Um panorama sobre o Campeonato Italiano após as cinco primeiras rodadas

  • por Henrique Mathias
  • 9 Meses atrás

Após o fim da quinta rodada do Campeonato Italiano, resolvi fazer um panorama das equipes, analisando um pouco do que pude assistir de cada uma das 20 equipes que disputam a Série A nesta temporada. Começando pelos postulantes ao Scudetto.

Os postulantes ao título

Juventus, Napoli e Inter devem protagonizar a disputa pelo scudetto nessa temporada, com a velha senhora tendo um favoritismo prévio por tudo que fez nesta década e o modo como tem sido dominante. Contudo, com a troca de comando e de estilo nos trabalhos de Allegri e Sarri, uma lacuna pode se abrir e Napoli e Inter aparecem como grandes candidatos a aproveitar. Enquanto os Partenopei demonstram um bom nível de jogo mas deixam pontos pelo caminho, os Nerazzurri, ainda que precisem de ajustes em sua construção, somam 5 vitórias em 5 jogos e animam sua torcida.

JUVENTUS

A Juventus faz um começo de campeonato bem confortável em termos de pontuação. Deixou apenas dois pontos de quinze pelo caminho até o momento, num duelo muito complicado contra a Fiorentina em Florença. Contudo o desempenho do time de Sarri não vem agradando, com o treinador ainda estando perdido entre trabalhar suas ideias de futebol, seu jogo associativo e toda a volúpia ofensiva que caracterizaram o seu melhor Napoli ou manter algumas bases táticas do trabalho tão vencedor do Allegri. Com isso a Juventus tem alternado entre o 4-3-3 e o 4-4-2 e vem precisando muito de Cristiano Ronaldo para chegar as vitórias.

Campanha da Juventus: 5 jogos, 4 vitórias e 1 empate
Sistema tático utilizado: 4-3-3 / 4-4-2
Equipe base: Szczęsny; Danilo, De Ligt, Bonucci e Alex Sandro; Pjanic, Khedira e Matuidi; Cuadrado, Higuaín e Cristiano Ronaldo

Destaque individual: Cristiano Ronaldo. A estrela portuguesa vem chamando a responsabilidade de ser o ponto de equilíbrio emocional desta equipe e vem somando atuações importantes no campeonato para levar a velha senhora ao caminho das vitórias. Decisivo contra o Hellas Verona com gol e assistência e tendo marcado também contra o Napoli, CR7 soma 3 participações diretas em gols em 5 jogos na Serie A.

NAPOLI

O Napoli tem sido a segunda força do futebol italiano nos últimos anos. Vencendo a Coppa da Itália com Benitez, realizando campanhas mágicas no campeonato sob o comando de Sarri e buscando um acréscimo no nível de competitividade nas noites europeias com Carlo Ancelotti. Ancelotti tem trabalho ideias interessantes com sua equipe, buscando cada vez mais realizar um jogo que busca o controle da posse de bola, com construção curta e tendo o lado esquerdo como lado forte. O desempenho vem sendo bom, mas a equipe partenopei já deixou alguns pontos importantes pelo caminho e precisa corrigir isso para não deixar que Juventus e Inter desgarrem.

Campanha do Napoli: 5 jogos, 3 vitórias e 2 derrotas
Sistema tático utilizado: 4-4-2
Equipe base: Meret; Di Lorenzo, Manolas, Koulibaly e Mário Rui; Callejón, Allan, Fabián Ruiz e Zielinski; Insigne e Mertens

Destaque individual: Lorenzo Insigne. Insigne é um dos melhores jogadores da Itália já tem algum tempo e o seu começo de temporada é ainda acima do nível que estabeleceu nos anos anteriores. Sendo o principal criador ofensivo da equipe, partindo do lado esquerdo para arrancar com a bola em seus domínios e encostar em Mertens ou Llorente, o baixinho já soma 3 gols e 3 assistências em 5 jogos disputados.

