Lille e Monaco protagonizaram belo jogo no topo da tabela – resumo da 29ª rodada da Ligue 1

  • por Doentes por Futebol
  • 5 Meses atrás

Lille segura Monaco, problemas externos atrapalham PSG e Lyon perde grande oportunidade de chegar – a 29ª rodada da Ligue 1 Uber Eats

Por Ligue 1

Os minutos que antecederam o fim da 29ª rodada da Ligue 1 Uber Eats foram, no mínimo, apreensivos para o Lille e seus torcedores.

O empate sem gols diante do Monaco no Estádio Louis II deu a chance que o Paris Saint-Germain – que iria fazer o jogo de fechamento da rodada – precisava para retomar a liderança da competição.

Além de a partida ser no Parc de Princes, o adversário era perfeito: o Nantes, time que luta desesperadamente contra o rebaixamento.

Só que deu tudo certo pro Lille.

De virada, o Nantes venceu o PSG em Paris por 2 a 1 (gols de Randal Kolo e Moses Simon e Draxler) e o Lille segue na liderança em rodada que deve ter mencionada os problemas extra-campo que marcaram o domingo de Marquinhos e Di María.

 

 

A 29ª rodada já dava sinais de que seria boa pro Lille quando, na abertura dela, o Lyon não conseguiu sair do empate diante do Reims em jogo na sexta-feira.

De quebra, o Olympique de Marseille, agora sob comando de Jorge Sampaoli, recentemente contratado junto ao Atlético-MG (BRA), venceu a sua segunda partida seguida e assumiu a quinta colocação.

 

Monaco e Lille era o confronto mais aguardado da rodada.

As duas melhores equipes de 2021 mediram forças no Estádio Louis II e o empate sem gols após os 90 minutos tornou ainda mais distante o sonho monegasco de alcançar o título.

Do outro lado, o Lille, com o empate e os tropeços dos adversários diretos na luta pelo título, abriu um pontinho a mais de vantagem e agora tem três em relação ao PSG e Lyon (63 x 60 x 60).

Se a expectativa era por um jogo franco e ofensivo, já que o Monaco é muito caracterizado por sua alta média de gols, enquanto o Lille marca em cima e costuma sufocar seus adversários na saída de bola, na realidade a partida não empolgou.

Os primeiros minutos até deram a entender que seria mais movimentado, mas, aos poucos, o jogo foi perdendo dinamismo com as defesas bem fechadas e ataques com pouca capacidade de furar o sistema defensivo.

A única chance clara de gol aconteceu a favor do Monaco nos acréscimos quando Jovetic, pelo lado direito do ataque do ataque do Monaco, saiu cara-a-cara com Mike Maignan após primoroso lançamento do ala-direito Sidibé.

O chute cruzado faria a bola morrer no fundo da rede do Lille, mas Maignan, com as pernas, salvou o time.

 

 

Jogando em casa, uma vitória sobre o Nantes, 18º colocado até então, seria o suficiente para o PSG tomar a liderança do Lille.

Entretanto, os problemas extracampo que envolveram o argentino Di María e o brasileiro Marquinhos foram suficientes para abalar a estrutura da equipe.

 

 

Na primeira etapa, quando não ainda havia acontecido, tudo transcorria para que o PSG voltasse ao topo da classificação.

Com cerca de 80% de posse de bola na primeira etapa – em momentos de pico essa média chegou próximo dos 90% -, o PSG controlava a partida e criou chances de gols. Rafinha e Di María viram o goleiro Lafont realizar boas defesas em suas finalizações.

O gol não demorou ao sair: aos 42′, numa jogada que envolveu o argentino, Mbappé e Draxler, o chute esquerdo do alemão no canto esquerdo abriu o placar.

Só que tudo mudou no 2º tempo e não se tratou apenas de performance dentro de campo.

Os dramas pessoais de Marquinhos e Di María afetaram a equipe.

O meia argentino teve sua casa assaltada com seus familiares dentro do imóvel no momento do crime, assim como a casa dos pais do zagueiro brasileiro.

Em campo para a segunda etapa, o PSG parecia desbaratinado em campo após a substituição de Di María, que foi comunicado por Maurício Pocchetino do ocorrido.

Sem nenhuma relação com os problemas pessoais dos jogadores do PSG, o Nantes não quis saber e aproveitou.

Aos 14′ da 2ª etapa, em um lance inacreditável, Mbappé, na intermediária defensiva, tocou para trás. O passe foi perfeito para Randal Kolo. Ele cortou para direita e chutou no ângulo direito de Navas para empatar.

