Nunca duvide do pai

  • por Victor Gandra Quintas
  • 4 Meses atrás

Excelência pode ser definida como “qualidade do que é excelente; qualidade muito superior”. Assim, quando algo, ou alguém, ultrapassa os limites esperados pela sua condição, podemos ter esta definição. No futebol, poucos são os jogadores capazes de atingir este nível. O que vimos no último dia 12 de março foi um exemplo desta qualidade. E seu nome é Cristiano Ronaldo. Na partida diante do Atletico de Madrid, o português demonstrou poder de decisão sem igual. Marcou três gols, os três necessários para ultrapassar a adversidade do jogo de inda, quando a Juventus perdeu na Espanha por 2×0 e deixava sua torcida preocupada com a possível eliminação.

 

 

Goleador nato

Mas Cristiano sabe o caminho do gol, sabe como lidar com situações adversas. Foi ele que, mesmo fora de campo, liderou seus companheiros na Seleção de Portugal em uma final de Eurocopa, levando o título inédito (e inesperado). E o português e a Liga dos Campeões têm uma relação íntima. O jogador já a conquistou por 5 vezes, uma, aliás, sobre o rival ultrapassado na terça. E mais que isso, é a terceira vez que Cristiano Ronaldo marca 3 gols contra o time de Simeone.

Quando saiu do Real Madrid, muitos achavam que o jogador buscaria o final de sua carreira. O time merengue, que venceu 4 dos últimos 5 torneios, parecia maduro sem o português. Bem, foi a primeira vez, em anos, que o time espanhol também foi desclassificado nas oitavas da Champions, perdendo, de forma soberba, para o holandês Ajax.

É claro que a classificação da Juventus não recai somente sobre Cristiano Ronaldo, deve-se elogiar a exibição e seus companheiros e, principalmente a do treinador Maximiliano Allegri, que soube ler bem seu adversário já na escalação da equipe. A defesa bem postada, contando com boas defesas de Szczęsny, as duas assistências de Bernadeschi e a grata surpresa de Spinazola na lateral esquerda. Foi um conjunto muito bem organizado, culminando na decisiva conclusão do “mister Champions”.

Chama a responsabilidade e decide

Fato é que a diretoria da Juventus esperava exatamente isto quando decidiu apostar os 100 milhões de Euros na contratação de Cristiano Ronaldo, mesmo aos 33 anos. Enquanto alguns jogadores planejam o final a carreira, jogando em ligas menores, ou em times menos competitivos nesta idade, sobretudo os atacantes, Cristiano se mantém em alto nível, colecionando recordes sobre recordes.

 

 

Este foi a oitava tripleta de Cristiano Ronaldo na Liga dos Campeões. Em 77 jogos disputados na competição, teve participação direta em 75 gols, quase um por partida, sendo que marcou 61, com 14 passes para a finalização. É o único atleta a marcar em 11 partidas de Champions League seguidas, sendo o único a marcar em todos os jogos da fase de grupos de uma mesma edição. Cristiano ainda é o único que marcou gol em três finais distintas da competição europeia e, por ironia, é o jogador que detém mais gols contra uma mesma equipe, a própria Juventus, com 10 gols.

As marcas, isto só contando a Liga dos Campeões, são surpreendentes. Cristiano é um jogador que tenta se superar a cada dia. E a competição com outra grande estrela do futebol mundial, Lionel Messi, só faz bem ao português. Mesmo aos 34 anos, até qual nível ele pode chegar?

Portanto, não se pode duvidar do “pai Cristiano Ronaldo”, jogador de excelência, uma lenda viva, e em atividade, no esporte mais popular do planeta. Sua confiança e capacidade de decisão nos leva a crer de que, para ele, nenhuma título é inalcançável.

 

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).