INTER DE MILÃO

Voltar a competir por um Scudetto é a principal missão da Inter na temporada e para buscar o título que não vem desde 2010 – no ano em que conquistou Campeonato, Copa e Liga dos campeões – a direção do clube não poupou esforços. Fez de Antonio Conte o treinador melhor remunerado do Calcio, investiu pesado nos reforços que ele indicou e agora trabalha firme para alcançar os resultados. E o começo é excepcional.

Apesar de ainda precisar de ajustes na construção ofensiva, no encaixe das peças e outras tantas coisas, através do trabalho efetivo do sistema defensivo e da qualidade do trio de meio formado por Brozovic, Barella e Sensi, a Beneamata soma 5 vitórias em 5 jogos e tem seu melhor começo de temporada em muitos anos.

Campanha da Inter: 5 jogos, 5 vitórias
Sistema tático utilizado: 3-5-2
Equipe base: Handanovic; Godin, De Vrij e Skriniar; Candreva, Barella, Brozovic, Sensi e Asamoah; Lautaro e Lukaku

Destaque individual: Stefano Sensi. Sensi chegou do Sassuolo nesta temporada e não foi dos reforços mais badalados da janela do clube. Entretanto, dentro de campo vai sendo o que se adaptou de maneira mais eficaz e vem se transformando na maior bandeira do estilo de jogo do time de Conte. O volante de apenas 1 metro e 68 centímetros de altura é fundamental para organizar a equipe em campo ofensivo e já soma 2 gols e 1 assistência em 5 jogos.

 

De olho na Liga dos Campeões

Roma, Lazio e Atalanta são as equipes que melhor disputaram a vaga na Liga dos Campeões nos últimos anos. Mostrando um desempenho regular, mantendo uma base sólida e trabalhando com muita seriedade. Esse cenário mudou na Roma que teve uma mudança brusca de comando e de elenco para esta temporada. O Milan tem o sonho de voltar a competição que já venceu em sete oportunidades e apostou num mercado inteligente para atingir essa meta.

ROMA

Depois da passagem mal sucedida de Monchi no clube, a Roma trocou todo o seu comando de futebol, dos diretores ao treinador e apostou numa reformulação grande no elenco. Dentro do clube, existe uma ideia de temporada de transição, tendo a vaga na Liga dos Campeões como alvo, mas sem tratar uma possível não classificação como um desastre. Paulo Fonseca fez um trabalho muito bom no Shakhtar e começa a dar sua cara a Roma. Uma equipe que constrói seu jogo com passes curtos, desde os zagueiros, fazendo jogo de posição e utilizando muito a qualidade de Veretout para organizar o jogo no centro do campo.

Campanha da Roma: 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota
Sistema tático utilizado: 4-2-3-1
Equipe base: Lopez; Florenzi, Mancini, Smalling e Kolarov; Cristante e Veretout; Kluivert, Pellegrini e Mkhitaryan; Dzeko

Destaque individual: Edin Džeko. Mantém, ano após ano, sua posição de comandante desta equipe. Viveu uma janela de muita especulação sobre sua saída, teve o nome ligado a Inter por muito tempo, mas acabou renovando e já começa a temporada fazendo o que sabe de melhor: gols. Além disso é fundamental oferecendo saída para a equipe em jogo direto, nos momentos mais complicado. Dzeko tem 3 gols e 1 assistência em 5 jogos.

LAZIO

A Lazio tem um dos trabalhos mais sólidos da Itália fazem alguns anos, ainda que o sonho da Liga dos Campeões ainda não tenha virado realidade. Simone Inzaghi está no comando dos Laziale desde 2016, sempre mantendo o seu estilo de jogo, trabalhando o mental dos atletas e estabelecendo melhorias em mecanismos de saída de bola e construção ofensiva. O 3-5-2 da Lazio é moldado para alocar a qualidade técnica de Luis Alberto como um criador ofensivo, toda potencia de Milinkovic-Savic e o senso artilheiro de Immobile.

