A camisa 12

  • por Nilton Plum
  • 5 Meses atrás

O sistema defensivo do Flamengo, hoje composto por: Réver, Léo Duarte, Rodinei e Renê, fez uma partida abaixo do fundo do poço diante do simpático América MG (que até flâmula em homenagem ao Júlio César confeccionou).
A defesa rubro-negra emulou, em seus momentos mais terríveis, aquela zaga Wallace/César Martins de 2015, o pior ano dos 6 anos de gestão Bandeira de Mello no Fla.

Júlio César então se despede do futebol fazendo aquilo para o qual foi predestinado: Salvar o pescoço do Flamengo.
Além de todos os predicativos para o excelente goleiro que foi, possui um que poucos jogadores desta famigerada posição possuem: sorte.

Alguém duvida que se fosse outro, aquela bola caprichosamente desviada, num chutaço de fora da área, não teria miseravelmente entrado em gol?
Com o Júlio ela bateu no travessão …

Júlio veio para o Flamengo encerrar a sua carreira contra sua saúde, pois depende de medicamentos analgésicos para jogar, e contra sua esposa, que nunca foi simpatizante da ideia.

De acordo com os relatos da própria esposa, em meio à famosa DR entre vir e não vir, Julio sentenciou: “Vou ali ser feliz e já volto.”

– Rico
– Bem sucedido
– Ex – melhor goleiro do mundo.
– Ídolo do Flamengo.
– Aposentado aos 38 anos com uma camisa amarela que obviamente lembra outro goleiro ídolo aposentado do Fla: Raul.

Duas situações chamaram bastante atenção fora o canto do cisne de Júlio.
1- Dourado completamente pilhado. Possuído. Acho que ele ainda não tinha tido a sensação de jogar no Maraca com a energia rubro-negra emanando a seu favor. 3 gols em 2 jogos em 1 semana. A partida de Dourado é um prefácio do capítulo da despedida de Júlio. É a síntese do que ele é: um gol de um toque, de carrinho, jogado, na raça, desengonçado e outro gol no que ele sabe fazer melhor tal qual um sniper. Dourado é o Legolas, o Django, o Santo dos Assassinos. Sua bala não desvia na hora do penal.

2- Não houve rubro-negro que não tenha se emocionado com o choro do Juan após o apito final.

A camisa 12, no Flamengo, é aposentada em honra à torcida. NENHUM jogador a usa.
Somente Júlio a usou após a aposentadoria do número.

Júlio César como profissional (estreou em 13/05/1997): 791 jogos 30 títulos → 3º goleiro com mais jogos pelo Flamengo → 5º goleiro com mais jogos pela Seleção → 3 Copas do Mundo → Eleito o melhor goleiro da Europa em 2010.

Comentários

Só há Justiça no aleatório. E nada é mais aleatório do que o futebol. Curte futebol, bebidas, boxe, artes em geral e farofa.