O melhor ataque do Brasil – A trajetória do trio Rubro-Negro

Até o momento em que este texto começou a ser escrito o trio de ataque do Flamengo (Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel) havia marcado 67 gols, sendo 32 do camisa nove, 21 do camisa 27 e 14 do uruguaio, isso somando a temporada completa. Se formos restringir apenas para o Campeonato Brasileiro, o trio soma 37 gols, e se iguala ao Grêmio, terceiro melhor ataque da competição nacional.

Tendo em vista o ótimo desempenho do poderio ofensivo do rubro-negro carioca, detalhamos a carreira de cada um dos três jogadores. E acima de tudo, tentar entender o porquê desta ser a melhor temporada individual de cada um.

Bruno Henrique – O motor do time

Nascido no dia 30 de dezembro de 1990, Bruno Henrique Pinto é natural de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. O atual camisa 27 do Flamengo tem uma trajetória de vida muito semelhante entre os jogadores de futebol. De infância e adolescência humilde, Bruno Henrique, ou melhor, Bruninho como era chamado na época, sempre precisou conciliar os estudos com trabalhos para ajudar a família. Na época ele atuava pelo clube amador de seu bairro, o Inconfidência Futebol Clube.

Em 2012, após se destacar em um campeonato de várzea, olheiros do Cruzeiro levaram o jogador que já estava com 22 anos para a Toca da Raposa, um contrato de um ano. Bruno Henrique nem chegou a jogar pelo clube, imediatamente foi emprestado ao Uberlândia. Quando o contrato com o Cruzeiro encerrou, o clube optou por não renovar, foi então que o Uberlândia fez nova proposta ao atleta que ficou para jogar o Campeonato Mineiro.

No ano de 2014 Bruno Henrique assinou por empréstimo com o Itumbiara, clube do interior de Goiás. Quando o empréstimo encerrou, e ele havia se destacado, o Goiás – um dos grandes clubes do estado – resolveu contratá-lo em definitivo, no início de 2015. Por lá o jogador ficou por uma temporada, atuando em 35 partidas, marcando sete gols e contribuindo com mais 10 assistências, foi a primeira oportunidade do atacante na primeira divisão nacional.

As boas atuações no Esmeraldino fizeram com que o Wolfsburg da Alemanha se interessasse pelo jogador. O clube desembolsou cerca de 4,5 milhões de euros para contratar Bruno Henrique. Na Alemanha, o atacante teve a oportunidade de disputar a Liga dos Campeões da Europa, principal competição do Velho Continente. Jogou duas partidas e deu uma assistência. No geral em sua passagem pelo clube foram 17 jogos e duas assistências.

Por ter tido pouco espaço no clube alemão, Bruno Henrique assinou com o Santos, no início de 2017. O alvinegro da Vila Belmiro pagou 4 milhões de euros para contratar o jogador. No Peixe, em duas temporadas Bruno Henrique somou 67 jogos, 12 gols e 16 assistências. Viveu seu pior momento ainda no primeiro ano de clube, em 2017, quando sofreu uma lesão no olho que o afastou por sete meses dos gramados. No clube, em 2018 atuou ao lado de Gabriel Barbosa, hoje companheiro no Rio de Janeiro.

Em janeiro de 2019, o Flamengo investiu cerca de 5,3 milhões de euros para contar com Bruno Henrique. O jogador chegou com certa desconfiança, se poderia manter o bom ritmo de 2018. Não só manteve, como superou! Os ótimos números na atual temporada credenciaram o atacante à Seleção Brasileira. Nos primeiros dois amistosos pós Copa América, em setembro, em ambos começou no banco e entrou no segundo tempo. Esse ano já atuou em 46 jogos, marcou 21 gols e contribuiu com 12 assistências. Com a chegada do português Jorge Jesus, Bruno atuou em 18 jogos, marcou 8 gols e deu duas assistências, melhor média com um treinador em sua carreira. Os números comprovam que a atual temporada é a melhor da carreira de Bruno Henrique.

Gabigol – O artilheiro

Em 26 de maio de 2013, Neymar fez sua última partida com a camisa do Santos, 0 a 0 contra o Flamengo no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Vendo tudo isso do banco de reservas, um jovem de 16 anos ainda sonhava em ser um astro do futebol, Gabriel Barbosa, ou, Gabigol – apelido que recebeu pelo ótimo desempenho na categoria de base. Naquele dia ele recebeu do atual camisa 10 da Seleção Brasileira o “bastão”, seria um novo Menino da Vila, seguindo passos de Diego, Robinho, Elano e tantos outros jogadores que o alvinegro da Vila Belmiro deu ao futebol.

De 2013 até 2016, pelo Santos, Gabriel atuou em 157 jogos e marcou 57 gols. Neste período o jogador foi convocado para a Seleção Brasileira Olímpica, que viria a vencer as Olimpíadas Rio-2016. Atuou em seis jogos e marcou dois gols. Após essa competição, o atacante foi vendido para a Inter de Milão da Itália por cerca de 29,5 milhões de euros. Por lá não teve muito espaço, atuou em 10 partidas e marcou apenas um gol. No somatório, Gabriel teve apenas 183 minutos em campos italianos. Sem espaço, foi emprestado ao Benfica de Portugal, outro clube que não ajudou no desenvolvimento do atacante já que foram apenas dois jogos, sem gols e sem assistências.

