Um sonho chamado Vasco da Gama

  • por Victor Gandra Quintas
  • 6 Meses atrás

O Vasco tem vivido um turbilhão nos últimos anos. Tanto dentro quanto fora de campo o time não tem conseguido sustentar a grandeza histórica que tem. A crise na última eleição para presidência do clube foi a gota d’água na atual situação cruzmaltina, refletido na dificuldade de fechar com um patrocinador máster. Além disso, dentro de campo, o Vasco amargou rebaixamentos e fracos desempenhos. Mesmo os títulos estaduais conquistados em 2015 e 2016 não foram suficientes para devolver ao vascaíno a esperança de dias melhores, já que o time se encontrava na série B do Brasileirão. Portanto, é fato que a situação do time não é das melhores, mas o ano de 2018 tem servido de alento para quem deseja a recuperação do clube.

Se a decisão para definir o novo presidente foi bastante discutível, bem como algumas decisões e situações envolvendo as partes, dentro de campo o time tem feito o possível para alegrar seu torcedor, que pouco a pouco sente mais confiança, principalmente jogando em casa. Neste Brasileirão, o Vasco começou como um dos melhores mandantes da competição (03 vitórias e 01 derrota em 04 jogos);  ou seja, em seus domínios o Vascão vem se garantindo. Isso pode ser uma informação importante para quem quiser apostar no mando do Vasco. Deixamos um link para o sportingbet, caso algum dos leitores quiser aproveitar a ótima fase do time mandante.

Nos campeonatos em 2018

No Campeonato carioca, o time ficou em segundo lugar, perdendo para o Botafogo na decisão por pênaltis. Claro que o regulamento fora do comum – para não dizer mais – do torneio favoreceu os dois clubes. Mas, de toda forma o Gigante da Colina mostrou força, e só não ficou com o título por pouco. Na Copa do Brasil, tem uma missão mais ingrata. Perdeu por 3×0 do Bahia no jogo de ida das oitavas de final. Ainda tem o jogo da volta, no Rio de Janeiro, e a chance de o grupo demonstrar, mais uma vez, que é o time da virada.

Contra todas as expectativas, o Vasco conseguiu fazer uma campanha digna na Libertadores. Depois de passar pelas fases preliminares, onde passou, na segunda fase contra o Universidad Concepcion do Chile, com muita segurança, goleando o rival fora de casa. Na terceira eliminatória, quando se especulava mais dificuldade diante do Jorge Wilstermann da Bolívia, novamente goleou e passou com segurança à frase de grupos.

Nesta fase calhou de cair no chamado grupo da morte, contando com os favoritos Cruzeiro e Racing da Argentina. Conseguiu, diante dos dois rivais, arrancar empates quando se esperava ser derrotado, o que foi suficiente, para que na última rodada, uma vitória o garantisse na Copa Sul-Americana. Mesmo sofrendo duas goleadas de 4×0 contra Racing e Cruzeiro nos outros jogos, uma vitória por 2×0 diante da La U, o outro rival do grupo, na última rodada, permitiu ao time, antes desacreditado, a garantir vaga na Copa Sul-Americana. Claro, contou com a “sorte”, com o time chileno sofrendo sete gols diante do cruzeiro, o que permitiu ultrapassar o rival no saldo de gols. Por fim, o Vasco fez sua parte!

E no Brasileirão?

E em se tratando do Campeonato Brasileiro, o Vasco tem como objetivo central se manter na primeira divisão. Sem muitos reforços, e ainda vendo seu principal jogador, o jovem e promissor Paulinho saindo para o futebol alemão, o time conta com a criatividade do bom técnico Zé Ricardo para organizar a casa. O clube, neste momento, se encontra na metade da tabela, com um jogo a menos que a maioria dos clubes. Em 7 partidas foram 3 vitórias, 2 empates e 2 derrotas, marcando 10 e sofrendo outros 10 gols. Ontem, diante do Paraná,  conseguiu mais três pontos, podendo subir mais alguns degraus na tabela e tentando ter um campeonato sem muitos sustos.

Há bem da verdade que o Vasco tem surpreendido os seus críticos. Pode não ser um time encantador, tendo mais derrotas que vitórias, mas a força de vontade de seus atletas e, sobretudo do treinador, tem deixo o vascaíno esperançoso de dias melhores. Basta que a diretoria acompanhe o espírito do torcedor e realize seu sonho de fazer o Vasco voltar a ser grande.

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).