apoio irrestrito de seus torcedores apaixonados, uma vez que cerca de dez mil pessoas deixaram a Argentina rumo ao Rio de Janeiro para acompanhar essa final. Claro que nem todos conseguirão entrar no Maracanã, já que apenas quatro mil bilhetes para visitantes foram colocados à venda, mas é uma demonstração enorme de amor.

E quem fica com a taça?

A melhor opção para o Flamengo seria abafar o Independiente logo no começo do confronto e aproveitar a empolgação inicial da sua torcida para buscar romper a barreira da defesa argentina – que com certeza estará bastante fechadinha apenas esperando o contragolpe – com um gol na primeira metade do primeiro tempo. Sem o talento e a ousadia de Vinicius Junior pelas pontas, caberá a Diego comandar e distribuir a armação das jogadas para encontrar os pontas em posições privilegiadas para servirem Felipe Vizeu. O centroavante mostrou faro de gol em partidas decisivas e terá que novamente ser o diferencial em meio aos zagueiros rivais.

Se o tempo for passando e o gol não sair, aquela pressão inicial pode virar cobrança contra o Flamengo. Afinal, com investimentos gigantescos nesta temporada, os cariocas não conquistaram título algum de grande expressão e ainda por cima tiveram uma atuação de coadjuvante completo no Campeonato Brasileiro. Sendo assim, a Sul-Americana pode transformar um ano medíocre do Mengão em 365 dias razoáveis, no fim das contas.

O palpite mais fácil neste caso é ir com a vitória dos donos da casa, empurrados pela sua torcida. No entanto, o OddsShark.com acredita que o empate deve ser levado em consideração por ser um placar bastante plausível e com um retorno bem melhor de R$ 3,40 por real colocado. Com perdão aos flamenguistas, mas o que acha de apostar na igualdade?

Qua (13/12) – 21h45 – Flamengo (1.71) x (5.47) Independiente – Empate 3.40

Comentários