A caminho de Santiago

Na próxima semana começam a ser decididas as vagas para a grande final da Copa Libertadores de 2019. Esse ano a final da competição será em jogo único no Estádio Nacional de Santiago, no Chile. Grêmio e Flamengo de um lado, Boca Juniors e River Plate do outro disputam as duas vagas.

Você lembra como foram os caminhos dessas quatro equipes até chegar aqui?

GRÊMIO

O tricolor gaúcho entrou na competição no grupo H, considerado por muitos um grupo fácil, mas que na teoria apresentou muitas dificuldades ao tricampeão da América. Nos primeiros três jogos a equipe gaúcha somou apenas um ponto. No segundo turno da fase de grupos o tricolor colocou a cabeça no lugar, e com Éverton Cebolinha assumindo de vez o papel de protagonista a equipe venceu Rosário Central, Libertad e Universidad Católica. Ficou com a segunda posição do grupo atrás dos paraguaios.

Nas oitavas de finais o adversário foi o já conhecido Liberdad, equipe que na fase de grupos surpreendeu ao derrotar o Grêmio por 1 a 0 em plena Arena. No primeiro jogo das oitavas a partida estava tensa, até que Pedro Geromel – ídolo da torcida e capitão na conquista de 2017 – foi expulso, parecia que não daria, mas o Grêmio com Tardelli e David Braz venceu por 2 a 0. No jogo de volta um passeio, Jean Pyerre e André, duas vezes, marcaram os gols, classificação assegurada.

Nas quartas de finais o adversário seria o milionário Palmeiras, comandados por Felipão, que venceu a competição com o Grêmio em 1995. No primeiro jogo Gustavo Scarpa marcou um lindo gol e garantiu a vitória alviverde por 1 a 0. Na segunda partida o Grêmio mais do que o Palmeiras como adversário, o estádio Pacaembu, local onde a equipe nunca havia vencido. Luis Adriano abriu o placar logo no começo do jogo. Porém Éverton e Alisson trataram de virar a partida antes dos 20 minutos do primeiro tempo. Com Geromel e Kannemann segurando as pontas na defesa, o Grêmio garantiu a classificação para a terceira semifinal seguida de Libertadores.

O adversário da vez é o Flamengo, outra equipe brasileira que investiu pesado em contratações. A primeira partida é na terça-feira, 2 de outubro, na Arena do Grêmio e a segunda no dia 23 de outubro no Maracaña.

FLAMENGO

Nos últimos anos a fase de grupos se mostrou mais difícil do que imaginava para o Flamengo. Mesmo caindo em grupos considerados tranquilos, a equipe acabava se complicando. Em 2019 no grupo D ao lado de LDU, Peñarol e San José da Bolívia o mengão até ficou em primeiro, mas a classificação só foi garantida no último jogo. O empate por 0 a 0 contra o Peñarol no Uruguai assegurou a primeira posição do grupo ao rubro negro carioca.

Nas oitavas de finais mais um adversário equatoriano, desta vez o Emelec, mesma equipe que no ano passado Vinícius Júnior brilhou contra. O primeiro jogo foi tenso, o então capitão Diego saiu machuco e só retorna na próxima temporada, Rafinha estreiou na fogueira jogando como ponta direita. Resultado, derrota por 2 a 0. No jogo de volta brilhou a estrela de Gabriel Barbosa no tempo normal, vitória por 2 a 0. Nas penalidades foi Diego Alves o iluminado, defendeu o pênalti de Arroyo e classificou a equipe.

Nas quartas de finais um adversário para lá de conhecido, o Internacional de Paolo Guerrero. Com show de Bruno Henrique no jogo de ida, marcando dois gols, o rubro negro abriu ótima vantagem para a partida de volta no Beira Rio. Nem mesmo o gol de Rodrigo Lindoso e as paralizações do VAR tiraram o ímpeto dos cariocas no Rio Grande do Sul, Gabriel marcou o gol de empate e decretou a classificação para as semifinais.

Depois de 35 anos o Flamengo chega a uma semifinal de Libertadores da América. Jorge Jesus terá pela frente o Grêmio de Renato Gaúcho. Ótimo embate. Quem ganha é o torcedor acompanhando duas ótimas partidas. A primeira partida é na terça-feira, 2 de outubro, na Arena do Grêmio e a segunda no dia 23 de outubro no Maracaña.

RIVER PLATE

Os atuais campeões da América estão novamente em um momento decisivo da competição. O “cascudo” River Plate não teve vida fácil este ano, mas chega novamente prometendo brigar pelo título. Por ser o atual campeão, os Milionários ficaram no grupo A, ao lado de Internacional, Palestino e Alianza Lima. Passaram em segundo, atrás do colorado.

Nas oitavas de finais o River teve pela frente o mesmo Cruzeiro que eliminou na campanha do título de 2015. Primeiro jogo no Monumental de Nuñes 0 a 0. Na volta no Mineirão novo 0 a 0. Partida nos pênaltis e brilhou a estrela de Armani que defendeu duas cobranças. Coube ao colombiano Borré converter a última penalidade e classificar os argentinos.

Nas quartas de finais confrontos duríssimos contra os paraguaios do Cerro Porteño. Jogo de ida decidido no detalhe, vitória dor 2 a 0 para o River. Na volta em Assunção o experiente atacante Valdez até abriu o placar, mas De La Cruz deixou tudo igual em um lindo chute de fora da área.

O River, atual campeão está novamente nas semifinais. Terá pela frente outra vez o seu maior rival pela frente, o Boca Juniors. A primeira parida será disputada no dia primeiro de outubro no Monumental de Nuñes, e a segunda no dia 22 de outubro na Bombonera. Haja coração Hermano.

BOCA JUNIORS

Era esperado que o Boca tivesse uma vida mais fácil no grupo G da Libertadores. Tendo Athletico Paranaense, Tolima e Jorge Wilsterman como adversários, os Xeneizes somaram 11 pontos e passaram em primeiro. Mas sofreram um susto na fase de grupos. Derrota por 3 a 0 para o Furacão na terceira rodada, fez com que o time ligasse o alerta. Nos três jogos seguintes somaram sete pontos e garantiram a liderança da chave.

Nas oitavas de finais novamente o Athletico como adversário. Dessa vez sem nenhuma surpresa. Duas vitorias e com o Xeneizes sendo superiores durante toda a eliminatório. 1 a 0 na Arena da Baixada e 2 a 0 na Argentina.

Pelas quartas de finais o adversário foi a LDU. Os equatorianos não foram páreos para uma equipe que está “mordida” desde a derrota em Madri para seu principal rival. Vitória por 3 a 0 no Equador, com direito a gol de Ramon Ábila, que não deixou muitas saudades no Cruzeiro. E empate por 0 a 0 na Argentina.

Novamente o Boca Juniors enfrentará seu principal rival, o River Plate. A primeira parida será disputada no dia primeiro de outubro no Monumental de Nuñes, e a segunda no dia 22 de outubro na Bombonera.

Comentários

Jornalista em formação no Centro Universitário da Serra Gaúcha, 21 anos. Amante do toque de bola do Guardiola e da intensidade dos times de Klopp. Messi e Cristiano Ronaldo não se comparam, se aprecia. Torcedor do Liverpool desde a derrota de 2007 para o Milan.