Sugestões para os 20 clubes da Premier League no mercado de janeiro

  • por Daniel dos Santos Leite
  • 3 Meses atrás

Com a janela de transferências aberta até 31 de janeiro, é natural que todos os clubes ingleses, desde os que precisam de reparos urgentes no elenco até os que não dependem de negócios imediatos, estejam observando oportunidades. A coluna desta semana avalia a situação dos 20 times da Premier League e sugere nomes do mercado interno – considerando apenas jogadores de clubes ingleses – que poderiam se tornar opções viáveis (ainda que não sejam necessariamente especulados neste momento).

Liverpool

Minamino, que enfrentou os Reds duas vezes pelo Red Bull Salzburg, já chegou para ampliar as opções de Klopp para o meio e o ataque. O Liverpool faz temporada quase perfeita e não precisa de reparos imediatos, mas poderia pensar num lateral ofensivo para cobrir possíveis ausências de Robertson sem descaracterizar o time. No entanto, é improvável que faça mais contratações agora.

Sugestão: Jamal Lewis (Norwich)

Manchester City

O período mais crítico teoricamente já passou, com o retorno iminente de Laporte à defesa. Mas é inegável que a lesão do excepcional zagueiro francês, após a saída de Kompany e sem alternativas confiáveis, foi determinante para deixar o time praticamente fora da disputa pelo título. Mais cedo ou mais tarde, o City precisa contratar outro zagueiro que se adapte às exigências de Guardiola.

Sugestão: Çağlar Söyüncü (Leicester)

Leicester

Mesmo com uma participação importante de Iheanacho nas últimas semanas, a dependência de Vardy é maior do que o ideal. Seria interessante contar com uma nova opção para o ataque que também pudesse atuar fora da área. Uma ideia – que talvez seja impopular na Inglaterra – é aproveitar a má fase de um jogador que poderia render muito mais com um técnico criativo como Brendan Rodgers.

Sugestão: Joelinton (Newcastle)

Chelsea

A necessidade mais óbvia, para tentar melhorar as perspectivas tanto na Premier League quanto na Champions, é a de um zagueiro para oferecer mais consistência defensiva a uma equipe que frequentemente sofre gols evitáveis. No mercado de verão passado, se pudesse contratar, o Chelsea certamente já teria buscado um defensor.

Sugestão: Jack O’Connell (Sheffield United)

Manchester United

É um elenco que precisa de muitos ajustes. A transferência de Bruno Fernandes, do Sporting, parece iminente (o que definitivamente afastaria Lingard dos titulares), mas seria importante contar com mais um meio-campista para trazer equilíbrio a um time que se tornou bastante dependente de McTominay, atualmente lesionado.

Sugestão: Rúben Neves (Wolves)

Sheffield United

É até difícil propor ajustes a uma equipe que joga com mecanismos tão definidos e bem executados. McGoldrick é um atacante importante não pelos gols (não marcou nenhum na liga), mas pela participação na construção das jogadas – é o “Firmino dos Blades”, se você nos permite essa ousadia. Mas ele parece cansado nas últimas semanas e poderia ganhar um concorrente com capacidade de voltar para armar e permitir a infiltração dos meias.

Sugestão: Ché Adams (Southampton)

Wolverhampton

Os Wolves liberaram Cutrone para a Fiorentina e, ainda vivos na Europa League, precisam pensar em um novo centroavante reserva para não sobrecarregar seu jogador mais importante, Raúl Jiménez.

Sugestão: Olivier Giroud (Chelsea)

Tottenham

Os Spurs já entraram em acordo com o Benfica pelo meio-campista Gedson Fernandes. Neste momento, precisam bastante de um centroavante, considerando a lesão que deixará Kane fora até abril e a predileção de Mourinho por contar com um especialista na função.

Sugestão: Danny Ings (Southampton)

Crystal Palace

Townsend está lesionado, e o estilo de jogo do Palace, muito baseado em contra-ataques e transições rápidas, demanda um ponta incisivo pela direita para tentar fazer, em alguma medida, o que Zaha produz do outro lado. Há uma opção interessante na segunda divisão, capaz, inclusive, de ganhar a posição de Townsend quando ele retornar.

Sugestão: Jarrod Bowen (Hull City)

Arsenal

Arteta já elevou o patamar do Arsenal, mas é verdade que o elenco, embora talentoso e com boas opções do meio para frente, ainda precisa ser qualificado (não por falta de investimento, mas por decisões erradas anteriores) na defesa, especialmente com zagueiros aptos a atuar em linha alta.