Se fora do campo diversos boatos sobre o acontecimento repercutiram, em campo, Lafont deu um chutão para o ataque, o meio do PSG vacilou e gerou um contra-ataque fatal do Nantes. Kolo, novamente ele, disparou pelo lado direito seguido por Kimpembe, que não conseguiu alcançar o atacante. Ao entrar na área, ele rolou para o meio e encontrou Moses Simon livre para marcar e virar a partida.

O resultado deixou o PSG com os mesmos 60 pontos e, agora, três pontos de diferença do líder Lille. O PSG está empatado em número de pontos com o Lyon mas leva vantagem no saldo de gols (44×31).

 

Se o PSG entrou em campo na rodada com a perspectiva da liderança, o Lyon, não. Ao abrir a 29ª rodada na sexta-feira diante do Reims, o time de Rudi Garcia tinha mais a obrigação de repassar o peso da responsabilidade para o Lille do que meramente jogar pressionado.

Entretanto o que se viu dentro de campo foi um Lyon disperso. O Reims, que desenvolve uma campanha mediana com oito vitórias e onze derrotas, pressionou e encurralou um Lyon sem brilho.

Assim o gol saiu aos 33′ da etapa inicial com Mathieu Cafaro em um cruzamento pela ponta direita. Cafaro antecipou-se ao lateral-direito Dubois, que ficou pregado no lance. Como uma flecha, o camisa 24 do Reims aproveitou o vacilo e estufou a rede de Lopes.

Para recuperar o atraso, no intervalo Rudi Garcia fez substituições na equipe e, aos poucos, o Lyon foi retomando seu espaço em campo. Entretanto, o gol não saía mesmo com maior presença ofensiva.

Ele foi sair no último lance em um abafa do Lyon: Memphis Depay recebeu pela esquerda fora da área e cruzou para o miolo da área. A bola encontrou Kadewere livre que cabeceou no canto esquerdo e empatou aos 47′.

 

Quem parece estar se acertando após profunda crise é o Olympique de Marseille.

Sob comando de Jorge Sampaoli, contratado junto ao Atlético-MG, o time venceu o Brest por 3 a 1, emendou sua segunda vitória seguida e chegou ao quinto lugar com 45 pontos, 11 atrás do Monaco.

Os gols da partida foram marcados por Arkadiusz Milik (45′ 1ºt), Florian Thauvin (43′ 2ºt) e Mickael Cuisance (47′ 2ºt).

Em uma partida complicada, a vitória saiu nos minutos finais com dois gols em quatro minutos. Durante a partida, o Brest chegou a ter maior posse de bola (60%x40%) e amplo número de passes trocados (603×392), mas o senso de garra e vontade de vencer da equipe do treinador argentino foi recompensada ao final.

 

Na partida inferior da tabela de classificação, o tradicional Saint-Étienne tratou de vencer o Angers por 1 a 0 e abriu cinco pontos para o Lorient.

A disputa na parte inferior anda acirrada.

Se recentemente o Lorient causou surpresa com bons resultados contra os times no topo da tabela, desta vez foi o Nantes derrotar o PSG e deixar mais do que aberta a briga para se livrar da zona da repescagem (18ª colocação).

E foi por pouco que o Nîmes, com 26 pontos, também não venceu na rodada. O time chegou a abrir o placar com Moussa Koné aos 18′ da 2ª etapa, mas viu o Montpellier chegar ao empate aos 34′ com Andy Delort.

 

 

Já o Dijon… esse já foi!

 

DESTAQUE

Os cinco principais artilheiros da Ligue 1 Uber Eats novamente não marcaram nesta rodada.

 

 

Por outro lado, a tabela de assistências ganhou um novo líder. Memphis Depay deu mais um passe para gol e superou Andy Delort e Jonathan Bamba para assumir o topo do ranking.

 

 

E foi com a ajuda do atacante holandês que o Lyon evitou a derrota nos instantes finais da partida contra o Reims.

Em desvantagem desde os 33’ da primeira etapa, quando, em desvantagem numérica por atendimento médico ao apoiador Houssem Aouar, que levou a pior numa dividida – o Lyon ficou atrás no placar e somente não perdeu graças ao gol de Tino Kadewere com assistência de Memphis.

 

Em desvantagem no placar no intervalo da partida, Rudi Garcia realizou três alterações em sua equipe para o segundo tempo. O lateral-esquerdo Maxwel Cornet, o volante Maxence Caqueret e o atacante Tino Kadewere em campo nos lugares de Mattia De Sciglio, Houssem Aouar e Rayan Cherki, respectivamente.

