Paul ‘Sayal’ Moukila: o “diamante” congolês!

  • por Rogério Bibiano
  • 3 Meses atrás

Bola de Ouro da África em 1974, um dos maiores jogadores do seu país e do continente

Quando falamos do Congo, muitos têm na mente, apenas a República Democrática do Congo, importante centro futebolístico do coração africano e que num passado era, o país, denominado Zaire; participante da Copa do Mundo de 1974, inclusive tendo enfrentado a Seleção Brasileira naquele Mundial. A República Democrática do Congo carrega consigo uma série de participações nas fases finais da Copa Africana das Nações é também do país, a famosa e potente força clubística do Continente, o TP Mazembe, além de ter muitos jogadores espalhados pela Europa.

Entretanto, antes da consolidação do Zaire, como uma força futebolística da África, brilhou no Continente, o futebol praticado no Congo, com uma geração muito talentosa, que obteve conquistas importantes dentro do Continente. E entre os nomes de destaque desta geração, temos Paul ‘Sayal’ Moukila, considerado um dos grandes atacantes do futebol africano e o maior do seu país. Nascido em 6 de junho de 1950, em Souanké, no departamento de Sangha, Congo.

Na base, ‘Sayal’ jogou inicialmente no AS Bantous e no Inter Club, tradicional clube ligado ao exército nacional. Em 1971 Moukila estreia na equipe principal do Club Athletic Renaissance Aiglon (CARA), um dos maiores clubes do Congo, popularmente conhecido como CARA Brazzaville. Campeão nacional em 1972/1973 e 1974. Em 1972, anotou 40 gols no Campeonato Congolês, recorde que ainda não foi superado. Em 1974, foi artilheiro, com 10 gols e um dos líderes do CARA Brazzaville na conquista da Liga dos Campeões da África, na única conquista de um clube congolês na história do principal interclubes do continente, quando venceram nas finais, o Ghazl El Mahalla, do Egito. Tal protagonismo, lhe deu destaque internacional e o prêmio de Bola de Ouro do futebol africano, concedido pela revista francesa France Football.

Em 1974, ‘Sayal’ Moukila ganhou a Bola de Ouro da France Football como jogador africano do ano (Foto: arquivo – France Football)

Moukila era oficial do Exército Popular Nacional (APN) do Congo e em 1975, foi enviado para um curso de treinamento militar na França. Tal oportunidade abriu as portas para sua carreira no futebol francês, assinando contrato com Racing Club de Strasbourg, onde jogou entre 1975 e 1976, quando retornou para o Congo, defendendo novamente o CARA Brazzaville. No começo dos anos 80 retornou ao futebol francês, defendendo entre 1981 e 1983, o Stade Français; entre 1983 e 1985, o CS Fontainebleau e de 1986 a 1988, o USM Malakoff, clube onde dividiu a função de jogador e treinador até encerrar sua carreira em 1988.

No Racing Strasbourg, a primeira experiência na Europa (Foto: reprodução)

A história na Seleção do Congo

Talentoso, forte fisicamente, veloz e com ótimo senso goleador, Moukila jogou 93 partidas pela Seleção do Congo entre 1971 e 1978. Em 1971 foi convocado pela primeira vez, durante as Eliminatórias para a fase final da Copa Africana das Nações de 1972. Fez um gol decisivo na vitória sobre a Costa do Marfim, naquelas eliminatórias, além dos marfinenses, os congoleses viriam a eliminar a Nigéria.

Muito jovem, Moukila já jogava na seleção congolesa (Foto: reprodução)

Na fase final, disputada em Camarões, Moukila fez o gol do empate (1×1) ante o Marrocos, na estreia da principal competição entre seleções da África. Veio a perder a condição de titular na seleção durante a CAN, voltando a titularidade na grande finalíssima ante Mali, vencida por 3×2 pelo Congo, com grande atuação de M’Bono e de François M’Pelé (um dos maiores jogadores da história da África e que já foi tema da nossa coluna, veja aqui).

Em 1974, no seu melhor ano individual, Paul Moukila já era um dos astros do selecionado, que acabou ficando com a quarta colocação na CAN disputada no Egito. Em 1976, estava na seleção que acabou parando na Nigéria, ainda nas eliminatórias. Seu último gol pela seleção congolesa foi no dia 17 de julho de 1977 na importante vitória por 3×2 ante o Gabão, em jogo crucial que colocou os congoleses na fase final da Copa Africana das Nações de 1978.

Os heróis de 1972, quando o Congo escreveu seu nome na galeria dos campeões (Foto: reprodução)

Pós futebol

Após parar de jogar profissionalmente, Paul ‘Sayal’ Moukila retornou para seu país, no final dos anos 80. O que deveria ser uma aposentadoria tranqüila, infelizmente acabou sendo algo conturbado com brigas com amigos, em função de negócios mal administrados em diversas instâncias.

Moukila retorna para a França, passando a viver em Meaux e provavelmente ao retornar de uma viagem ao Congo, contraiu malária, vindo a falecer precocemente no dia 24 de maio de 1992, deixando dois filhos: Fraisnel  e Noel Moukila, que chegou a jogar profissionalmente, com passagem pelo Stade Reims e também pela seleção congolesa em 2007 (dois jogos). O corpo de ‘Sayal’ está sepultado no Cemitério Central de Brazzaville com honras de chefe de estado, além disso há uma avenida na capital que leva seu nome.

Em Brazzaville, Moukila segue imortalizado (Foto: reprodução)

Paul ‘Sayal’ Moukila é um dos grandes nomes do futebol africano, deixou um legado para seu país, seja pelas conquistas individuais, seja pelo modo com que sempre honrou a camisa dos “Diabos Vermelhos” do Congo e está na história, abraçado e admirado pelo seu povo.

Comentários

Natural de Telêmaco Borba-PR e criado em meio à "boemia futebolística", com horas de papo sobre futebol, samba e cervejas na pauta. Influência do pai, que também adorava futebol, e da mãe, que sempre apoiou a iniciativa. Técnico em Eletrônica, formado desde 1999, e fanático por futebol, futsal, futebol de praia, society e todo esporte que tenha no futebol a sua essência.