Campanha da Roma: 2 vitórias, 1 empate e 2 derrotas
Sistema tático utilizado: 3-5-2
Equipe base: Strakosha; Luiz Felipe, Acerbi e Radu; Marusic, Milinkovic-Savic, Lucas Leiva, Luis Alberto e Lulic; Correa e Immobile

Destaque individual: Luis Alberto. Apesar de toda qualidade técnica de Savic e do poder de fogo de Immobile, Luis Alberto é a peça fundamental para o bom funcionamento da Lazio. O espanhol oferece um aporte técnico imprescindível para Inzaghi, que o utiliza a perfeição, transitando desde o campo defensivo e decidindo com passes de gol. O camisa 10 da Lazio tem 1 gol e 3 assistências em 5 jogos.

ATALANTA

O que Gian Piero Gasperini vem fazendo no comando da Atalanta é simplesmente sensacional. O treinador, com todo o aval da diretoria e com o suporte de uma excelente equipe de scouts, vem transformando a pequena equipe de Bérgamo em uma equipe que disputa competições europeias e que tem hierarquia sobre os rivais mais modestos. Apostando num jogo de muita velocidade, troca de posição e muita liberdade em campo ofensivo, a Dea começa o campeonato mostrando força e promete mais uma vez ser desafiante por uma vaga na maior competição do mundo.

Campanha da Atalanta: 3 vitórias, 1 empate e 1 derrota
Sistema tático utilizado: 3-5-2
Equipe base: Gollini; Djimsiti, Kjaer e Masiello; Hateboer, Freuler, Papu Gomez, De Roon e Castagne; Ilicic e Zapata

Destaque individual: Duván Zapata. Zapata marcou 23 gols na Serie A da temporada passada e vem mantém o seu nível assustador nesse começo de temporada. Em 5 jogos disputados, o colombiano marcou 4 gols e mais do que isso, sempre oferecendo muita explosão física para levar sua equipe ao ataque.

MILAN

O Milan viveu anos de enorme glória no começo do século. Com Carlo Ancelotti no comando do clube, o Diavolo conquistou tudo que poderia conquistar, aumentou o seu domínio europeu e criou uma imagem muito forte em termos mundiais, com o futebol europeu sendo cada vez mais visto. Entretanto, está ultima década vem sendo muito difícil para o Milan e Giampaolo chegou ao clube com uma missão clara: devolver a equipe aos grandes palcos.

O começo de trabalho vem sendo muito complicado, com o treinador ainda perdido entre trabalhar o que acredita de futebol, com competir por resultados melhores. Dentro desta oscilação a equipe já deixou pontos importantes pelo caminho e precisa achar um rumo em pouco tempo, ou a temporada pode acabar num desastre.

Campanha do Milan: 2 vitórias e 3 derrotas
Sistema tático utilizado: 4-3-1-2
Equipe base: Donarrumma; Calabria, Musacchio, Romagnoli e Rodriguez; Kessie, Biglia e Çalhanoglu; Suso; Leão e Piatek

Destaque individual: Donnarumma. Gigi Donnarumma já vem se transformando em uma bandeira do Milan, mesmo com pouca idade e com muita carreira pela frente. Depois de um momento de oscilação muito grande na época que estava renovando contrato com o clube, Donnarumma se reencontrou e desde o segundo turno do campeonato passado, vem jogando em um nível muito alto. O começo de campeonato dele é espetacular e muito por conta dele o clube tem essas 2 vitórias que conquistou.

Sonho europeu

O Campeonato Italiano oferece 4 vagas para a Liga dos Campeões e 2 vagas para a Liga Europa. Sendo assim, o sonho europeu é muito complicado para as equipe com menor poder de investimento. Ainda assim, apostando em mercados inteligentes, um trabalho tático efetivo e uma intensidade grande em cada partida, Torino, Bologna, Fiorentina e Cagliari pretendem sonhar com a Liga Europa.

TORINO

O Torino fez um mercado muito tímido, focando na manutenção de seus melhores jogadores e do seu treinador, a equipe busca repetir a campanha da temporada passada e voltar a disputar a Liga Europa. O time treinado por Walter Mazzarri tem uma consistência defensiva muito boa, sendo um rival muito duro para qualquer equipe. Ofensivamente a equipe depende demais do Belotti.

