Para finalmente exorcizar o 7 a 1, Brasil desafia Alemanha em Berlim

  • por Doentes por Futebol
  • 3 Anos atrás

Créditos da imagem em destaque: Pedro Martins / MoWA Press

Olimpíada à parte, encontro desta terça-feira é o primeiro desde o Mundial de 2014

 “Lá vem eles de nooovo!” Muitos de nós, torcedores brasileiros, só de ouvirmos esta frase dita pelo narrador Galvão Bueno sabemos a que ela se refere, não é? A citação foi falada durante o 7 a 1 que o Brasil levou da Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014, no Mineirão, em 8 de julho. Nesta terça-feira, 27 de março, às 15h45, horário de Brasília, estas duas grandes seleções se enfrentam no Estádio Olympiastadion, em Berlim, pela primeira vez depois da trágica goleada. Teremos uma ótima oportunidade para fazer as nossas apostas de futebol no Oddsshark.com.

Vale lembrar que para o clássico mundial, o treinador Tite não poderá contar com o craque Neymar, que se recupera de uma cirurgia feita no pé direito. Contra a Rússia, na capital Moscou, os brazucas venceram por 3 a 0. Quem vê o largo placar imagina que o duelo foi tranquilo, certo? Pois é, mas não foi bem assim, não. No primeiro tempo, tivemos muitas dificuldades para passar pela defesa da galera de Vladimir Putin. Os gols foram anotados no segundo tempo. Os russos jogam com uma linha de cinco na defesa, assim como devem atuar Suíça, Costa Rica e Sérvia, adversários do Grupo E.

À princípio, a escalação inicial deve ser a seguinte: Alisson, Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Fernandinho, Paulinho, Willian e Coutinho; Gabriel Jesus.

Segundo Tite, o encontro com os alemães não é uma revanche. “O jogo de 7×1 é o último jogo, e temos a naturalidade de saber que vamos enfrentar a Alemanha em Berlim, foi campeã mundial, nos venceu de 7×1, e é uma etapa que passou. Estamos num período de construção e emocionalmente será importante. Contra a Alemanha, vamos querer jogar futebol, ser competitivos, mentalmente forte, fisicamente bem, colocar uma ideia de jogo. Procuramos impor nossa forma de jogar.”

Infelizmente, os atuais campeões mundiais vão ter quatro importantes desfalques. O meia Mesut Özil e o volante Thomas Müller foram liberados por conta do desgaste físico depois do empate de 1 a 1 com a Espanha. O volante Emre Can, com dores musculares, é outro atleta que foi liberado, assim como o volante Khedira, que não deve jogar.

Mesmo sem estes quatro importantes jogadores citados nos parágrafos acima, a Alemanha mantém a sua força. O time europeu não perde há 22 jogos. O resultado negativo mais recente foi na Eurocopa de 2016, no 2 a 0 para a França, na partida das semifinais. Nos discursos dos alemães, o próximo embate não será uma revanche. Todos eles foram unânimes em dizer que o atual time do Brasil é superior ao de 2014.

A possível escalação de Joachim Löw é: Ter Stegen, Kimmich, Boateng, Hummels e Plattenhardt; Gündogan, Kroos e Goretzka; Stindl, Sané e Wagner.

Falando agora em apostas, os números do Oddsshark.com, como é natural, mesmo levando em consideração o nosso bom momento, os donos da casa têm um favoritismo ao estarem cotados em R$ 2,20, R$ 1,00 a menos que os visitantes. O empate paga R$ 3,35 a cada real aplicado.

 Histórico de confrontos

Quando falamos em Brasil e Alemanha, estamos falando de 9 títulos mundiais. Quem não se lembra de 2002 na Copa da Coréia do Sul e do Japão? Na oportunidade, nós faturamos o pentacampeonato depois dos dois gols de Ronaldo Fenômeno.

Em 22 encontros, foram 5 vitórias europeias e 12 sul-americanas, além de 5 empates. O nosso triunfo mais recente aconteceu na Copa das Confederações de 2005. Na ocasião, o placar terminou em 3 a 2. Qual vai ser o seu palpite para terça-feira no Oddsshark.com?

Dos atletas convocados, Boateng, Kroos, Hummels, Draxler, Marcelo, Fernandinho, Paulinho, Daniel Alves e Willian estavam presentes no 7 a 1.

Nossos rivais na Copa

Adversária do Brasil na estreia do Grupo E, a Suíça encara o Panamá em casa com o total favoritismo ao seu lado. O time da terra da chocolate paga R$ 1,36 por 1. Já a Costa Rica, com R$ 3,05, em Nice, na França, tem pela frente os africanos da Tunísia, enquanto que a Sérvia mede forças com a Nigéria em Londres. Os europeus podem gerar R$ 2,60 de retorno.

Confira os jogos e as cotas dos amistosos internacionais:

Segunda-feira (26 de março)

15h30 – Portugal (R$ 2,15) x (R$ 3,30) Holanda. Empate: R$ 3,25

Terça-feira (27 de março)

9h20 – Japão (R$ 2,60) x (R$ 2,55) Ucrânia. Empate: R$ 3,45

12h50 – Rússia (R$ 5,75) x (R$ 1,58) França. Empate: R$ 3,80

14h – Irã (R$ 2,20) x (R$ 3,35) Argélia. Empate: R$ 3,20

14h – Suíça (R$ 1,36) x (R$ 8,50) Panamá. Empate: R$ 4,75

15h – Dinamarca (R$ 2,35) x (R$ 2,95) Chile. Empate: R$ 3,30

15h – Egito (R$ 3,45) x (R$ 2,10) Grécia. Empate: R$ 3,30

15h – Nigéria (R$ 2,70) x (R$ 2,60) Sérvia. Empate: R$ 3,15

15h – Senegal (R$ 2,60) x (R$ 2,60) Bósnia. Empate: R$ 3,35

15h30 – Romênia (R$ 2,55) x (R$ 2,80) Suécia. Empate: R$ 3,05

15h45 – Bélgica (R$ 1,21) x (R$ 13,00) Arábia Saudita. Empate: R$ 6,00

15h45 – Alemanha (R$ 2,20) x (R$ 3,20) Brasil. Empate: R$ 3,35

15h45 – Polônia (R$ 1,83) x (R$ 4,30) Coréia do Sul. Empate: R$ 3,40

16h – Colômbia (R$ 1,45) x (R$ 6,75) Austrália. Empate: R$ 4,15

16h – Inglaterra (R$ 2,15) x (R$ 3,35) Itália. Empate: R$ 3,25

16h – Marrocos (R$ 1,44) x (R$ 7,50) Uzbequistão. Empate: R$ 3,85

16h – Tunísia (R$ 2,35) x (R$ 3,05) Costa Rica. Empate: R$ 3,20

16h30 – Espanha (R$ 2,05) x (R$ 3,55) Argentina. Empate: R$ 3,30

20h30 – Estados Unidos (R$ 2,20) x (R$ 3,30) Paraguai. Empate: R$ 3,15

Comentários