As mudanças surtiram efeito e o Lyon foi para cima. Os 77% de posse de bola e as 12 finalizações foram a evidência desse predomínio, mas um empecilho foi encontrado no caminho para a vitória: a atuação do goleiro Predrag Rajkovic.

Com cinco defesas importantes, ele foi responsável pelo resultado e, de quebra, deixou o treinador do Lyon impressionado.

 

 

E de tanto a água bater, a pedra furou não somente na partida entre Reims e Lyon, mas, também, em Olympique de Marseille e Brest.

Com dois gols no finalzinho (43’ e 47’), Jorge Sampaoli ressaltou a garra de sua equipe:

 

 

Em campo, a luta do Marseille foi representada pelo zagueiro Duje Caleta-Car. O croata foi quem mais disputou bolas pelo alto no lado marselhês (6) e, em uma dessas disputas, deu início à jogada que resultou no gol do centroavante Arkadiusz Milik.

Foi a segunda vitória de Sampaoli no comando do Marseille. Com isso, o treinador argentino se tornou o primeiro treinador a vencer seus dois primeiros jogos com a equipe marselhesa desde Elie Baup na temporada 2012/2013.

A vitória levou sua equipe ao 5º lugar e, assim, traz o Marseille para a briga por uma vaga nas competições continentais.

Esse, aliás, deve ser o topo que o Monaco vai obter na temporada.

 

iMAGEM: FEP / Ligue 1 – Maignan salvou o Lille em lance cara-a-cara com Jovetic, do Monaco.

 

O empate sem gols só aconteceu por causa do goleiro Mike Maignan.

Ele foi o grande personagem da partida.

Além de chegar a marca de 16 jogos sem sofrer gols, ele foi determinante para o resultado ao intervir no chute do atacante Stevan Jovetic em lance cara-a-cara já nos acréscimos de tempo assinalado pela árbitra.
A sua defesa foi eleita como uma das mais importantes da rodada:

 

Com Christophe Galtier suspenso por criticar a arbitragem após o jogo da 25ª rodada contra o Brest, coube ao auxiliar técnico Thierry Oleksiak comentar a atuação de Maignan:

 

 

Após o fim da partida, o empate sem gols contra o Monaco chegou a ser um motivo de preocupação para o Lille já que o PSG, segundo colocado na classificação, realizaria sua partida diante do Nantes em seguida.

A vitória do time da capital iria tirar a liderança do Lille.

Só que, no fim, deu tudo certo para o Lille já que o PSG acabou surpreendido pelo Nantes no fechamento da rodada em um 2 a 1 de virada.

O PSG controlou o jogo com 77% de posse e nove finalizações e o resultado parcial só não foi maior por conta do goleiro Alban Lafont, que fez diversas defesas importantes.

Alheio aos problemas extracampo já mencionado, o PSG sofreu com a queda de desempenho e concentração e só finalizou duas vezes na etapa final.

O nome da partida foi o atacante Randal Kolo Muani. Ele fez um gol e deu uma assistência:

 

 

A mobilidade do atacante foi fator que fez a zaga do PSG sofrer e ele ajudou sua equipe a bater duas marcas importantes.

Foi a primeira vez que o Nantes virou uma partida na temporada e o time ainda obteve um resultado que não acontecia há 19 anos: vencer no Parc des Princes desde 2002.

O resultado foi eleito como o momento da rodada:

 

DETALHE TÉCNICO

 

As defesas levaram a melhor sobre os ataques em Monaco 0 x 0 Lille.

Postada em um 3-5-2, a equipe de Niko Kovac exerceu uma forte pressão e conseguiu 24 desarmes durante o jogo. Destaque para os volantes Aurélien Tchouaméni e Youssouf Fofana com dez desarmes.

 

 

Do lado do Lille, seu sistema defensivo correspondeu. Celik, Fonte, Botman e Reinildo realizaram 16 cortes defensivos, interceptaram cinco bolas e travaram três finalizações.

Por fim, Mike Maignan, destaque da partida, realizou quatro defesas.

Se as defesas de Monaco e Lille foram os pontos fortes da partida mais esperada da rodada, a zaga do PSG decepcionou diante do Nantes.

Na jogada em que se originou o segundo gol do Nantes, o goleiro Lafont optou pelo chutão e encontrou o volante Abdoulaye Touré (19) sozinho no meio de campo.

