Premier League 2019/20 – the return

  • por Rogério Bibiano
  • 2 Meses atrás

Principal liga do Mundo reinicia devendo coroar o título do Liverpool nas próximas rodadas

A bola volta a rolar em campos britânicos pela Premier League, após a paralisação da competição em função da pandemia da Covid-19, assim como em outras ligas europeias que estão sendo retomadas aos poucos (ainda sem a presença de torcedores).

Classificação da Premier League 2019/20 – 17/jun/2020

Com 25 pontos de vantagem e uma campanha (até a parada) irretocável, o Liverpool precisa de seis pontos em 27 que tem a disputar, para confirmar o título. Caso o Manchester City seja derrotado pelo Arsenal, nessa quarta-feira (17) em jogo atrasado da 28ª rodada e o Liverpool vença o Everton no domingo (21), os Reds conquistam o título já nesse final de semana.

Nas ruas de Liverpool, o torcedor já se considera campeão da temporada. Os Reds estão com a mão na taça (Foto: Reuters)

O “super” Liverpool de Jürgen Klopp

Irretocável! Assim podemos definir em uma palavra a temporada 2019/20 do Liverpool, que está há seis pontos (dependendo da combinação de resultados, três) de comemorar o título da Premier League.

A conquista da temporada 2019/20 da Premier League passa pela chegada do carismático treinador alemão Jürgen Klopp em 2015, implementando um sistema de jogo muito eficiente e com muita intensidade, que mesmo com a perca de jogadores importantes ao longo desse período, conseguiu sempre repor com qualidade, não deixando de lado a mentalidade competitiva.

Jürgen Klopp e Ian Ayre, chefe executivo do Liverpool, na assinatura de contrato em 2015 (Foto: Andrew Powell/Liverpool FC)

Adepto da ideia do jogo de pressão, o Liverpool de Klopp, possui um equilíbrio defensivo e duas características distintas que marcaram sua equipe ao longo da temporada, ora fazendo o jogo de pressão e ora “oferecendo” a bola para o adversário e explorando o veloz contra-ataque, geralmente puxado pela dupla Salah/Mané.

Mohamed Salah e Sadio Mane formam uma parceria em “alta velocidade” fundamental na parte tática (Foto: OliScarff/AFP)

Numa das características constantes nessa temporada, temos geralmente os homens de frente “encaixotando” os homens da saída de bola do meio-de-campo adversário, forçando a defesa ao erro e não permitindo uma transição com qualidade entre o campo defensivo e ofensivo.

A intensidade na variação da meia para a pressão total, no campo de ataque é uma das armas de Klopp (Foto: reprodução DpF)

Outro ponto, dentro desse modo tático é a organização defensiva, com a linha de meio-de-campo sempre muito bem postada e com forte marcação sobre os principais jogadores de criação do adversário, essa linha recebe a ajuda do atacantes, explorando a característica de velocidade deste. A ideia é sempre ter vantagem numérica ao fechar os espaços e sair em velocidade, quando possível.

A organização do meio-de-campo do Liverpool, sempre com muita “pegada” e saída em velocidade (Foto: reprodução DpF)

Contando com um desenho claro de jogo e, sobretudo com a ótima fase de seus principais jogadores, mesmo quando aconteceram perdas dos defensores devido lesões, o que poderia ser um problema, passou longe disso, pois os reservas que entraram no time, também estavam vivendo grande fase. Isso explica um pouco da campanha irretocável e regular de um time que em campo demonstrou uma regularidade dominante na Premier League.

Dominante, o Liverpool da temporada 2019/20 escreve mais um capítulo na sua brilhante história (Foto: John Powell/Liverpool FC)

Demais vagas para as competições europeias. O que ainda está em jogo!

Com o virtual título do Liverpool, as últimas rodadas da Premier League irão definir os outros três classificados para a UEFA Champions League e os dois representantes que participarão da UEFA Europa League.

Há uma situação que promete novos capítulos nos próximos dias, que diz respeito à situação do Manchester City que foi suspenso pela UEFA de competições promovidas pela entidade nas próximas duas temporadas, por violar o fair play financeiro. Na semana passada o City apresentou recurso junto ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), em defesa contra a punição imposta pela UEFA. No momento a equipe azul de Manchester está fora das competições europeias, até segunda ordem.

