Os caldeirões das quartas de final da Libertadores 2019 » DPF

Os caldeirões das quartas de final da Libertadores 2019

  • por Doentes por Futebol
  • 3 Meses atrás

Confira os oito palcos das quartas de final da Libertadores 2019

por Marcos Vinícios Cardoso

A Libertadores da América tem “casa” em diversos caldeirões pelo continente. São diversos os estádios que fervem com os torcedores apaixonados. Desde os mais tradicionais às novas arenas, os aficionados dos clubes sul-americanos sabem transformar qualquer espaço em uma guerra de cantos, bandeiras e hinos.

Agora uma nova fase da edição 2019 de inicia, e aproveitamos para aprestar os oito palcos das disputas. Promessa de emoção até a grande final, no Estádio Nacional, em Santiago do Chile.

ARGENTINA

LA BOMBONERA

Estádio Alberto José Armando, ou simplesmente La Bombonera é um dos palcos mais temidos do futebol sul-americano. A casa do Boca Juniors foi inaugurada em 1940 em uma partida contra o San Lorenzo, vitória por 2 a 1 dos donos da casa.

O estádio recebeu o apelido de Bombonera por sua arquitetura lembrar uma caixa de bombons. Em 2012 surgiram alguns boatos de que o clube poderia construir um novo estádio com capacidade superior a 75 mil pessoas, porém, mesmo sete anos depois, a ideia não saiu do papel. A atual casa do Boca conta com capacidade para 52 mil pessoas.

Na Bombonera os “xeneizes” se consolidaram como uma das principais forças do futebol argentino e sul-americano. O Estádio viu de perto a conquista de 33 campeonatos argentinos, três copas da Argentina, além de seis Libertadores, duas Sul-Americanas e quatro Recopas.

MONUMENTAL DE NUÑEZ

A casa dos atuais campeões da Libertadores, o Estádio Monumental Antonio Vespucio Liberti, ou Monumental de Nuñez é um dos mais temidos da América, e o River Plate possuí um grande currículo de taças nele.

Inaugurado em 1938 em uma vitória do River por 3 a 1 sobre o Peñarol por 3 a 1, o Monumental conta hoje com uma capacidade de pouco mais de 66 mil pessoas. Em 1978 passou por uma remodelação. E seu recorde de público é de 1975 em um jogo entre River e Racing, com cerca de 100 mil pessoas.

No Monumental de Nunez o clube conquistou inúmeros títulos como 36 campeonatos Argentinos, duas Copas da Argentina, além de quatro Libertadores, uma Sul-Americana e três Recopas.

 BRASIL

MARACANÃ

O Estádio Mario Filho, ou Maracanã foi inaugurado em 16 de junho de 1950, ele foi construído especialmente para a Copa do Mundo de 1950, a primeira sediada pelo Brasil. O primeiro jogo disputado no estádio foi a Seleção Carioca e a Seleção Brasileira, com vitória de 3 a 1 da amarelinha – que na época ainda vestia branco.

O Maraca, como é chamado pelos torcedores cariocas, passou por três remodelações, 1999/2000, 2005/2007 (para os jogos Pan-Americanos) e 2010/2013 (para a Copa do Mundo de 2014). Hoje o estádio conta com uma capacidade de mais ou menos 78 mil torcedores. Na final da copa de 1950, quando o Brasil perdeu por 2 a 1 para o Uruguai, estima-se que estiveram presentes mais de 190 mil pessoas.

Atualmente o Maracanã é administrado tanto pelo Flamengo como pelo Fluminense. Neste estádio o rubro-negro carioca conquistou títulos como o Brasileirão de 2009 e a Copa do Brasil de 2013. Além de ter sido o palco da primeira partida entre Flamengo e Coberloa em 1981, ano em que o clube conquistou sua primeira e única Copa Libertadores.

ARENA DO GRÊMIO

A grande parte dos títulos do Grêmio foram conquistados no antigo estádio Olímpico Monumental, local que durante décadas foi muito temido pelos visitantes. Em 2012, seguindo uma tendência de reformulação de estádios, o tricolor gaúcho inaugurou a sua arena. A primeira partida da nova casa gremista foi contra o Hamburgo da Alemanha em uma reedição do mundial de 1983, nova vitória tricolor por 2 a 1.

A ideia inicial era de que o estádio tivesse capacidade para 65 mil pessoas, porém após a queda de grades na partida entre Grêmio e LDU pela fase prévia da Libertadores de 2013, o espaço onde a torcida fica em pé foi reduzido. Hoje a Arena tem capacidade para mais ou menos 55 mil pessoas. O recorde de público do estádio é de 55.337 pessoas na final da Copa do Brasil de 2016.