Sugestão: Issa Diop (West Ham)

Everton

Desde que Duncan Ferguson assumiu interinamente até a chegada de Carlo Ancelotti, Sigurdsson foi diversas vezes utilizado em uma dupla de meio-campistas num 4-4-2, o que está longe de ser o ideal pelas exigências físicas da posição. Mesmo assim, com André Gomes e Gbamin retornando em algum momento, a prioridade pode ser um zagueiro para aumentar a concorrência num setor problemático.

Sugestão: Jan Vertonghen (Tottenham)

Southampton

A absurda evolução dos Saints no campeonato mostra que muitas vezes a convicção no trabalho de um grande técnico como Ralph Hasenhüttl é mais importante do que contratações. Mas o time, que tem jogado de maneira bem similar ao RB Leipzig que o austríaco levou ao vice-campeonato há três temporadas na Alemanha, ainda pode melhorar com mais criatividade.

Sugestão: Emi Buendía (Norwich)

Newcastle

Somados, os quatro atacantes do Newcastle marcaram apenas um gol na liga – o de Joelinton contra o Tottenham. A permanência na elite ainda não está garantida, e vale buscar uma solução imediata e de curto prazo para somar gols e com condição de atuar isoladamente, como o sistema de Steve Bruce demanda. A indicação é muito curiosa porque ele já esteve lá e não agradava a Rafa Benítez, técnico anterior, mas já são 18 gols na segunda divisão e excelentes números pela seleção sérvia.

Sugestão: Aleksandar Mitrovic (Fulham)

Brighton

O time treinado pelo excelente Graham Potter precisa de mais poder de fogo. As chances são criadas, mas nem sempre há alguém capaz de convertê-las. Um parceiro de ataque para Maupay, ou mesmo alguém para substituí-lo, seria importante para assegurar a permanência das Gaivotas na elite sem sustos.

Sugestão: Michy Batshuayi (Chelsea)

Burnley

O time de Sean Dyche entrou em crise nas últimas semanas. Não tem nem a solidez defensiva que tanto o caracterizava, nem a capacidade de incomodar defesas adversárias meramente com o jogo físico. Um pouco mais de velocidade e habilidade pelos flancos, o que apenas McNeil realmente oferece no elenco, seria interessante, talvez com um empréstimo.

Sugestão: Reiss Nelson (Arsenal)

West Ham

Com Fredericks lesionado e Zabaleta muito longe das condições ideais para ser uma opção confiável na lateral direita, o novo técnico David Moyes não pode prescindir de uma solução imediata na posição para a luta contra o rebaixamento.

Sugestão: Max Aarons (Norwich)

Watford

A ressurreição do Watford com Nigel Pearson é impressionante. Meio-campo (Chalobah, Capoue e Doucouré) e ataque (Sarr, Deuloufeu e Deeney) funcionam muito bem, mas ainda é possível qualificar as laterais com opções melhores, mesmo que por empréstimo.

Sugestão: James Justin (Leicester)

Aston Villa

De repente, com algumas lesões e decepções, um elenco em que se investiu tanto voltou a parecer um time de segunda divisão. A maior urgência do Villa, após o acerto com o goleiro Pepe Reina para a reposição do machucado Tom Heaton, é um substituto de curto prazo para Wesley, também fora da temporada. Um velho conhecido, mesmo em má fase, seria uma opção válida pela necessidade.

Sugestão: Christian Benteke (Crystal Palace)

Bournemouth

Os Cherries vivem péssimo momento, punidos por lesões (inclusive de seu jogador mais talentoso, David Brooks, que nem jogou na temporada), contratações que não respondem e uma defesa em estado de calamidade que continua sendo escalada com Simon Francis, constantemente explorado pelos adversários. Um empréstimo de um defensor versátil pode ser uma alternativa.

Sugestão: Fikayo Tomori (Chelsea)

Norwich

Oito pontos abaixo do primeiro time fora da zona de rebaixamento, os Canários não têm numericamente muitas chances, mas o potencial do time, jovem e com jogadores talentosos, ainda abre espaço para sonhar. Depois de garantir o empréstimo de Ondrej Duda, meia ofensivo do Hertha Berlin, o Norwich poderia continuar fortalecendo o setor com um bom volante defensivo, outra notável carência do elenco (tanto que o veterano Alex Tettey virou titular).

Sugestão: Oriol Romeu (Southampton)

Comentários

Jornalista, acompanha a Premier League desde o auge da rivalidade entre Arsenal e Manchester United. Viu o número de grandes equipes aumentar e o campeonato se globalizar por meio da qualidade de um espetáculo que é ótimo até quando o jogo é ruim. Escreve aqui para registrar algumas das ideias que aparecem durante as rodadas.