No dia 8 de junho, o Manchester City apresentou recurso junto ao TAS e aguarda decisão (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

Fora questões do “tapetão” em campo o Manchester City não conseguiu ter a regularidade de outras temporadas e a maior prova disso são as sete derrotas na competição (duas em casa). Com 16 gols Sergio ‘Kun’ Aguero segue sendo o principal atacante da equipe, que mais gols têm na competição (68).

Sergio ‘Kun’ Aguero segue sendo o principal artilheiro do Manchester City (Foto: Paul Ellis/AFP)

O belga Kevin De Bruyne faz mais uma temporada impecável, com 16 assistências e oito gols. Se do meio para frente, o Manchester City têm bons números, os 31 gols sofridos, que “contribuíram” para as sete derrotas demonstram, que nesta temporada, o sistema defensivo é nitidamente a grande dor de cabeça.

Das sete derrotas na competição, o City sofreu gols de fora da área, em quatro jogos. Com os problemas de lesão de jogadores do miolo de zaga, Fernandinho foi deslocado para o setor e é aí que reside parte dos problemas. A falta de intensidade de Ilkay Gündogan e Rodri na marcação é nítida; cabe observarmos como voltarão os comandados de Pep Guardiola pós-parada.

Rodri e Gündogan; dupla encontrou dificuldades ao longo da temporada (Foto: Matt McNulty/Manchester City)

Em terceiro lugar, com campanha de certa forma surpreendente, o Leicester matematicamente segue na briga pelo vice-campeonato. O campeão da temporada 2015/16 tem um excelente aproveitamento em casa, o que o coloca na briga pela Champions.

Com grande campanha, o Leicester briga pelo vice-campeonato (Foto: Mark Runnacles)

A equipe de Brendan Rodgers tem um forte sistema defensivo (terceira melhor defesa da Premier), com destaque para o turco Çaglar Söyüncü, rei dos passes (1862), o português Ricardo Pereira (jogador com mais desarmes na Liga), num time que gosta de jogar com a bola no chão. Com um meio-de-campo versátil e muito bem distribuído, com destaque para James Maddison, autêntico camisa 10. Assim, a bola chega com mais facilidade para Jamie Vardy, grande destaque e atual artilheiro da Premier League, com 19 gols.

James Maddison (10) e Ricardo Pereira (21), dois ótimos nomes do Leicester (Foto: Tim Goode/PA Images)

Na quarta colocação e na zona de classificação para a Champions aparece o Chelsea. Impedido de contratar devido punição imposta pela FIFA, os comandados de Frank Lampard fazem uma temporada de superação e acima das expectativas.

Sem contratações, Frank Lampard vem desenvolvendo um ótimo trabalho no Chelsea (Foto: Richard Sellers/EMPICS /PA Images)

Jovens como Callum Hudson-Odoi, Tammy Abraham, Fikayo Tomori e Mason Mount foram a campo e não decepcionaram, mostrando que o clube pode futuramente seguir dando mais espaços para valores das divisões de base.

Com a aposta em jovens valores, poucos acreditavam no sucesso do Chelsea de Lampard (Foto: Eric Verhoeven/Soccrates)

Quinto colocado e buscando avançar para se garantir em definitivo na Champions, o Manchester United começou a competição goleando o Chelsea (4-0). Porém, uma série de resultados abaixo das expectativas, mostrou outra realidade para a equipe do norueguês Ole Gunnar Solskjaer.

Com atuações irregulares, Solskjaer vê seu trabalho sendo contestado pela crônica especializada (Foto: Alex Dodd/CameraSport)

Antes da parada o United conseguiu uma sequência de três vitórias e um empate em quatro jogos. Resultados importantes que colocam a equipe brigando para ir à Champions e parte desse processo conta com a evolução e bons jogos do meia brasileiro Fred, que se firmou no time.

O brasileiro Fred enfim se firma no meio-de-campo do Manchester United (Foto: Matthew Peters/Manchester United)

Outro jogador que chegou a Old Trafford e tem tido atuações de um veterano é o português Bruno Fernandes, igualmente destaque na boa fase que o United vivia antes da parada. Expectativa também para os retornos de Marcus Rashford, (14 gols na Premier) e Paul Pogba, recuperados de lesão e peças importantíssimas na briga por uma vaga direta para disputar a Champions.