Apesar de ser nova, apenas seis anos, a Arena do Grêmio já foi palco de grandes conquistas. Em 2016 após o empate em 1 a 1 com o Atlético Mineiro, o tricolor sagrou-se pentacampeão da Copa da Brasil. Em 2017 o estádio foi palco da primeira partida da final da Libertadores, onde o Grêmio venceu por 1 a 0 o Lanús, depois confirmou o tricampeonato na Argentina.

BEIRA RIO

Assim como seu grande rival, o Internacional também possui um caldeirão. Inaugurado em 1969 o Estádio Beira Rio, ou Gigante da Beira Rio0 como é chamado pelos torcedores, já foi palco de grandes partidas e títulos do colorado.

Durante sua história o estádio passou apenas por uma grande remodelação, foi entre os anos de 2011 e 2014, quando o Beira Rio se preparou para receber a Copa do Mundo de 2014. Atualmente o Gigante tem uma capacidade de 50.000 pessoas, porém em 1972 na partida entre a Seleção Gaúcha e o Inter, foi registrado um público de cerca de 106.000 torcedores.

O Estádio viu de perto grandes conquistas do colorado. Lá o time consolidou a hegemonia em títulos gaúchos, o tricampeonato brasileiro e a Copa do Brasil. Foi no Beira Rio também que o Inter conquistou seus maiores títulos da história o bicampeonato da Libertadores em 2006 e 2010, além de uma Copa Sul-Americana em 2008.

ALLIANZ PARQUE

Em 2014 o Palmeiras inaugurou seu novo estádio, um dos mais modernos da América Latina, a Arena Palmeiras, que depois recebeu o nome de Allianz Parque – devido ao nome de um patrocinador do clube. O Allianz foi construído no mesmo local de onde era o antigo estádio do clube, o Palestra Itália.

O remodelado estádio foi inaugurado em 19 de novembro de 2014 em uma derrota do alviverde para o Sport por 2 a 0. O Allianz conta hoje com uma capacidade de pouco mais de 43 mil torcedores. O recorde de público é de dezembro de 2018 onde 41.256 pessoas foram prestigiar o time que havia garantido uma semana antes o décimo título do campeonato brasileiro.

Nos moldes antigos, o Palestra foi palco de títulos do campeonato brasileiro e da Copa do Brasil, e também da única Libertadores do clube, em 1999. O Allianz após a remodelação já foi palco de títulos da Copa do Brasil em 2015 e campeonato brasileiro em 2016 e 2018.

EQUADOR

CASA BLANCA

O Estádio Rodrigo Paz Delgado, ou simplesmente Casa Blanca, é o local onde a Liga Desportiva Universitária, LDU, manda os seus jogos. Ele está localizado na capital do Equador, Quito com uma altitude de 2.850 metros do nível do mar, sendo temido por isso.

O Casa Blanca foi inaugurado em março 1997 na vitória da LDU por 3 a 1 contra o Atlético Mineiro. Atualmente possuí uma capacidade de 41.500 torcedores. Em 2008 o clube venceu a Libertadores contra o Fluminense, a primeira partida foi no Equador com um público de apenas 26.662 torcedores.

O Estádio Casa Blanca foi palco das principais conquistas da LDU e do futebol equatoriano. Por lá o time levantou 11 campeonatos equatorianos, uma Libertadores, uma Copa Sul-Americana e duas Recopas.

PARAGUAI

LA NUEVA OLLA

O último estádio na nossa lista é o La Nueva Olla, casa do Cerro Porteño em Assunção no Paraguai, único representante do país nas quartas de finais da Libertadores de 2019. A estádio foi construído no mesmo local de onde ficava o antigo General Pablo Rojas.

Ele foi inaugurado em 2017 e hoje conta com uma capacidade de 45 mil pessoas, sendo o maior estádio do país, superando o Defensores Del Chaco com pouco mais de 42 mil lugares. O antigo estádio do Cerro contava com capacidade de 32.900 pessoas. O fato curioso do La Nueva Olla é que ele teve grande contribuição dos torcedores para a sua construção.

O Cerro Porteño é o segundo clube com mais conquistas do campeonato paraguaio, 32 contra 43 do arquirrival Olimpia. O time ainda não possuí nenhuma conquista continental, tem como melhores campanhas o quarto lugar nas Libertares de 1973, 1978, 1993, 1998, 1999 e 2011, além do terceiro na Sul-Americana de 2016.

Comentários