Domènec Torrent, o novo técnico do Flamengo

  • por Victor Gandra Quintas
  • 4 Meses atrás

Desconhecido do grande público, Domènec Torrent é um treinador novato, mas mesmo assim não podemos dizer que não possui experiência. Por anos, Domènec foi auxiliar técnico de Pep Guardiola, treinador que muitos consideram o melhor na função da atualidade. Mas além disso, quem realmente é este treinador espanhol e por que apostar ele pode ser uma boa para o Flamengo?

Quem é Domènec Torrent

Domènec Torrent nasceu em uma pequena cidade próximo à Girona, região da Catalunha, na Espanha e tem 58 anos. Começou a carreira como jogador, mas somente atuando por equipes de pouca expressão da região catalã. Após curto período dentro dos gramados, Torrent trabalhou como treinador no Palafrugell e no Palamós, times de pouca expressão da Catalunha, até assumir o Girona, seu primeiro desafio a nível profissional.

No ano de 2007, Josep “Pep” Guardiola iniciava seu trabalho como treinador do time B do Barcelona e convidou Torrent para ser seu auxiliar. Foi então que a parceria de uma década começou.

Auxiliar de Guardiola

Nas duas temporadas seguintes, o Barcelona B subiu da quarta divisão espanhola para a segunda, já evidenciando o bom trabalho de Guardiola. Logo depois o treinador viria a assumir o time principal com Messi, Xavi, Iniesta e cia, com Torrent ao seu lado.

Enquanto auxiliar técnico no Barcelona, Torrent fez parte do grupo que encantaria o mundo. Foram diversos troféus, entre eles os da Liga dos Campeões (2008-09 e 2009-10) e Mundial de Clubes (2009, 2010), três títulos da La liga (2008-09; 2009-10; 2010-11) e diversas copas e supercopas.

Um dos principais méritos de Domènec é a sua capacidade de estudar o futebol. É o tipo de auxiliar que buscava conhecer os adversários e transmitir ao comandante principal as referências necessárias para a organização da equipe.

Este fator mostrou-se decisivo quando no Bayern de Munique, ao sugerir a mudança de função de Philipp Lahm, passando o jogador da lateral para a posição de volante. Pode parecer pouco, mas naquele momento o time bávaro vivia uma crise de lesões e dificuldades técnicas, e a alteração foi fundamental para o dinamismo da equipe.

Este movimento foi descrito por Guardiola para o autor de seu livro biográfico intitulado “Guardiola Confidencial”, e reproduzido no site da ESPN.

“As palavras de Dome foram chaves. Se ganharmos alguma coisa nesta temporada, será em razão daquele dia. Ouça bem o que digo: se ganharmos alguma coisa nesta temporada, será por causa de Lahm. Porque posicioná-lo como volante foi o que reordenou todas as peças”. Disse Guardiola sobre a situação”.

No Bayern, a dupla manteve a hegemonia do clube no campeonato nacional, vencendo a Bundesliga por três vezes ( 2013-14; 2014-15; 2015-16) e o Mundial de 2013, além de copas e supercopas.

Quando Guardiola foi para a Inglaterra treinar o Manchester City, Domènec manteve-se ao seu lado. Depois de dois anos no clube inglês, tendo vencido a Premier League de 2017-18, Torrent decidira, então, buscar seu espaço como treinador, aceitando uma proposta para trabalhar nos Estados Unidos.

Período no New York City

O tempo nos Estados Unidos deixou claro que Torrent seguiria os passos de Guardiola, no que se refere ao estilo de jogo. O famoso “tiki-taka”, com muita troca de passes e pressão aos adversários ainda no setor defensivo do mesmo.

Fundado em 2013, o New York City ainda buscava seu espaço no cenário do futebol nacional. Apesar de contar com nomes famosos durante sua curta carreira, como de Andrea Pirlo e Frank Lampard, o time sempre andou pelo meio da tabela da competição. Com Torrent, o time que contava com o espanhol Davi Villa no ataque, a equipe chegou aos play-offs em todas as temporadas, inclusive vencendo a conferência leste na última.

Guardiola disse sobre Domènec, reproduzido pelo Goal:

“Eu aprendi muito com ele, aprendemos juntos. Parte do nosso sucesso que tivemos em Munique e aqui em Manchester foi por causa dele. Fico feliz de saber que as pessoas pensam nele neste momento estranho, da pandemia do coronavírus. As decisões que precisam ser tomadas não são fáceis, vamos ver”.

Aposta do Flamengo

É fato que a diretoria do Flamengo acertou ao apostar em Jorge Jesus. Com o português, o time carioca venceu o Brasileirão e a Libertadores de 2019. O grupo conta com grandes talentos, jogadores prontos para manter o nível alto da equipe. Possui ainda uma estrutura muito bem alinhada e, mantendo os principais jogadores, a chance de manter o sucesso é muito grande.

Assim, apostar em um treinador “novato”, mas com a bagagem de Domènec Torrent é uma boa alternativa. O perfil ofensivo se assemelha com o de Jesus, o que é um ponto positivo. Mas a forma como cada um prepara suas equipes para buscar o ataque é um pouco diferente, apesar de nada radical, mas é necessário algum tempo para a adaptação. O GloboEsporte.com preparou uma boa matéria descrevendo a diferença entre os dois treinadores. Aliás, a adaptação ao futebol brasileiro (e ao país como um todo!) deverá ser o foco inicial do treinador. Contudo, Torrent poderá contar com o apoio do lateral Rafinha, com quem trabalhou no período de Bayern de Munique.

Por fim, Domènec precisará lidar com as grandes estrelas do time, saber administrar bem o ambiente, sobretudo o banco de reservas. Outro fator que pode influenciar na chegada do novo treinador são as possíveis saídas de atletas que foram importantes nas conquistas recentes, que são especulados em outros clubes (o próprio Benfica, que levou Jorge Jesus, demonstrou interesse em Bruno Henrique e Gérson).

De toda forma, cabe aguardar e ver o desenvolvimento desta nova parceria. A diretoria rubro-negra acerta mais uma vez em buscar um técnico estrangeiro, desenvolvendo uma visão mais técnica e tática do que estamos acostumados no futebol brasileiro.

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).