Campanha do Torino: 3 vitórias e 2 derrotas
Sistema tático utilizado: 3-4-2-1
Equipe base: Sirigu; Izzo, Lyanco e Bremer; De Silvestri, Baselli, Rincón e Aina; Verdi e Zaza; Belotti

Destaque individual: Andrea Belotti. Belotti fez 26 gols no campeonato italiano na temporada 16/17, depois disso marcou 10 gols na 17/18 e 15 na 18/19. O centroavante do Torino continua sendo a melhor referencia ofensiva da equipe e já leva 4 gols marcados em 5 jogos.

 

BOLOGNA

O Bologna está lidando com uma situação muito complicado nesse começo de campeonato, com seu treinador, Sinisa Mihajlovic realizando um tratamento contra o câncer. Ainda que viva esse problema gravíssimo em sua vida pessoal, o treinador vem comandando os treinamentos e realiza palestras com a equipe via skype. O Bologna foi muito inteligente no mercado, contratou jovens de muito potencial e vem dando certo. A equipe joga com muita intensidade e agressividade.

Campanha do Bologna: 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota
Sistema tático utilizado: 4-2-3-1
Equipe base: Skorupski; Tomiyasu, Bani, Denswil e Krejci; Medel e Poli; Orsolini, Soriano e Sansone; Palacio

Destaque individual: Riccardo Orsolini. Orsolini apareceu muito bem no Ascoli na Serie B 15/16, foi comprado pela Juventus e não recebeu oportunidades na equipe de Turim. Ano passado chegou ao Bologna por empréstimo e agora foi comprado em definitivo. O ponta direita da equipe de Mihajlovic tem uma capacidade de drible impressionante e vem sendo o jogador mais desequilibrante do Bologna na Serie A. Em 5 jogos disputados, o jogador marcou 1 gol e deu 2 assistências.

FIORENTINA

Sob nova direção desde o mês de junho, quando foi vendida para um grupo de investidores americanos, a Fiorentina fez um mercado muito forte, com direito a um nome do calibre de Franck Ribery e agora sonha com uma vaga europeia. Montella assumiu o clube no final da temporada passada e teve um desempenho muito ruim. Contudo, pelo passado que possui com a Viola foi mantido no cargo e agora vem buscando trabalhar uma equipe mais consistente no momento defensivo e apostando numa dupla de ataque muito móvel, formada por Ribery e Chiesa.

Campanha da Fiorentina: 1 vitória, 2 empates e 2 derrotas
Sistema tático utilizado: 3-5-2
Equipe base: Dragowski; Milenkovic, Pezella e Cáceres; Lirola, Pulgar, Badelj, Castrovilli e Dalbert; Ribery e Chiesa

Destaque individual: Erick Pulgar. Pulgar foi um dos melhores volantes do Bologna na temporada passada, fez uma Copa América muito boa com o Chile e agora tem um começo excelente na Viola. O camisa 78 é o principal organizador ofensivo da equipe e também é vital ajustando o posicionamento defensivo de seus companheiros. Pulgar tem 2 gols e 1 assistência em 5 jogos.

CAGLIARI

O Cagliari vem numa crescente nos últimos anos, desde que reformou seu estádio e mudou sua filosofia de trabalho. Para essa temporada, o clube da Sardenha manteve Rolando Maran no comando e abriu os cofres para contratar Nandez junto ao Boca e Nainggolan junto a Inter. Jogando com muita intensidade, tendo o meio-campo como zona de força e apostando nos duelos físicos, a equipe vem competindo muito bem, mesmo com Nainggolan lesionado.

Campanha do Cagliari: 3 vitórias e 2 derrotas
Sistema tático utilizado: 4-3-1-2
Equipe base: Olsen; Cacciatore, Pisacane, Cepitelli e Pellegrini; Nandez, Cigarini e Ionita; Castro; João Pedro e Simeone

Destaque individual: Nahitán Nandéz. Nandez fazia tempo extra na América do Sul tinha algum tempo, mesmo que jogando em um gigante como o Boca Jrs. O uruguaio chegou a Itália jogando com uma confiança impressionante e vem sendo utilizado de diversas maneiras por Maran, já tendo atuado como ala direito contra a Inter e jogando a maioria das partidas como o meia pelo lado direito, sendo responsável por pressionar o portador da bola na equipe rival. Nessa ultima rodada, Nandez deu uma linda assistência para o gol da vitória contra o Napoli.

