Mais uma rodada emocionante no Campeonato Francês, com Lille seguindo na ponta – resumo da 26ª rodada da Ligue 1

  • por Doentes por Futebol
  • 4 Meses atrás

Nó tático de Niko Kovac; PSG apático; Lille goleia e Lyon recupera segunda colocação – a 26ª rodada da Ligue 1 Uber Eats

Por Ligue 1

Após tropeçar e empatar na 25ª rodada, o Lille despachou a zebra Lorient por 4 a 1 e manteve por mais uma rodada a liderança da Ligue 1 Uber Eats ao fim da 26ª rodada. De quebra, o time do norte da França voltou a abrir três pontos para o segundo colocado, que agora é novamente o Olympique Lyon – que derrotou o Brest por 3 a 2 fora de casa – já que o Paris Saint-Germain foi derrotado pelo AS Monaco por 2 a 0.

 

 

A rodada ainda ficou marcada pela vitória do Lens sobre o Dijon por 2 a 1 após três empates seguidos, mais uma derrota do Rennes – desta vez para o Montpellier por 2 a 1 e a vitória do Nîmes por 2 a 0 sobre o Bordeaux, o que coloca fogo na luta contra a repescagem e o rebaixamento direto.

 

Após um 0 a 0 sem conseguir chutar uma bola ao gol sequer na última rodada, o Lille goleou o Lorient por 4 a 1 fora de casa e manteve a liderança da competição. De quebra, colocou fim a uma sequência de resultados em que o Lorient obteve nas últimas rodada onde, inclusive, chegou a derrotar o PSG.

Com uma atuação sólida, o Lille procurou o gol a todo instante e chegou a finalizar 12 vezes na primeira etapa. Apesar disso, seu primeiro gol foi contra; Andrew Gravillion, aos 20 minutos, jogou contra seu patrimônio ao tentar cortar o chute do atacante Jonathan David.

A vantagem durou três minutos apenas.

Após péssima saída de bola da defesa do Lille, o Lorient recuperou a bola e ela caiu no pé do lateral-esquerdo Jérôme Hergault. Em um tapa “nojento”, a bola fez uma curva incrível e entrou no canto esquerdo de Mike Maignan.

 

O Lille voltou a passar a frente do placar aos 38 minutos ainda da primeira etapa com um belo gol do zagueiro português José Fonte. Ele aproveitou o corte curto da zaga do Lorient após a bola ser alçada na área e chutou forte e com curva no canto direito.

Já no segundo tempo, em ritmo de treino o Lille chegou ao resultado final: 4 a 1. Os dois gols saíram de Jonathan Ikoné aos 14′ e o lateral Bradaric deu números finais aos 46′.

Com a 17ª vitória em 26 jogos, o Lille chega aos 58 pontos e abre três do Olympique de Lyon, que também venceu na rodada: 3 a 2 sobre o Brest fora de casa.

A vitória foi construída no primeiro tempo. Com gols de Paquetá, aos 9′, Aouar aos 29′ e Memphis Depay, de pênalti, aos 44′, o Lyon foi para o vestiário no intervalo com um 3 a 0 após três vacilos incríveis.

O gol de Paquetá saiu de um tremendo vacilo do goleirão Sébastien Cibois. Ao se enrolar com a bola, Paquetá “bateu a carteira” do goleiro e abriu o placar.

 

 

Já o segundo gol também saiu de outro erro individual. Thiago Mendes roubou a bola dos pés do adversário e deu o passe para Depay, que numa assistência linda de costas para o gol, deixou Aouar de cara para ampliar.

Já no terceiro gol, Cibois novamente foi protagonista ao derrubar Memphis na área e cometer pênalti. Na cobrança, Depay marcou.

Mas como tem sido recorrentemente, o Lyon novamente parou ao abrir a vantagem e, com isso, o Brest foi pra cima.

O que poderia ser tranquilo, acabou tendo traços de sofrimento vide que o Brest marcou aos 8′ da segunda etapa com Brendan Chardonnet e aos 29′ com Irwin Cardona.

Apesar de buscar formas de criar o empate, o resultado permaneceu 3 a 2 e o Lyon retorna para a segunda colocação com 55 pontos após o PSG ser derrotado por 2 a 0 pelo Monaco.

 

O jogo mais aguardado da rodada era entre PSG e Monaco. E mesmo atuando em Paris, o Monaco não quis saber e venceu por 2 a 0. De quebra, com seis derrotas sofridas nesta edição, esta tornou-se a temporada com mais derrotas do PSG.

A história dessa partida começou antes do apito inicial. Niko Kovac modificou sua equipe e surpreendeu Maurício Pochettino com um 3-5-2 onde seus alas – Aguilar e Caio Henrique – foram figuras determinantes formando a linha de cinco atrás e também aparecendo com relevância no ataque.

