O despontar de Martin Odegaard

Finalmente Odegaard vai demonstrando todo seu potencial jogando numa liga de alto nível.

04 anos e meio de sua tão baladada contratação pelo Real Madrid, com apenas 16 anos, Martin Odegaard vai mostrando por que chamou a atenção dos olheiros de clubes do porte de Liverpool, Bayern e Manchester United. O Real apostou alto em seu talento e garantiu mais uma joia para seu elenco estelar, mas ele ainda não brilhou como esperado. Falando em apostar, antes de prosseguir com a matéria, deixo uma dica para quem quiser aprender mais sobre apostas esportivas (só clicar). Prossigamos.

Após ter de peregrinar pela Holanda, através de empréstimos ao Heereveen e Vitesse, sua maturidade futebolística vai aparecendo aos 20 anos. Sim, ele é tão precoce que seu nome é mencionado na mídia internacional há tanto tempo que nem parece um jovem que ainda irá completar 21 anos no mês de dezembro.

Aprendizado na Holanda

Em decorrência de não ter se adaptado sequer ao futebol do Castilla (time B do Real Madrid), foi necessário buscar novos ares a fim de ganhar minutos em campo. E que ambiente melhor do que a Eredivisie para dar espaço a um jovem talento ofensivo? A reputação de liga de desenvolvimento de jovens precede o futebol holandês; uma das ligas mais progressistas da Europa cuja mentalidade dominante é a do futebol total, de ótimo trato com a bola e muitos gols marcados por rodada. Ambiente perfeito para um jovem talentoso ter oportunidades e minutos para jogar.

Seu primeiro destino na Holanda foi o Heerenveen, onde ficou por 18 meses. Seu desempenho em campo foi bastante tímido, apenas 03 gols e 05 assistências em 43 jogos disputados. Mas note a quantidade de tempo que o norueguês pôde jogar por um time de primeira divisão: 3196 minutos. Ele jamais conseguiria isso ficando em Madrid. Depois deste estágio, era hora de subir de patamar, e ele assim o fez ao mudar de clube, mas não de país.

Foi no Vitesse que o meia-atacante se encontrou e mostrou mais de seu futebol. Em sua única temporada pelo clube, conseguiu bons números: marcou 11 gols e distribuiu 12 assistências em 39 partidas disputadas. Com tal desempenho, teve a façanha ser o único integrante da seleção dos melhores do campeonato que não jogava por Ajax ou PSV.

 

 

Início animador pela Real Sociedad

Apesar do crescimento de sua performance, ainda não estava pronto para brigar por uma vaga no elenco estelar do Real Madrid. Sendo assim, era chegada a hora de pelo menos voltar ao solo espanhol. Seu destino escolhido foi o País Basco, mais precisamente a capital San Sebastián, vestindo as cores da Real Sociedad. Chance importante de se provar numa liga mais competitiva e seu impacto no time tem sido notável até aqui. Ainda estamos no início de La Liga, é verdade, mas de qualquer forma, o encaixe do norueguês em sua equipe tem sido promissor. Após 06 jogos disputados, todos do início até o fim, sua forma tem sido impecável.

 

 

Marcou seu primeiro gol jogando fora de casa, contra o Mallorca, puxando o contra-ataque e finalizando a jogada que deu gol da vitória. 03 pontos em sua conta. Duas semanas depois, foi a vez do Atlético de Madrid sofrer com mais uma chegada letal de Odegaard à área. Ele identifica o espaço aberto à frente da defesa colchonera, invade e abre os braços pedindo a bola para finalizar. Daí recebe e ainda tem tempo de puxar para a perna canhota e disparar abrindo o placar da partida.

 

 

Seu último jogo até aqui, contra o Alavés, foi um espetáculo. Odegaard não marcou, mas foi importantíssimo ao criar chances para seus companheiros. Começou com uma lindíssima assistência, com direito a caneta no marcador e bola longa enfiada com precisão para Mikel Oyarzabal abrir o placar. Lance digno de um Ronaldinho no auge, com o perdão do sacrilégio ao comparar.

 

Ainda muito o que crescer e provar

O início de Odegaard tem sido muito promissor até aqui e esta matéria é escrita com a finalidade de destacá-lo, mas com a consciência de que não serão apenas 06 ótimas partidas que farão o norueguês se notabilizar como jogador digno de ser titular do Real Madrid. Ressalvas à parte, é muito bom ver um talento retomando o bom caminho e mostrando sinais de que ainda há esperança de cumprir as expectativas de grandeza. Afinal, há muita margem de crescimento para um jovem atleta de 20 anos. Partidas como a disputada contra o Alavés corroboram as expectativas: desde a temporada 2016/2017, um jogador não cria 10 chances de gol num mesmo jogo como Martin fez.

É nítida verdade que é necessário consistência no desempenho para que um jogador seja digno de estar elencado nas principais prateleiras do futebol e, pelo visto, jogo a jogo Martin Odegaard vai em busca deste objetivo. Aquele adolescente prodígio que era cobiçado pelos gigantes europeus parece que finalmente volta a despontar. Ótimo para os amantes do futebol bem jogado.

 

 

 Atualizações

No desenrolar da temporada 2019/2020, eu atualizarei constantemente a respeito do desempenho de Odegaard pelos Txuri-urdin. Você pode conferir logo abaixo.

Melhor jogador da Liga em setembro

 

 

Não há melhor sinal para a ascensão do jogador do que um prêmio como o de melhor do mês em La Liga. Odegaard vai demonstrando a consistência tão cobrada de alguém que se postula ser meia-atacante de um time de peso como o Real Madrid. E também vai mostrando personalidade. Quando perguntado a respeito de seu futuro no clube merengue, o jovem foi taxativo:

 

“Não pensei nisso [em voltar a jogar pelo Madrid], minha ideia é ficar aqui por dois anos e eu creio que isso é importante para mim. Tem sido bonito voltar à Espanha porque a minha intenção é jogar no Real Madrid e estou no lugar correto”.
Focado apenas em desfrutar de seu futebol e em aprender jogando pela Real Sociedad, Martin vai trilhando um ótimo caminho. Começou da melhor maneira possível e já abocanhou um prêmio individual animador. Que siga assim.

Comentários

Diretor no DPF desde 2012 e criador da coluna "Olho Nele!".