Turma do meio de tabela e luta contra o rebaixamento

O campeonato italiano tende a ser muito equilibrado, como nas duas temporadas anteriores e com todo esse equilíbrio, a distancia entre o meio de tabela e a luta contra o rebaixamento é muito curta. Com isso, temos aqui uma turma muito grande: Parma, Sassuolo, Genoa, Udinese, Spal e Sampdoria.

PARMA

O Parma fez um campeonato muito sólido em seu retorno a elite na temporada passada. Sob o comando de Roberto D’Aversa, o time ganhou forma e uma execução de jogo muito clara. Recua suas linhas, marca sem muita agressividade em cima do portador e uma vez que recupera a bola, acelera o jogo com Gervinho. Um jogo reativo e efetivo.

Campanha do Parma: 2 vitórias e 3 derrotas
Sistema tático utilizado: 4-3-3
Equipe base: Sepe; Darmian, Iacopini, Bruno Alves e Pezella; Hernani, Brugman e Barilla; Gervinho, Kuluselevski e Inglese

Destaque individual: Dejan Kuluselevski. Revelado pela a Atalanta, o sueco Kuluselevski está emprestado ao Parma e faz um campeonato muito bom. Com Gervinho sempre bem marcado pelos defensores rivais, tem sido com ele que o Parma tem somado suas melhores descidas para o campo de ataque. Em 5 jogos, Kuluselevski já soma 2 assistências.

SASSUOLO

O Sassuolo tem um dos trabalhos mais interessantes de toda a Serie A. Roberto De Zerbi é entusiasta do jogo de posição e vem trabalhando cada vez melhor os conceitos desse estilo de jogo em sua equipe. Com Berardi em grande momento e contando com a qualidade de Traoré no meio-campo, os Neroverdi fazem um bom inicio de competição.

Campanha do Sassuolo: 2 vitórias e 3 derrotas
Sistema tático utilizado: 4-3-3
Equipe base: Consigli; Toljan, Chichres, Ferrari e Peluso; Duncan, Obiang e Traoré; Berardi, Defrel e Caputo

Destaque individual: Domenico Berardi. Berardi surgiu como um fenômeno, entrou na mira dos gigantes do país, acabou ficando no clube e caiu demais de rendimento. Esse começo de temporada vem sendo revigorante para o camisa 25 do Sassuolo, que é o melhor jogador da competição até o momento. Em 4 jogos, Berardi marcou 5 gols e deu 2 assistências.

GENOA

O Genoa viveu uma temporada infernal em 2018/2019. Entre as trocas de comando e a falta de produção ofensiva, a equipe genovês acabou brigando contra o rebaixamento até a ultima rodada. Pensando em ter um ano mais seguro, a direção do clube apostou em Aurélio Andreazzoli para a temporada. O treinador vem trabalhando um sistema com 5 defensores e jogando de maneira reativa, buscando aproveitar Kouamé como escape ofensivo.

Campanha do Genoa: 1 vitória, 2 empates e 2 derrotas
Sistema tático utilizado: 5-3-2
Equipe base: Radu; Ghiglione, Romero, Zapata, Criscito e Barreca; Radovanovic, Lerager e Schone; Kouamé e Pinamonti

Destaque individual: Christian Kouamé. Nascido na Costa do Marfim e com passagem pelas categorias de base da Inter, Kouamé é o jogador mais importante do Genoa, sendo responsável por desafogar o time e criar as melhores chances de gol. Em 5 rodadas, são 3 gols marcados pelo atacante.