 

 

E foi assim, logo aos 6 minutos, que o Monaco abriu o placar. Aguilar recebeu cruzamento de Volland na área e, livre, escorou para o meio. Diop, também solto na área parisiense, só teve o trabalho de cabecear para o fundo do gol.

Mesmo com a desvantagem no placar, o PSG não apresentava reação e a equipe apresentava uma apatia que culminava em não incomodar o adversário.

Sem nada com isso, o Monaco elevou a marcação e encontrou o segundo gol. O volante Herrera deu mole e perdeu a bola para o zagueiro Maripán dentro da própria área aos seis minutos da segunda etapa. Com a bola, o zagueiro foi rápido e chutou no canto esquerdo de Keylor Navas, que nada pôde fazer.

Com a vitória, o Monaco chegou aos 52 pontos e agora está apenas dois pontos do PSG, terceiro colocado, com 54.

 

O Monaco tem 12 pontos de vantagem para o Lens, quinto colocado, com 40 pontos.

Essa diferença é maior do que os 11 pontos que separam o Lens do Nice, 16º colocado, que soma 29 pontos.

Depois de três empates seguidos, o Lens, enfim, venceu. Os 2 a 1 sobre o lanterna Dijon levou a equipe ao quinto lugar já que o Rennes, antigo dono do posto, novamente perdeu. Dessa vez, por 2 a 1 para o Montpellier, que por sua vez, venceu a terceira partida seguida, fato pouco costumeiro para os times dessa faixa de tabela.

https://www.ligue1.com/ranking

Já na parte de baixo da classificação, a série sem derrotas do Lorient foi interrompida com os 4-1 sofridos em casa diante do Lille. Quem se aproveitou e passou o bastão da zona de repescagem foi o Nantes. O empate em 1-1 com o Olympique de Marselha levou o time aos mesmos 23 pontos que o Lorient. Entretanto, o saldo de gols favorece o Nantes que não perdeu nas duas últimas partidas, período que não conta com a presença do técnico Raymond Domenech, demitido.

Quem se aproxima dos 23 pontos de Nantes de Lorient é o Nîmes. Com duas vitórias seguidas – a última sobre o Bordeaux por 2 a 0 – o Nîmes chegou aos 21 pontos e sonha com dias melhores enquanto o Dijon ficou para trás com 15 pontos e mais uma derrota: desta vez pro Lens por 2 a 1.

 

DESTAQUES

 

Memphis Depay foi o único integrante do Top 5 que balançou a rede na 26ª rodada e chegou aos 14 gols no campeonato depois de converter uma penalidade contra o Brest. Mbappé, Ben Yedder, Volland e Dia passaram em branco a 26ª rodada.

 

 

A rodada, inclusive, promoveu o encontro de três dos cinco principais artilheiros na partida entre PSG e Monaco.

Apesar de ninguém ter balançado a rede, o time de Wissam Ben Yedder e Kevin Volland levou a melhor sobre Kylian Mbappé.

O atacante do PSG foi alvo de atenção especial como destacado por Niko Kovac:

 

 

Em campo, Mbappé não finalizou uma vez sequer, completou apenas 65% dos passes que tentou e acertou somente três dos sete dribles que arriscou durante os 90 minutos em que esteve em campo.

 

 

No outro lado, Guillermo Maripán se destacou foi quem mais realizou cortes defensivos no jogo (5). Ele conseguiu três desarmes e, para coroar a sua performance, ainda fez o segundo gol dos visitantes.

Com mais um gol nessa temporada, Maripán chegou aos cinco e se tornou o defensor com mais gols marcados e superou Damien Da Silva, do Rennes, que marcou quatro até agora.

O resultado também foi significativo no contexto histórico.

O Monaco foi a primeira equipe a vencer o PSG por duas vezes na mesma temporada desde o ano de 2011/2012. No primeiro turno, o time do Principado levou a melhor com um 3 a 2 no estádio Louis II, sua casa.

Quem agradeceu foi o Lille, líder isolado da Ligue 1 Uber Eats.

A equipe treinada por Christophe Galtier venceu o Lorient por 4 a 1 em uma partida tranquila.

 

 

Ainda sem poder contar com Burak Yilmaz, artilheiro da equipe com nove gols, o Lille mostrou repertório para suprir a ausência do turco.

Das 16 finalizações, 10 foram realizadas de fora da área e a situação colocou o líder como o especialista no quesito: com oito gols marcados, o Lille é o time que mais fez gols com chutes de fora da área.

