Bernard em busca de novos ares

  • por Victor Gandra Quintas
  • 6 Meses atrás

Um dos destaques da conquista da Libertadores de 2013 pelo Atlético-MG, Bernard anunciou, de acordo com o site Goal,  que não renovará seu vínculo com o time Shakhtar Donetsk, time que defende desde que deixou o clube brasileiro.

Não é segredo para ninguém que o sonho do jogador sempre foi defender uma equipe mais expressiva do futebol europeu. E ele tem tudo para fazê-lo agora. Tirando aquele ano de 2013, que o credenciou a uma vaga na convocação do Felipão para a Copa de 2014, Bernard vive um dos melhores momentos de sua carreira. Titular absoluto do time, forma com os outros brasileiros uma força surpreendente na Europa.

 

Supremacia ucraniana

 

O Shakhtar é, facilmente, o time em melhor fase em seu país. É o líder do campeonato nacional e tem feito bonito na Liga dos campeões, chegando, inclusive, a vencer o excepcional Manchester City na fase de grupos, por 2×1. Bernard, inclusive marcou o primeiro gol da partida.

Se classificou para as oitavas de final ultrapassando o eficiente Napoli. Ficou 3 pontas atrás do líder Manchester City. Já garantiu a vitória na primeira partida contra a Roma e, assim, tendo chances de avançar na competição.

 

A chance de Bernard

 

Sabendo que tirar jogadores do Shakhtar é um desafio para qualquer equipe, Bernard deve aproveitar a chance para atuar em outro país da Europa, algum centro mais competitivo.

No início do ano, o jogador chegou a ser sondado pelo Palmeiras, mas não teve acordo. O Shakhtar até tentou envolver o jogador em negociações com clubes chineses, como o Hebei Fortune e o Jiangsu Suning, mas o atleta de 25 anos recusou.

O Arsenal, na temporada passada, demonstrou interesse no futebol de Bernard. Ainda não há notícias de possíveis destinos do ponta. De toda forma, é a chance do jogador provar que pode atuar em clubes com mais desafios.

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).