Touré, por sua vez, aproveitou-se de seus 1,87m de altura para desviar a bola de cabeça.

O lance pegou a defesa do PSG desprevenida e criou as condições perfeitas para o atacante Kolo Muani (23) disparar no sentido do gol adversário.

O centroavante conduziu até a grande área e rolou para o meio onde encontrou Moses Simon (23) de cara com Keylor Navas.

O resultado todos já sabem…

 

 

Apesar da vitória, o Nantes teve uma postura extremamente defensiva e os números provam isso: a equipe realizou mais desarmes (21×14), interceptou mais bolas (12×11) e conseguiu mais cortes defensivos (21X5).

Já no jogo em que o Lyon não passou do empate em 1 a 1 contra o Reims, o trio de ataque composto por Karl Toko Ekambi, Memphis Depay e Tino Kadewere foi desfeito.

Juntos, os três marcaram 36 dos 57 gols do segundo melhor ataque do campeonato e mesmo com 10 gols já assinalados na temporada, Kadewere começou a partida no banco.

 

 

A decisão não se mostrou a mais acertada e o setor ofensivo do Lyon criou poucas ocasiões.

Rudi Garcia até tentou corrigir e promoveu a entrada de Tino Kadewere no segundo tempo.

Nascido em Zimbábue, o atacante disputou os 45 minutos finais e se tornou uma referência ofensiva dentro da área.

Com dois passes para finalização e dois chutes, Kadewere acabou marcando o gol salvador, que decretou o empate do Lyon nos acréscimos e que mantém o time apenas três pontos do líder Lille e empatado com o PSG com 60 pontos.

 

Quem merece menção na rodada é Jorge Sampaoli, treinador do Olympique de Marseille.

Em busca do melhor sistema tático, o treinador argentino recém-chegado realizou várias alterações: sua equipe começou num 5-3-2 e passou para um 5-4-1 na 2ª etapa com o meia Florian Thauvin se tornando o responsável por abrir o jogo para o lado direito.

 

 

Após o empate do Brestaos 26’ da 2ª etapa, Sampaoli promoveu a entrada do brasileiro Luis Henrique no lugar do zagueiro Álvaro e, com isso, seu esquema foi novamente modificado, desta vez para o 4-2-3-1.

Com um jogador de velocidade na ponta, o Marseille encontrou êxito já que a jogada que acabou no terceiro gol do Marseille Luis como chave no lance.

 

BRASILEIROS NA LIGUE 1

Thiago Mendes, Marcelo e Lucas Paquetá iniciaram a partida contra o Reims. Enquanto os dois primeiros jogaram os 90 minutos, Paquetá foi substituído aos 22’ da etapa final.

 

Imagem: Damien LG – OL – Vestiário do Lyon repleto de uniformes de jogadores brasileiros.

 

Paquetá começou a partida como um segundo volante e foi reposicionado como armador no segundo tempo. Enquanto esteve em campo, Paquetá deu um passe para finalização e perdeu uma grande oportunidade em lance defendido pelo goleiro adversário.

 

 

Já a partida entre Marseille e Brest foi um jogo de contraste para Jean Lucas e Luis Henrique, revelados por Flamengo e Botafogo, respectivamente.

Jean foi infeliz no segundo gol do adversário.

O volante tentou afastar o perigo com um chutão, mas furou e permitiu com que Luis Henrique recuperasse a bola e desse sequência ao lance que resultou o gol de desempate da partida.

 

Minutos depois, o próprio Luís realizou mais uma bela jogada que também terminou em gol. Ele aproveitou a reposição rápida do goleiro Steve Mandanda, avançou com o campo aberto e deu um drible desconcertante no marcador. Na sequência, o ponta serviu o meia Michaël Cuisance com um cruzamento de canhota – sua segunda assistência no jogo.

Luis Henrique, que chegou no início da temporada 2020-2021 vive uma boa fase e deu três passes para gol nos últimos dois jogos.

 

Imagem: FEP / Ligue 1 – Contratado junto ao Botafogo (BRA), Luis Henrique passou a ter mais chances no Marseille.

 

Na última partida da rodada, Rafinha e Marquinhos participaram da derrota do Paris Saint-Germain frente ao Nantes.

O meia teve 93% de acerto no passe, finalizou três vezes ao gol, acertou dois lançamentos e dois dribles.
Amarelado, Rafinha acabou substituído aos 11’ da etapa final.

 

 

ESTATÍSTICAS

 

 

Comentários