Paul Pogba (E) e Marcus Rashford (D) são a esperança de dias melhores para os Red Devil (Foto: John Peters/Manchester United)

Sexto colocado e na briga por uma vaga na Champions, ou na “pior” das hipóteses, manterem posição na zona de UEFA Europa League, vem o Wolverhampton Wanderers, outra grata surpresa da temporada e que conta com uma “legião” portuguesa que vinha em grande fase até a paralisação do campeonato.

E quem imaginaria que o Wolverhampton estaria na briga por uma competição europeia? (Foto: Nathan Stirk)

O time do treinador português Nuno Espírito Santo é muito compacto e com uma saída rápida de defesa/ataque. Contando com os portugueses Rúben Neves e João Moutinho, como principais jogadores do meio-de-campo e claro, a excelente fase de Adama Traoré, jogador de muita imposição física e velocidade além do artilheiro da equipe, o mexicano Raúl Jiménez, com 13 gols.

Adama Traoré e Raúl Jiménez, dois dos muitos destaques dos Lobos na temporada (Foto: Malcolm Couzens)

Recém promovido, poucos imaginariam que o Sheffield United estaria brigando por um lugar nas copas europeias. A cinco pontos da zona da Champions, os Blades, do treinador Chris Wilder, são uma das sensações, senão a principal da temporada.

O sucesso do Sheffield United na temporada têm nome e sobrenome: Chris Wilder (Foto: Daniel Chesterton/Offside)

O Sheffield United destaca-se pelo alto nível de competitividade, se adaptando jogo a jogo e com um forte sistema defensivo (segunda melhor defesa). Além disso, um time extremamente bem treinado, com variações ofensivas, saindo do 3-5-2 para algo como um 3-3-2-2, num futebol de muita ajuda coletiva.

Um time com muita força coletiva. Assim, o Sheffield United vem surpreendendo (Foto: Rich Linley/CameraSport)

Em um decepcionante oitavo lugar, o Tottenham Hotspur teve um péssimo começo de temporada, com derrotas homéricas que levaram a demissão do treinador Mauricio Pochettino. Para seu lugar veio o polêmico e vitorioso treinador português José Mourinho.

Questionado em seus últimos trabalhos, Mourinho busca nos Spurs recuperar o prestígio (Foto: Tottenham Hotspur FC)

Sob o comando de Mourinho, o rendimento melhorou, porém a ausência do capitão e artilheiro Harry Kane, complicou a vida dos Spurs (sem o atacante foram três vitórias em nove jogos e queda de posições na tabela). Recuperado de lesão no tendão, sem dúvidas é uma das esperanças dos Spurs, que também contam com o retorno do sul-coreano Heung-Min Son.

Dele Ali receberá a companhia de Son e Kane, recuperados de lesão, nessa reta final da Premier (Foto: Alex Dodd/CameraSport)

Num decepcionante nono lugar, mas com expectativas matemáticas, o Arsenal vinha numa sequência tendendo ao crescimento na tabela, com oito jogos sem perder (quatro vitórias, sendo três nos últimos jogos antes da parada). “Rei” dos empates (13), a equipe viu Mikel Arteta assumir em dezembro; ou seja, o treinador ainda busca, em meio ao campeonato, desenvolver um trabalho e dar uma marca de competitividade à equipe.

Arteta chegou em dezembro aos Gunners e faz um trabalho interessante a frente da equipe (Foto: Stuart MacFarlane/Arsenal FC)

A chegada de Arteta representou um maior equilíbrio defensivo e oportunidades aos jovens valores, Bukyo Saka, Eddie Nketiah e Gabriel Martinelli têm sido bem aproveitados e podem auxiliar o “matador” Pierre-Emerick Aubameyang a recolocar o Arsenal como equipe competitiva.

Referência, Aubameyang segue sendo o principal nome do Arsenal (Foto: John Walton/PA)

A briga na “zona da degola”

Com título definido e boa briga pelas competições européias, os duelos na parte de baixo da classificação também reservam fortes emoções. Do 15º colocado (Brighton & Hove Albion) até o primeiro time na zona do descenso (Bournemouth) a diferença atualmente é de apenas dois pontos.

O Brighton & Hove Albion na temporada passada sofreu com o ataque, pouco produtivo. Na atual temporada, o setor segue sem engrenar, em contrapartida a defesa tornou-se um dos grandes problemas da equipe dirigida por Graham Potter, que precisa vencer, para finalizar a sequência de nove jogos sem vitória de um time que vinha jogando melhor fora de casa.

