Contratações do mercado de inverno elevam o patamar do Arsenal

  • por Victor Gandra Quintas
  • 2 Anos atrás

Mkhitaryan e Aubameyang são as armas dos Gunners na busca por um lugar no G-4 da Premier League

Uma das principais marcas da Premier League é o equilíbrio técnico entre os clubes. Porém, é evidente que há uma disparidade entre o Arsenal e os seus rivais, principalmente o Chelsea, o Manchester United e o Manchester City. A última vez que os Gunners faturaram o troféu da principal competição nacional da terra da Rainha foi na temporada 2003/2004. Naquela ocasião, o timaço que contava com Thierry Henry, Gilberto Silva, Robert Pirès, entre outros grandes jogadores, faturou o caneco de forma invicta e entrou para a história. De lá para cá a situação deu uma piorada na formação londrina. A melhor colocação conquistada foi o vice-campeonato na temporada 2015/2016, ficando atrás da sensação da época, o Leicester, com a diferença de 10 pontos.

Com a seca de títulos da liga nacional, o trabalho do treinador Arsène Wenger é contestado pela própria torcida e pelos analistas esportivos. O profissional ocupa o cargo desde 1996. Pensar neste tipo de situação no Brasil é praticamente impossível, já que praticamente a cada cinco rodada temos um técnico sendo demitido de maneira precoce. Antes da atual edição do Campeonato Inglês começar parecia que Wenger pediria o seu boné e rumaria para novos desafios. Só que isso não aconteceu e a diretoria renovou o contrato do francês por mais dois anos. A medida foi tomada depois da conquista da Copa da Inglaterra, da temporada 2016/2017, com uma vitória de 2 a 1 sobre o rival Chelsea.

Atualmente, na tabela da Premier League, os Gunners estão na sexta colocação, com 45 pontos ganhos, sendo 13 resultados positivos, 7 negativos e 6 empates. O aproveitamento é de 57.7% Gols foram 51 a favor e 35 contra. Como o título é matematicamente impossível, a busca é por uma vaga na badalada Liga dos Campeões. Em termos de apostas de futebol, caso o clube vermelho termine o campeonato no G-4, o rendimento é de R$ 8,00 por 1 no Oddsshark.com. Falando em competições continentais, o Arsenal encarará o Östersunds, da Suécia, pela segunda fase da Liga Europa.

O mercado trouxe ótimas novidades para os Gunners

Durante os últimos anos, o clube londrino deixou de ser uma formação compradora de atletas para se tornar vendedora, até pelo fato de investir em muitos jogadores tidos como promessas – algumas nem chegaram a vingar. O torcedor pode falar que o Wenger está ultrapassado, que já deveria ter saído, mas tem que admitir que o treinador fez belas negociações na janela de transferências de inverno, agora em janeiro, pela temporada 2017/2018.

O meia-atacante chileno Alexis Sánchez estava claramente desinteressado no Arsenal e procurava de qualquer maneira um jeito de trocar de equipe. Não era de hoje que ele queria sair. A solução encontrada foi mandar o sul-americano para o Manchester United e receber em troca o meio-campo armênio Henrikh Mkhitaryan, que não vinha sendo utilizado pelo técnico português José Mourinho.

Quem também chegou ao Emirates Stadium foi o atacante gabonês Pierre-Emerick Aubameyang, vindo do Borussia Dortmund, da Alemanha. O atacante francês Olivier Giroud se transferiu para o Chelsea. Outra importantíssima novidade foi a renovação de contrato, por mais três anos e meio, do meio-campista alemão Mesut Özil, contratado em 2013 junto ao Real Madrid. Este atleta é peça fundamental no time do Wenger.

Fica claro e evidente que o Arsenal ficou mais forte com estas adições. Juntar Mkhitaryan e Aubameyang, dois grandes amigos que tiveram sucesso no Dortmund, foi uma grande sacada. Na partida da 26ª rodada da Premier League, atuando em casa, o Arsenal goleou o Everton por 5 a 1. Aubameyang marcou um dos gols e Mkhitaryan deu três assistências para os seus companheiros balançarem as redes do Toffees. É ou não é amimador?

No próximo sábado, dia 10 de fevereiro, o Arsenal tem um grande desafio para provar aos críticos que é, de fato, um time melhor dentro de campo. O adversário é nada mais nada menos que o grande rival Tottenham, em Wembley, pelo Campeonato Inglês, às 10h30, no horário de Brasília.

De acordo com o Oddsshark.com, um resultado positivo dos Gunners paga R$ 3,50, enquanto que o triunfo dos Spurs está cotado em R$ 2,00 por 1. O Tottenham está no quinto lugar da tabela, com 49 pontos, e vem de um emocionante empate de 2 a 2 com o Liverpool, fora de casa, no Estádio de Anfield. São 14 resultados positivos, 5 negativos e 7 igualdades, com aproveitamento de 62.8%. Foram marcados 51 gols e levados 24.

Vale relembrar que no duelo do primeiro turno, disputado no dia 18 de novembro de 2017, no Emirates Stadium, o Arsenal levou a melhor e venceu pelo placar de 2 a 0, com gols de Mustafi e Sánchez. Em 181 confrontos do derby do Norte de Londres, o Arsenal ficou com a vitória em 76 oportunidades e o Tottenham triunfou 56 vezes. Empates foram registrados 49 ao longo dos encontros.

Ainda falando de apostas, vamos apresentar para você uma possibilidade bem interessante, hein! Se os Gunners vencerem tanto o primeiro quanto o segundo tempo de jogo, a cota que será paga é de R$ 12,00 a cada real aplicado no Oddsshark.com. Agora, nos resta esperarmos o restante da temporada para vermos se o Arsenal irá nos decepcionar ou nos orgulhar. Qual é a sua opinião?

Confira o próximo jogo do Arsenal na Premier League:

Sábado (10 de fevereiro)

10h30 – Tottenham (R$ 2,00) x (R$ 3,50) Arsenal. Empate: R$ 3,70

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).