Holanda consegue acabar com a hegemonia dos Estados Unidos na final da Copa do Mundo feminina? Veja os prognósticos

  • por Doentes por Futebol
  • 4 Meses atrás

Números das apostas indicam um grande favoritismo norte-americano

A finalíssima do Copa do Mundo feminina da França, neste domingo, 7 de julho, às 12h, horário de Brasília, em Lyon, reunirá duas fortes seleções – uma já vitoriosa e a outra em grande crescimento. As americanas são as atuais campeãs e recordistas de títulos (1991, 1999 e 2015), enquanto as holandesas, campeãs europeias de 2017, fazem a sua primeira final de Mundial. Na casa de aposta SpinSports, as cotas apresentam uma diferença bem grande. O favoritismo dos EUA é visto como barbada. Será que isso vai ser confirmado dentro das quatro linhas? Lembre-se que surpresinhas costumam aparecer em decisões.

A equipe dos Estados Unidos chega à final exercendo todo o seu favoritismo para levantar mais uma taça. Na torneio, foram marcados 24 gols, tendo o melhor ataque geral, além do fato das norte-americanas estarem invictas. Na Grupo F, os adversários foram: Tailândia (13 a 0), Chile (3 a 0) e Suécia (2 a 0). Nas fases seguintes, triunfos sobre Espanha (2 a 1) e França (2 a 1) e Inglaterra (2 a 1).

As duas principais jogadoras, a atacante Alex Morgan e a meia Megan Rapinoe estão no topo da artilharia. Morgan tem 6 gols, sendo seguida pela inglesa Ellen White, enquanto Rapinoe vem logo atrás com 1 tento a menos. Esta última atleta não esteve em campo na semifinal com a Inglaterra, poupada por conta de uma lesão na coxa. A expectativa é que ela jogue a decisão. Caso, a capitã e a companheira de time marquem ao menos um gol, o rendimento delas será de R$ 2,20 e R$ 2,40, respectivamente, de acordo com o Oddsshark.com.

Já a vitória dos EUA no fim de semana paga R$ 1,42. Nos dois confrontos que teve com as europeias, em 2016 e 2013, as representantes do Tio Sam venceram ambos pelo placar de 3 a 1. No retrospecto geral, a invencibilidade é de 15 partidas, sendo 12 vitórias consecutivas.

Agora, a Holanda, por sua vez, está doidinha para surpreender e fazer o investidor embolsar R$ 7,50 para 1. A seleção dos Países Baixos vem crescendo bastante, tanto que ficou no topo do Grupo E depois de embates com Nova Zelândia (1 a 0), Camarões (3 a 1) e Canadá (2 a 1). Na fase eliminatória, passou por Japão (2 a 1), Itália (2 a 0) e Suécia (1 a 0), este jogo foi vencido na prorrogação. O time europeu também tem bons números no geral, só que um pouco mais modestos em relação ao adversário. São 9 triunfos – 7 seguidos – e 2 empate.

Outras opções de investimentos

Será que os 90 minutos não serão suficientes para conhecermos o país campeão? Caso tenhamos empate, o valor de retorno se o placar ficar no 0 a 0 vai ser de R$ 10,00. Agora, se as redes forem balançadas na igualdade, você embolsa R$ 5,65. Outra possibilidade de investimento é as duas equipes fazendo gols, independentemente do marcador. Neta situação, a rentabilização é de R$ 2,05. A vitória americana por 2 a 0 ou 2 a 1 paga R$ 6,85 e R$ 8,00, respectivamente.

Disputa do 3º lugar

No sábado, às 12h, na cidade de Nice, Suécia e Inglaterra medem forças para ver quem ficará com a 3ª posição do Mundial. Olha, mesmo o jogo não tendo um grande apelo como a final, ele tem tudo para ser movimentado. As inglesas, assim como as holandesas, estão em um bom patamar de evolução, enquanto as suecas, mesmo sem terem conquistado um título, são tradicionalíssimas no futebol feminino. Este encontro tem números bem parelhos. Em 5 duelos, foram 2 resultados positivos para cada lado e 1 empate. Em novembro do ano passado, as nórdicas venceram um amistoso por 2 a 1. O meu palpite é o empate de 2 a 2, rendendo R$ 13,00, como indica o SpinSports.

Jogos finais da Copa do Mundo:

Sábado (6 de julho)

12h – Suécia (R$ 4,50) x (R$ 1,71) Inglaterra. Empate: R$ 3,80

Domingo (7 de julho)

12h – EUA (R$ 1,42) x (R$ 7,25) Holanda. Empate: R$ 4,30

Comentários