No início de 2018 o Santos pediu a contratação por empréstimo do jogador junto ao clube italiano. Seria a segunda passagem do agora camisa 10 na Vila Belmiro. Na segunda chance que teve pelo peixe, Gabigol atuou em 52 partidas, marcando 27 gols e dando duas assistências. Foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro do ano, até então sua melhor temporada da carreira.

No fim do ano o jogador até demonstrou interesse em permanecer no clube, porém não se concretizou. Em janeiro de 2019, Flamengo e Inter de Milão entraram em um acordo, selando o empréstimo por uma temporada do jogador ao rubro-negro carioca. No primeiro semestre do ano ele foi campeão carioca com o clube, ainda sob o comando de Abel Braga.

Após a demissão do treinador, no início do Brasileirão, Jorge Jesus foi contratado. Assim como Bruno Henrique, Gabriel Barbosa passou a ter ótimos números com o português. Ele soma 16 jogos, com 16 gols e cinco assistências, sob o comando do Mister. Na temporada em geral, o centroavante rubro-negro soma 43 jogos, 32 gols e sete assistências. Números que o levaram de volta para a Seleção Brasileira principal – o que não acontecia desde 2016 – para disputar os amistosos de outubro.

De Arrascaeta – O craque

De Nuevo Berlin, cidade com 2,5 mil habitantes vem o último dos três jogadores de ataque do Flamengo, que estão encantando os torcedores cariocas. De família humilde, Arrascaeta jogava no campo do modesto Baby Futbol, às margens do Rio Uruguai. Seu futebol era diferente dos garotos de sua idade. O pai Alfredo incentivava o jovem, oferecendo 5 pesos para cada gol marcado. Logo teve que parar de cumprir a promessa, pois em uma temporada Giorgian marcou 49 gols.

Aos 15 anos deixou sua cidade natal rumo a capital do país, Montevidéu. Rejeitado inicialmente pelo Danúbio, Arrascaeta partiu para o Defensor, tornando-se um dos principais destaques do clube na categoria de base. Em 2013 ajudou a levar o time para a semifinal da Libertadores Sub-20, quando foram vice-campeões. No mesmo ano, já integrado aos profissionais, foi campeão do Torneio Clausura.

No ano seguinte foi um dos destaques do Defensor na Copa Libertadores, levando olheiros da Europa e de outros países da América do Sul atrás dele. No mesmo ano ele fez sua estreia na Seleção Uruguaia (onde já atuou em 25 jogos com quatro gols marcados). Esteve nas Copa América de 2015 e 2019, além da Copa do Mundo de 2018.

Assinou com o Cruzeiro por 4 milhões de euros em 2015. Pelo clube mineiro ele venceu duas Copas do Brasil, em 2017 e 2018. Na última ele atravessou o mundo (literalmente): na manhã de terça-feira jogou no Japão, e na noite de quarta já estava em Itaquera para enfrentar o Corinthians na final da Copa. Entrou no segundo tempo e ainda marcou o segundo gol da Raposa, consolidando o hexacampeonato do clube na competição. Em Minas Gerais, Arrascaeta atuou em 111 partidas, marcou 26 gols e deu 18 assistências.

O jogador era um dos líderes do elenco. Ídolo da torcida. Até que em janeiro de 2019 o Flamengo convenceu Giorgian a se juntar ao clube. Em uma negociação onde o rubro-negro carioca desembolsou aproximadamente 13 milhões de euros, o que viria a ser a maior transferência envolvendo dois clubes do país.

Chamado pelos torcedores cariocas de “Arraxca”, agora encanta com seus gols bonitos e belas partidas no Maracanã, templo histórico do futebol mundial. No ano ele já soma 39 jogos, 14 gols e 11 assistências. Assim como Bruno Henrique e Gabriel Barbosa, se formos analisar o desempenho do uruguaio sob o comando de Jorge Jesus torna a temporada ainda mais absurda, são 14 jogos, nove gols e sete assistências.

Fica claro com os números que os três jogadores evoluíram muito com a chegada do português Jorge Jesus. Atualmente o Flamengo está na primeira posição do Brasileirão e nas semifinais da Libertadores. Para ti torcedor rubro-negro, os três conduzirão o clube aos dois títulos?
Todos os números deste texto foram retirados do site Transfermarkt
Canais dos vídeos utilizados:
Comentários

Jornalista em formação no Centro Universitário da Serra Gaúcha, 21 anos. Amante do toque de bola do Guardiola e da intensidade dos times de Klopp. Messi e Cristiano Ronaldo não se comparam, se aprecia. Torcedor do Liverpool desde a derrota de 2007 para o Milan.