UDINESE

Sempre oscilando muito o seu desempenho e muito dependente de Rodrigo De Paul, a Udinese busca escapar do rebaixamento com menos sofrimento nesta temporada. Igor Tudor vem mantendo as bases táticas que fizeram a equipe evoluir no final do campeonato passado e embora o desempenho defensivo venha sendo satisfatório, o desempenho ofensivo preocupa e muito.

Campanha da Udinese: 1 vitória, 1 empate e 3 derrotas
Sistema tático utilizado: 5-3-2
Equipe base: Musso; Larsen, Becão, De Maio, Opoku e Sema; Jajalo, Walace e De Paul; Fofana e Lasagna

Destaque individual: Rodrigo De Paul. O argentino é o coração ofensivo da equipe, sendo responsável por levar a equipe a frente com sua qualidade de condução, sua visão de jogo e seu 1×1 apurado. Todo o plano de jogo dos friulianos passa por seus pés e a equipe sofreu muito nas ultimas rodadas, depois que ele foi expulso contra a Inter e pegou dois jogos de gancho. Em 3 partidas disputadas, De Paul deu uma assistência e 7 passes para finalização.

SPAL

O Spal tem o trabalho mais duradouro da Serie A, com Leonardo Semplici estando no comando do time desde 2014. Desde lá a formula tem sido sempre a mesma: linha de 5, muitos duelos físicos no centro do campo, jogo direto com os centroavantes e saídas laterais com os alas. Foi assim que a equipe se manteve na elite na temporada passada, tendo Lazarri como principal destaque. Com a saída do ala direito para a Lazio, Semplici se encontra vivendo um grande problema e sua equipe parece sem encontrar saídas dentro dos jogos. Será uma luta muito complicada até a ultima rodada do campeonato.

Campanha do Spal: 1 vitória e 4 derrotas
Sistema tático utilizado: 5-3-2
Equipe base: Berisha; Strefezza, Cionek, Vicari, Tomovic e Igor Julio; Murgia, Missiroli e Kurtic; Di Francesco e Petagna

Destaque individual: Andrea Petagna. Formado no Milan e tendo sido bem desenvolvido por Gasperini na Atalanta, foi com a Spal que Petagna viveu sua melhor temporada na carreira no ultimo campeonato italiano, onde marcou 16 gols. O atacante é fundamental para sua equipe recebendo jogo direto, oferecendo o pivô e marcando gols. São 2 gols e 1 assistência em 5 jogos para ele.

SAMPDORIA

Depois de uma temporada muito sólida, onde terminou entre os dez melhores times da Itália, o começo de jornada da Sampdoria está sendo terrível. Com Giampaolo assumindo o Milan, a escolha dos bluchearti para o comando do time foi Eusébio Di Francesco, que encerrou sua trajetória com a Roma em baixa.

O treinador começou a temporada jogando no 4-3-3 que tanto gosta, mas a transição defensiva estava sendo um verdadeiro caos e ele se viu obrigado a passar a jogar com 3 zagueiros. Ouve uma evolução defensiva, mas é muito pouco para o elenco que possui em suas mãos.

Campanha da Sampdoria: 1 vitória e 4 derrotas
Sistema tático utilizado: 3-5-2
Equipe base: Audero; Bereszyinski, Murillo e Colley; Depaoli, Ekdal, Ramirez, Ronaldo e Murru; Quagliarella e Gabbiadini

Destaque individual: Emil Audero. Depois de Quagliarella ter sido o artilheiro do Italiano na temporada passada, parece estranho que não seja ele o destaque aqui. Mas o começo de temporada da Sampdoria só não está sendo muito pior graças a Audero, que tem se desdobrado para salvar a equipe e evitar derrotas acachapantes.

Os recém-promovidos

Brescia, Lecce e Hellas Verona começam o campeonato mostrando força, ainda que não salte aos olhos em termos de pontuação, as equipes recém-promovidas tem conseguido competir, mostrar qualidade em seu jogo e dar um alerta de que vão brigar até o final.