Ainda fora da zona de rebaixamento, o Brighton & Hove Albion precisa voltar a vencer (Foto: Mike Hewitt)

O West Ham ocupa a 16ª posição atualmente. Fora do descenso apenas pelo saldo de gols é a quarta pior defesa da Premier, o que tem sido motivo de muita preocupação do torcedor com relação a equipe de David Moyes. Sob o comando de Moyes, que assumiu em dezembro, o clube obteve apenas duas vitórias. Cabe observarmos como o time voltará após a parada e se haverá uma mudança de atitude!

Com apenas duas vitórias, David Moyes têm um enorme desafio a sua frente (Foto: Bradley Collyer/PA Images)

No limiar entre o “céu” e o “inferno” temos o Watford, que em meados de dezembro dava a impressão de que não reagiria. Primeiro demitiram Javi Garcia e posteriormente Quique Sánchez Flores. A mudança de atitude em campo veio com o ex-treinador do Leicester, Nigel Pearson.

Nathaniel Chalobah (14) e Nigel Pearson comemoram, após vitória surpreendente sobre o Liverpool (Foto: Adam Davy/PA Images)

Do 5-3-2 dos treinadores espanhóis, para o 4-2-3-1, adotado por Pearson onde começaram a se destacar Abdoulaye Doucouré e Ismaila Sarr. Entretanto, a missão para fugir do rebaixamento não será fácil, mas nesse momento, há ao menos, a esperança.

Doucouré abraça Sarr (23). Com Nigel Pearson, o time recuperou a confiança e sonha escapar do descenso (Foto: Richard Heathcote)

Após uma temporada excelente, o Bournemouth vem penando na atual campanha lutando para não cair. Se na temporada passada, o time do treinador Eddie Howe tinha um forte sistema defensivo, na atual temporada as coisas têm sido opostas. Para complicar a situação, o ataque também não tem rendido e pior, até a parada, não dava esperanças de melhora.

Bola balançando a rede do Bournemouth, cena comum na atual temporada (Foto: Adam Davy/PA Images)

Penúltimo colocado, o Aston Villa de Dean Smith vive uma situação bem complicada. Com lesões e assim muitas mudanças, o Aston Villa não conseguiu emplacar coletivamente, sobretudo no sistema defensivo, o mais vazado de toda a Premier League, com 56 gols sofridos.

John Terry (auxiliar) e Dean Smith em momento de rara felicidade na atual temporada (Foto: Anthony Devlin/PA Images)

A esperança reside na tabela, com seis dos 10 jogos em casa e em tese, jogos mais acessíveis, na comparação com Brighton e Bournemouth, por exemplo. O sopre de esperança, reside em Jack Grealish, grande destaque da equipe e que lidera todos os principais quesitos de estatísticas do Aston Villa nesta temporada.

“Dono” do time, Jack Grealish é o principal destaque do Aston Villa (Foto: James Williamson/AMA)

Último colocado, o Norwich City começou bem a temporada, porém ao longo da mesma foi perdendo o fôlego. Com o pior ataque (25 gols, junto com o Newcastle United) e a segunda pior defesa (52 gols juntamente com o Southampton) é difícil imaginar uma reação.

Apesar de estar na lanterna, o time do treinador alemão Daniel Farke apresenta um jogo propositivo. Todd Cantwell, Teemu Pukki e Emiliano Buendía são exemplos de jogadores talentosos, porém, os Canários precisam melhorar muito para escaparem do rebaixamento.

O atacante finlandês Teemu Pukki é um dos destaques do Norwich (Foto: Robin Jones/AFC Bournemouth)

Olho neles!

Principal liga do Mundo, com jogadores de diversas nacionalidades, a Premier League sempre abre espaço para revelações e jogadores com potencial de escreverem uma grande história no futebol mundial. Selecionamos alguns bons nomes de destaque até aqui, para você ficar de olho!

Den Henderson (23 anos) – Sheffield United

Elemento-chave da boa campanha dos Blades, Den Henderson pertence ao Manchester United. Atuou em 27 jogos, sofrendo 22 gols, sendo um dos destaques da segunda melhor defesa da Premier League.

Den Henderson, destaque na meta do Sheffield United (Foto: Alex Pantling)

Çaglar Söyüncü (23 anos) – Leicester City

Forte no um contra um, tranqüilo com a bola nos pés (inclusive líder em número de passes corretos no time) e bom no jogo aéreo. Assim, o turco Çaglar Söyüncü é um dos grandes nomes do sólido sistema defensivo de Brendan Rodgers e já vem sendo sondado por grandes equipes.

