Malcom além do chapéu

  • por Lucas Sousa
  • 20 Dias atrás

Malcom tinha tudo certo para ser novo jogador da Roma. Salário acertado, anúncio dos clubes nas redes sociais e até torcedores romanistas o aguardando no salão de desembarque do aeroporto. Até que o Barcelona furou o negócio e levou o jogador para a Catalunha de um dia para o outro. Mais do que o grande chapéu da temporada, a ida do jogador ao clube espanhol representa uma tentativa de Ernesto Valverde em superar uma debilidade da sua equipe.

Na última temporada, o Barça assumiu um estilo de bastante cadência, controlando o ritmo do jogo a cada passe. O problema é que quando a partida pedia uma velocidade acima, o time não a entregava. Faltava essa quarta marcha, alguém que pudesse pegar o volume de posse de bola e transformá-lo em situações de gol sendo mais agudo.

Leia mais: Os espaços para Arthur no Barcelona

Dembélé seria esse jogador, mas perdeu quase metade da temporada por lesão. Philippe Coutinho também tem essa veia de agressividade, mas só chegou em 2018 e não pôde estar nos grandes jogos da Liga dos Campeões. Agora, com a chegada de Malcom, são três culés capazes de aumentar o ritmo da equipe.

O ex-Bordeaux é um jogador insinuante, bastante objetivo com a bola nos pés e capaz de gerar ocasiões de gol a partir dos seus dribles. Na França, fez uma temporada espetacular partindo da ponta direita e fazendo diagonais para se aproximar da área rival. Dos 53 gols dos Girondins, 35% saíram dos pés de Malcom: 12 gols e 7 assistências, números que mostram a capacidade definidora que ele desenvolveu desde que chegou à Europa.

No Barcelona, Malcom vai encontrar um cenário em que, na maioria das vezes, seu time ficará com a bola e terá de superar uma barreira defensiva bem recuada. Sendo assim, sua ameaça nos contra-ataques será como uma “arma secundária”, mas talvez até mais letal. Sua velocidade e criatividade aliadas aos rápidos movimentos para driblar representam uma ameaça latente a cada perda de bola do adversário. Tendo Busquets, Rakitic e Messi como passadores, Malcom pode ser avassalador tendo espaços para correr.

Diante de tudo isso, a ida de Malcom para o Barça faz muito sentido. Um jogador muito jovem, vindo de uma temporada fantástica e que casa com as necessidades do elenco. No vídeo abaixo falamos mais sobre a entrada de Malcom no time do Barcelona, quais os movimentos que ele oferece e como ele pode combinar com outros jogadores.

Comentários

Mineiro e estudante de jornalismo. Admira (quase) tudo que cerca o futebol inglês, não esconde seu apreço por times que jogam no contra-ataque (sim, sou fã do Mourinho) e acha que futebol se discute sim. Também considera que a melhor invenção do homem já ultrapassou os limites do esporte.