Contra o 5-4-1 do Lorient, a solução encontrada foi um belo chute de fora de José Fonte. Com isso, ele desempatou a partida e abriu caminho para mais uma vitória.

 

Com 37 anos e muita experiência, Fonte está na equipe desde a temporada 2018/2019. e é o quinto jogador que mais realizou cortes na Ligue 1 Uber Eats: foram 95 em 25 partidas disputadas.

 

 

O português e capitão é um dos símbolos da melhor defesa da Ligue 1, que sofreu apenas 16 gols em 26 jogos.

 

DETALHE TÉCNICO

 

Em um duelo de técnicos, Niko Kovac levou a melhor sobre Mauricio Pochettino no jogo em que o Monaco venceu o PSG por 2 a 0.

Focado em proteger a sua defesa, o croata deixou o seu 4-4-2 habitual e optou por um 3-5-2 que fez o Monaco conseguir frear o impetuoso ataque rival.

Kovac escalou Axel Disasi como zagueiro pelo lado direito no lugar de Sidibé e trouxe Ruben Aguilar para atuar como ala.

 

 

Consciente de que o PSG atuaria mais pelo lado esquerdo de seu ataque, Kovac reforçou a marcação no setor e formou uma linha de defesa com cinco jogadores.

 

 

Enquanto Disasi foi escalado para o confronto direto com Mbappé, Aguilar trabalhou para fechar as opções de passe do rival enquanto defendia e avançava rumo ao ataque quando o Monaco tinha posse de bola.

Na prática, Ruben Aguilar (camisa 26) realizou todas as funções no corredor direito e, de quebra, terminou a partida com uma assistência.

 

 

Concluído pelo meia Sofiane Diop (37) aos seis minutos do primeiro tempo, o primeiro gol foi resultado de uma das poucas jogadas em que os visitantes construíram com a característica clara do estilo de jogo implementado por Niko Kovac: um lateral-direito que vira terceiro zagueiro com Disasi (20) e com o lateral-esquerdo (Caio Henrique-12) com liberdade para avançar.

 

A pouca participação de Mauro Icardi na partida foi a comprovação do domínio tático do Monaco. O centroavante terminou o jogo com 15 toques na bola e participou menos até do que o goleiro Keylor Navas, que deu 28 toques.

 

 

A missão de Kovac em manter o gol do Monaco sem sofrer gols foi bem-sucedida. Os monegascos não terminavam um jogo sem sofrer gols desde o dia 9 de janeiro, quando venceram o Angers por 3 a 0 na 19ª rodada. A disciplina de seus jogadores foi fator determinante para o resultado.

A pressão na saída de bola foi uma arma importante para o zagueiro Gulllermo Maripán marcar o segundo gol do Monaco.

Essa característica, aliás, também foi vista no jogo do Lyon com Thiago Mendes e Lucas Paquetá.

Após roubar a bola do volante Paul Lasne, Thiago tocou para Memphis já dentro da grande área adversária girar e deixar o meia Houssem Aouar em perfeitas condições para marcar.

 

Já no jogo entre Nantes e Marseille, o goleiro Steve Mandanda protagonizou um lance bizarro.

Após sufocar a saída de bola do rival, Mandanda errou o tempo de bola depois de receber um passe do zagueiro Álvaro e o meia Ludovic Blas aproveitou a furada para marcar.

 

BRASILEIROS NA LIGUE 1

 

Thiago Mendes, Bruno Guimarães e Lucas Paquetá jogaram juntos no final de semana e foram os responsáveis por dar equilíbrio ao meio-campo do Lyon contra o Brest.

Paquetá participou de forma ativa do resultado ao marcar o primeiro gol do jogo, logo aos seis minutos.

 

Posicionado como um armador, o meia foi a válvula de escape na saída de bola do time de Rudi Garcia.

 

 

Já Thiago Mendes se destacou defensivamente.

O ex-jogador do São Paulo fez quatro desarmes durante os 90 minutos, o recorde do jogo no lado dos visitantes enquanto Bruno Guimarães ditou o ritmo de toda a equipe com 93% de acerto no passe e com quatro lançamentos com sucesso. (veja o GIF abaixo)

 

 

Já Luís Henrique, contratado recentemente junto ao Botafogo, vive um novo momento com a camisa do Marseille.

Após participar de seis partidas sempre saindo do banco de reservas, o jovem atacante fez o seu segundo jogo seguido como titular.

Em sua primeira partida entre os titulares disputada no meio da semana contra o Nice, Luis Henrique deu uma assistência. Já nesse fim de semana, ele ficou em campo durante 45 minutos contra o Nantes, partida que terminou empatada em 1 a 1.

 

 

ESTATÍSTICAS

 

 

 

 

 

 

Comentários