Oriundo do Freiburg (GER), Çaglar Söyüncü é um dos melhores defensores da Premier League (Foto: Stephen White/CameraSport)

Daniel James (22 anos) – Manchester United

Contratado junto ao Swansea, o galês Daniel James atuou em 27 jogos. Com ótima mobilidade e muita qualidade no passe transformou-se num dos bons nomes dos Red Devil, fazendo valer até o momento, os 17 milhões de euros pagos pelo Manchester United.

O galês Daniel James vem se destacando a cada jogo com a camisa do Manchester United (Foto: Alex Dodd/CameraSport)

Todd Cantwell (22 anos) – Norwich City

Em sua primeira temporada na Premier League, Todd Cantwell certamente veio para ficar. Com excelente visão de jogo, ótimo controle de bola e habilidade, o jovem é um “oásis” no lanterna da competição. Figura freqüente da Seleção Inglesa Sub-21, certamente irá amadurecer ainda mais e não muito distante deverá ganhar oportunidades na equipe principal.

Outro bom destaque do Norwich é Todd Cantwell, com atuações de veterano na Premier (Foto: Robin Jones/AFC Bournemouth)

Gabriel Martinelli (18 anos) – Arsenal

Com 14 jogos e três gols, Gabriel Martinelli vai se firmando na Premier League. Jogador de extrema vitalidade, habilidade e bom arremate de média distância. Rumores que a Seleção da Itália já o convidou para jogar pela Azzurra. Uma coisa é certa, Martinelli seguindo com as boas atuações tem tudo para trilhar um caminho de sucesso na “terra da rainha”.

Talento brazuca, Martinelli (se bobearmos) poderá em breve estar a serviço da Squadra Azurra (Foto: Stuart MacFarlane/Arsenal FC)

Tammy Abraham (22 anos) – Chelsea

Sem poder negociar, o Chelsea precisou investir em jovens valores do próprio clube. Tammy Abraham está entre estes valores que vem aproveitando a oportunidade. São 13 gols em 25 jogos, que confirmam a boa temporada do veloz atacante, que ainda tende a evoluir. Figura constante na base inglesa possui quatro convocações para a seleção principal.

Tammy Abraham vem fazendo uma boa temporada com a camisa dos Blues (Foto: Darren Walsh/Chelsea FC)

Os jogaços!

Premier League é sinônimo de grandes jogos e grandes jogos combinam perfeitamente com a maior liga do Mundo. Repleta de craques, times forte e muito organizada, a Premier League sempre oferece aos amantes do futebol, partidas emocionantes. Listamos 10 desses jogos, na atual temporada.

Norwich City 3-2 Manchester City – 14/09/2019

Um legitimo duelo no melhor estilo “Davi contra Golias”. O recém promovido Norwich recebeu o bicampeão Manchester City. Em dia memorável para os Canários, Kenny McClean, Todd Cantwell e o clínico Teemu Pukki definiram uma vitória memorável.

Arsenal 3-2 Aston Villa – 22/09/2019

O Arsenal vinha mal; jogos inconstantes e o torcedor na bronca com o treinador Unai Emery. Ante o Aston Villa, os Gunners, com um jogador a menos, deixaram orgulhosos os torcedores virando na raça e no faro de gol de Aubameyang.

Liverpool 3-1 Manchester City – 11/10/2019

No jogo mais esperado da Premiere League, o Liverpool mostrou que não estava para brincadeira. Fabinho, Mohamed Salah e Sadio Mane comandaram a vitória, com os Reds abrindo oito pontos de vantagem sobre os Citzens.

Southampton 0-9 Leicester City – 25/10/2019

O Leicester igualou o recorde de maior vitória da história da Premier League. Em atuação soberba e com um jogador a mais desde os 12 minutos da primeira etapa, os comandados de Brendan Rodgers não tiveram piedade, escrevendo um capítulo na epopéia do futebol inglês.

Sheffield United 3-3 Manchester United – 24/11/2019

Jogo eletrizante! Após abrir dois gols de vantagem, os Blades sofreram a virada dos Red Devil. Quando tudo parecia definido, Oli Mc Burnie surgiu para empatar aos 94 minutos.

