Diego Maradona de volta ao futebol argentino

O improvável retorno do ídolo argentino Diego Maradona ao futebol foi confirmado no início de setembro, quando ocorreu o anúncio de que ele seria o novo técnico do Gimnasia La Plata, clube da primeira divisão argentina. Sua estreia ocorreu no domingo, 15, e foi marcada por uma derrota para o Racing por 2 a 1. A partida representou o retorno do ex-jogador ao futebol argentino após 24 anos.

O contexto geral nos leva a crer que a volta de Maradona ao futebol argentino é uma aposta mútua, realizada tanto pelo ex-jogador quanto pelo Gimnasia La Plata, que busca meios para reverter a difícil situação que enfrenta. Atualmente, o clube é o último colocado no promédio – termo utilizado para se referir a média de pontos dos clubes nos últimos cinco anos e determinar quais serão as equipes rebaixadas.

Agora, após a derrota já em sua estreia, Maradona enfrenta um momento decisivo, que pode fazer com os torcedores possam voltar a apostar Gimnasia La Plata ou não. Essas apostas, claro, podem ser simplesmente a confiança dos torcedores para com o time, mas também podem se convertem em palpites reais em plataformas online e, talvez, gerar algum dinheiro extra.

Existem atualmente diversos sites de apostas esportivas, como o bet365, que cada vez mais buscam aperfeiçoar a experiência do torcedor ao torcer e apostar. Dentre as comodidades existentes, é possível citar o bet365 app para celular, os bônus oferecidos para novos clientes e, ainda, espaços dedicados na plataforma para quem, além das apostas esportivas, também curte os chamados jogos de azar, como a roleta, slots, Blackjack, entre outros.

Negociações

Devido a sua condição física, Diego Maradona não poderá acompanhar todos os treinos do Gimnasia La Plata, questão já acertada desde a sua contratação. Atualmente, o novo técnico se recupera de uma cirurgia no joelho e passa por tratamento diário junto a um fisioterapeuta. Além disso, ele também se encontra em uma dieta para perder peso e recebe injeções para tratar de uma lesão no ombro direito.

“Assim que apareceu a ideia [da contratação], as pessoas não acreditaram na possibilidade. Mas Diego foi receptivo desde o primeiro instante. Era questão de acertar alguns detalhes”, disse o presidente do Gimnasia La Plata, Gabriel Pellegrino. “É aquisição que tem a capacidade de mexer com o país. É um ídolo de todos.”

Maradona estava afastado do futebol desde julho deste ano, quando deixou o comando do Dorados, da segunda divisão mexicana. O argentino chegou ao clube com a promessa de que o levaria à elite do futebol mexicano, o que não ocorreu.

A última vez que o ex-camisa 10 atuou no futebol argentino foi entre 2008 e 2010, como técnico da seleção argentina, que atravessa, atualmente, um momento de renovação. Seu rompimento com a seleção ocorreu logo após a eliminação da Argentina durante as quartas de final do Mundial da África do Sul. Desde então, Maradona já passou pelo Al-Wasl, dos Emirados Árabes (2011-2012), Al-Fujairah (2017-2018) e Dorados (2018-2019).

Protestos, Derrotas e Homenagens

Assim como ocorreu na estreia de Maradona no comando do time, o Gimnasia La Plata foi novamente derrotado no domingo, 23, quando jogava fora de casa contra o Talleres. A partida também foi marcada por protestos do ex-jogador direcionados aos árbitros da partida e uma homenagem para ele, realizada pelo time adversário.

Futebol e Política

Curiosamente, o ídolo retorna ao imaginário nacional e ao futebol argentino ao mesmo tempo em que o cenário político indica o retorno de Cristina Kirchner ao poder. Maradona é um grande apoiador de Kirchner, que deve ser eleita vice-presidente na chapa comandada por Alberto Fernández em 27 de outubro.

“Me colocam a pecha de kirchenista. Falta pouco para voltarmos”, disse Maradona no final de agosto.

Comentários

Diretor no DPF desde 2012 e criador da coluna "Olho Nele!".