BRESCIA

O Brescia tem uma equipe muito aguerrida, que obedece tudo que Eugenio Corini propõe taticamente e que conta com três pilares para se manter forte em sua luta: O goleiro Jesse Joronen, o meio-campista Sandro Tonali e o atacante Alfredo Donnarumma. Além disso, a equipe da Lombardia teve a estréia de Balotelli nessa ultima rodada, depois que o centroavante com passagem pela seleção italiana cumpriu suspensão por ações cometidas nos tempos de futebol francês. Com SuperMario disponível, o ataque ganha um adendo importante e o nível de jogo que já vem sendo bom, tende a evoluir ainda mais.

Campanha do Brescia: 5 jogos, 2 vitórias e 3 derrotas
Sistema tático utilizado: 4-3-1-2
Equipe base: Joronen; Sabelli, Cistana, Chancellor e Mateju; Bisoli, Tonali e Dessena; Romulo; Donarrumma e Balotelli

Destaque individual: Sandro Tonali. O jovem volante da seleção da Itália vem realizando um campeonato fantástico, sendo a peça responsável por organizar a construção ofensiva de sua equipe e mostrando muita personalidade, ainda que tenha apenas 19 anos. Tonali tem 1 assistência em 5 jogos.

LECCE

O Lecce treinado por Fabio Liverani é uma equipe que atua de maneira ofensiva, apostando muito no jogo pelos flancos do campo e que não tem medo de se expor defensivamente. Na Serie B da temporada passada, essa busca pelo jogo ofensivo acabou resultando na equipe mais divertida da competição e num acesso muito esperado pelo torcedor. Contudo, quando pensamos em jogar a primeira divisão, o nível de exigência é outro e a transição defensiva da equipe já foi severamente punida por Inter e Napoli, nessas primeiras rodadas. Em busca de ajuste entre manter sua identidade e somar pontos, o time de Liverani vem conseguindo competir e dá sinais que irá firme até as rodadas finais do campeonato.

Campanha do Lecce: 5 jogos, 2 vitórias e 3 derrotas
Sistema tático utilizado: 4-3-3
Equipe base: Gabriel; Rispoli, Lucioni, Rossettini e Calderoni; Majer, Petriccione e Tabanelli; Falco, Mancosu e Babacar

Destaque individual: Filippo Falco. O camisa 10 foi o grande jogador do time na campanha do acesso e mantém esse papel na primeira divisão. Falco tem uma perna canhota bem privilegiada, sendo um meia-atacante de muita habilidade e visão de jogo. Desta maneira é a principal válvula de escape de sua equipe e jogador mais influente em fase ofensiva. Falco ainda não marcou ou deu assistência no campeonato, mas soma 13 passes para finalização em 5 jogos, sendo o sétimo melhor da Serie A no quesito.

HELLAS VERONA

O Hellas Verona é quem tem a pior campanha entre as equipes que vieram da segunda divisão na temporada passada. Contudo, foi o time que demonstrou melhor nível de exibição até este momento, conseguindo competir de maneira muito valente contra Milan e Juventus e deixando escapar pontos importantes, por erros na hora do passe final e na hora de finalizar. Ivan Jurić monta sua equipe a partir da consistência defensiva e por isso atua com linha de 5 na defesa e aposta muito nos contra-ataques.

Campanha do Hellas Verona: 5 jogos, 1 vitória, 2 empates e 2 derrotas
Sistema tático utilizado: 5-4-1
Equipe base: Silvestri; Faraoni, Rrahmani, Dawidowicz, Günter e Lazovic; Pessina, Amrabat, Veloso e Zaccagni; Di Carmine

Destaque individual: Miguel Veloso. O experiente volante português é a referencia da equipe dentro de campo e alguém que dispõe de total confiança de Juric. Veloso vem sendo fundamental pela capacidade que possui para organizar o jogo e também pela chegada ao ataque. Já marcou 2 gols em 5 jogos.

Comentários

Curso história e sou apaixonado pelo futebol italiano desde 2005. Acompanhei assiduamente todo o processo complicado que foi Calciopoli, os anos sem investimento na Serie A e toda a retomada da Liga enquanto produto comercial nos ultimos anos. Gosto de falar sobre tática, mas amo ainda mais contar histórias.