Liverpool 5-2 Everton – 04/12/2019

No Dérbi de Merseyside, os torcedores talvez tenham visto os primeiros 45 minutos mais intenso do clássico. Antes do intervalo o Liverpool abriu 4-2 de vantagem. Na segunda etapa Georginio Wijnaldum deu números finais ao jogo.

Tottenham Hotspurs 0-2 Chelsea – 22/12/2019

Jogo cercado de significados, pois colocaria frente a frente, nos bancos de reservas, o aprendiz Frank Lampard versus o mestre José Mourinho. Em dia perfeito para os Blues, com grande atuação de Willian, o Chelsea superou os Spurs na casa do adversário.

Wolverhampton Wanderers 3-2 Manchester City – 27/12/2019

Outro jogo espetacular, com os Lobos mostrando que a boa campanha não era meramente obra do acaso. Adama Traore, Raúl Jiménez e Matt Doherty comandaram a virada levarando o público presente no Molineux Stadium ao delírio.

West Ham 3-3 Brighton & Hove Albion – 01/02/2020

Pela 25ª rodada, outro jogo sensacional. Após abrir dois gols de vantagem, os Hammers pareciam tranqüilos no jogo. Eis que surgiu o espírito de luta das Gaivotas, que foram buscar um empate, outrora inimaginável com direito a um polêmico gol de Glenn Murray, confirmado via VAR.

Tottenham Hotspur 2-3 Wolverhampton Wanderers – 01/03/2020

Em outro jogo espetacular, os Lobos buscaram mais uma virada fantástica, fora de casa. Os Spurs estiveram por duas vezes no comando do placar. Nos acréscimos, depois de jogada individual do português Diogo Jota, o mexicano Raúl Jiménez complementou a linda jogada, com um corte no marcador, marcando um golaço.

Próximos Jogos

A Premiere League retorna com dois jogos adiados da 28ª rodada. No Villa Park, o Aston Villa, buscando somar pontos para sair da zona de rebaixamento, recebe o Sheffield United, que briga por uma vaga às copas européias.

Em Manchester, no City of Manchester Stadium (Etihad Stadium), o Manchester City recebe o Arsenal, buscando adiar o título do Liverpool. Caso os Citizens percam, o Liverpool poderá confirmar o título no próximo domingo (21), com uma simples vitória. Já o Arsenal precisa vencer para se aproximar do pelotão que briga por um lugar na próxima UEFA Europa League.

No primeiro turno, o Arsenal de Ozil foi goleado em casa pelo City de De Bruyne (Foto: David Price/Arsenal FC)

Na sexta-feira (19), outro bom jogo será entre Tottenham Hotspurs recebendo o Manchester United. Jogo interessante pelo fato das duas equipes estarem completas e por que ambas não podem tropeçar, na luta por um lugar nas competições europeias.

No turno, o United em Manchester levou a melhor sobre o Tottenham (Foto: Ash Donelon/Manchester United)

No domingo (21), o tradicionalíssimo Dérbi de Merseyside, com o Everton recebendo no Goodison Park, o Liverpool. Este jogo, conforme já comentado, pode significar a confirmação do do título.

Wijnaldum chuta para anotar o quinto gol na goleada dos Reds no primeiro turno (Foto: Twitter – Premier League)

Os reis das assistências

Para muitos o melhor jogador da temporada da Premier League, o belga Kevin De Bruyne certamente é o principal jogador no momento do Manchester City. Com 16 passes para gol é o líder absoluto do quesito. Com 12 assistências, vem Trent Alexander-Arnold, um dos mais regulares jogadores do futebol mundial.

Os reis dos gols

Briga sensacional na luta pela artilharia da Premiere League, que tem nesse momento a liderança de Jamie Vardy, com 19 gols, um dos pilares do Leicester vive grande fase. Na cola do inglês, o gabonês Pierre-Emerick Aubameyang marcou 17 gols. Com 16 gols, o argentino Sergio ‘Kun’ Aguero e o egípcio Mohamed Salah, numa disputa a parte que também reserva grandes momentos.

Comentários

Natural de Telêmaco Borba-PR e criado em meio à "boemia futebolística", com horas de papo sobre futebol, samba e cervejas na pauta. Influência do pai, que também adorava futebol, e da mãe, que sempre apoiou a iniciativa. Técnico em Eletrônica, formado desde 1999, e fanático por futebol, futsal, futebol de praia, society e todo esporte que tenha no futebol a sua essência.