The Best: O melhor de Lionel Messi em 2018/2019

  • por Victor Mendes Xavier
  • 2 Meses atrás

O FIFA The Best realizado nessa segunda-feira em Milão, na Itália, consagrou Lionel Messi pela sexta vez como o melhor do mundo. A premiação no masculino foi até cercada de certo suspense, sobretudo depois de Virgil Van Dijk ter faturado o prêmio da Uefa há menos de um mês, mas, ao fim, garantiu ao argentino a volta oficial ao topo depois de quatro anos. Este colunista não entrará nos méritos do evento, mas também não tem como não exaltar o camisa 10 do Barcelona. Foram 52 gols em 57 jogos por Barça e Argentina, artilharias do Campeonato Espanhol e Liga dos Campeões da Uefa, Chuteira de Ouro, título nacional e um arsenal exibido dentro das quatro linhas, como de costume.

Até por isso, que tal relembramos, em ordem cronológica, as melhores atuações de Messi em 2018-2019? A lista, obviamente, é subjetiva, com critérios variados, e contará com jogos do segundo semestre de 2018 porque a votação é baseada justamente no desempenho dos atletas na temporada que começa num ano e termina no outro.

Lionel Messi x Huesca, Campeonato Espanhol

O modesto Huesca disputou pela primeira vez em sua história a primeira divisão de La Liga na temporada passada. Depois de um bom início, com direito a um empate no San Mamés diante do Athletic Bilbao, a terceira rodada reservaria logo de cara encarar o Barcelona no Camp Nou. O time da região de Aragão não se intimidou, marcou 1 a 0 logo com três minutos e quase ampliou logo em seguida. No entanto, quando Messi empatou (com um golaço) aos 16′, o que veio depois foi um massacre. Definitivamente. O jogo terminou 8 a 2. O argentino não só fez mais um, como deu passe para outros, dribles desconcertantes, lançamentos precisos, arrancadas. Uma exibição que, de tão banalizada, parece comum. Cliquei no vídeo acima e se delicie.

Lionel Messi x PSV, Liga dos Campeões da UEFA

Messi foi o artilheiro da Champions com 12 gols e deu o pontapé inicial na competição com um simples hat-trick contra o PSV, até então campeão holandês. Teve gol de falta, gol com o pé direito e outro sem deixar ela cair com a canhota. Um prenúncio do que viria pela frente. Àquela altura da temporada, bem em seu início, Ernesto Valverde ainda enxergava o Barcelona com uma formação bem ofensiva: Coutinho de meia, Messi e Dembélé abertos e Suárez de centroavante.

Lionel Messi x Tottenham, Liga dos Campeões da UEFA

Messi se sente em casa em Wembley. Em 2011, então com 23 anos, o camisa 10 teve uma das maiores atuações da sua carreira na final europeia em solo inglês contra o Manchester United. Para muitos, a melhor atuação de um jogador em decisão de Liga dos Campeões na história do torneio. Em outubro de 2018, Messi voltaria ao palco para castigar o Tottenham. Com somente dois minutos, já tinha dado um passe em profundidade daqueles para Alba que culminou com o gol de Coutinho. Na etapa final marcou mais dois gols e silenciou a torcida dos Spurs. Isso porque também chutou duas bolas na trave. À imprensa inglesa, restou se render.

Lionel Messi x Valencia, Campeonato Espanhol

Barcelona e Valencia protagonizaram grandes jogos ao longo da temporada passada. Em três duelos, dois empates e uma vitória ché, na final da Copa do Rei. Os catalães agonizaram, inclusive no Camp Nou. O jogo válido pela 22ª teve uma conotação mais especial porque era um momento da temporada onde o Real Madrid, sob o comando de Solari, crescia, enquanto o Atlético de Madrid continuava babando para pegar a liderança. Não bastasse isso, o Valencia abriu 2 a 0, o Barça não estava no melhor dos seus dias e sofria com os fortes contra-ataques do adversário. Pois Messi colocou seu time nas costas e empatou o jogo na marra com dois gols. A efusiva comemoração no segundo gol deixava claro a importância da peleja. Nada poderia parar Lionel em solo doméstico.

Lionel Messi x Sevilla, Campeonato Espanhol

Historicamente, o Sevilla costuma ser uma daquelas equipes que Messi sempre deixa algo especial. Não foi diferente neste ano. No final de fevereiro, enquanto o Brasil curtia o carnaval, Lionel fez o carnaval em pleno Ramon Sánchez Pizjuán. Um hat-trick com direito a três golaços, num certame complicado aos blaugranas, embora o placar de 4 a 2 indique uma facilidade inexistente. Uma semana depois, o Barcelona foi ao Santiago Bernabéu encarar o Real Madrid e venceu por 1 a 0. A Liga estava encaminhada.

Lionel Messi x Bétis, Campeonato Espanhol

Definitivamente, a Andaluzia foi um lugar destinado a ver o melhor de Messi na temporada. Depois do Pizjuán, foi a vez do Benito Villamarin presenciar aquela atuação com a assinatura do melhor jogador do mundo. O Bétis de Setién não vivia bom momento, é verdade, e a sequência de eliminações nos torneios mata-mata (Liga Europa e Copa do Rei) deixaram o ambiente devastado. Messi foi um pesadelo ao time verde e branco, como já tinha sido um ano atrás. O novo hat-trick foi sentenciado com uma obra de arte que foi aplaudida de pé por torcedores do Bétis e concorreu ao Prêmio Puskás.

Lionel Messi x Manchester United, Liga dos Campeões da Uefa

Messi nos anos anteriores ao atual vinha devendo no mata-mata da Liga dos Campeões da Uefa. Apesar de não ter levantado a orelhuda em 2019, o argentino voltou a mostrar todo seu talento contra os principais adversários europeus. Um deles foi o Manchester United. Na ida do confronto válido pelas quartas de final, em Old Trafford, a vitória por 1 a 0 deu uma confortável vantagem para a volta, onde o Barça jogava pelo empate. Os Red Devils mostraram um ímpeto ofensivo interessante nos primeiros 20 minutos, mas Messi acabou com toda a festa mancuniana em um golaço com direito a caneta no brasileiro Fred. O segundo gol teve a colaboração de De Gea; no entanto, ratificou: Messi é um pesadelo eterno do maior campeão inglês.

Lionel Messi x Liverpool, Liga dos Campeões

A espetacular eliminatória entre Liverpool e Barcelona não poderia não ter uma atuação de destaque de Lionel. Apesar da histórica virada na volta, por 4 a 0, o primeiro confronto da semifinal entre os comandados de Klopp e os companheiros de Messi teve os barcelonistas como vitoriosos. Messi foi o melhor em campo no 3 a 0 com dois gols, sendo um magnífico de falta. Ainda fez a jogada para Dembélé desperdiçar um quarto, no finalzinho. Os tentos saíram no segundo tempo, mas foi no primeiro que Messi esteve inspirado, especialmente no embate direto com Robertson.

Comentários

Jornalista, carioca e apaixonado pela Liga Espanhola desde a época em que Rivaldo, Zidane, Figo e Raúl foram seus professores. Colaborou para o programa [email protected] da Rádio Globo São Paulo falando sobre o futebol do país das touradas. Repórter da Super Rádio Tupi.