Mesmo com empate, Lille segue líder. Mônaco há 12 sem saber o que é derrota – resumo da 27ª rodada da Ligue 1

  • por Doentes por Futebol
  • 1 month atrás

Monaco chega ao 12º jogo sem perder e encosta de vez; Strasbourg parou Lille; PSG aproveita empate de Lyon e diminuiu diferença – a 27ª rodada da Ligue 1 Uber Eats

Por Ligue 1

Lille 1 x 1 Strasbourg. O tropeço inesperado fez com que o Lille não somente perdesse a oportunidade de aumentar sua diferença para o segundo colocado para quatro pontos, mas, também, viu sua vantagem ser reduzida para dois pontos.

Caso vencesse o 15º colocado, o Lille abriria quatro pontos para o segundo colocado já que o Lyon, segundo na classificação na rodada passada, ficou no empate com o Olympique de Marselha pelos mesmos 1 a 1.

 

 

Desta forma, Paris Saint-Germain e Monaco, que venceram Dijon (4×0) e Brest (2×0) respectivamente, se aproveitaram dos tropeços para reduzir a distância para a liderança e intensificaram a disputa também pelas vagas na próxima UEFA Champions League .

 

Por pouco o Lille não voltou a provar o sabor amargo de uma derrota, fato que não acontece desde a Rodada 18, disputada em 6 de janeiro. Na ocasião, o Lille, também atuando em casa, viu o Angers surpreender e vencer por 2 a 1.

Desta vez, o placar adverso persistiu até aos 41 minutos da segunda etapa e só não se concretizou por conta, principalmente, do zagueiro José Fonte, que empatou a partida após escanteio, e a brilhante defesa de Mike Maignan, já nos acréscimos, quando a equipe partiu para o ataque em busca do gol da vitória.

Sem conseguir perfurar a sólida arrumação defensiva do Strasbourg, o Lille chegou a alcançar média acima de 80% da posse da bola. Entretanto, sem objetividade, o time tomou um contra-ataque e viu Ludovic Ajorque, aos 36′ do 1º tempo, abrir o placar.

Foi uma tarde em que o Lille não teve tranquilidade tanto na hora de furar a defesa adversária quanto em se defender já que sua pressão ofensiva abriu espaços para que o Strasbourg aplicasse contra-ataques.

 

De olho na liderança, o PSG goleou o Dijon, lanterna da competição, por 4 a 0 com dois gols do artilheiro da competição Kylian Mbappé além de um de Moise Kean e outro de Danilo Pereira. Os dois gols de Mbappé, inclusive, fizeram o jovem atacante francês abrir vantagem de quatro gols para o segundo jogador que mais marcou na temporada: Memphis Depay, do Lyon, com 14 gols.

A partida, em si, não contou com alto número de finalizações. Ao todo foram 12 chutes com somente um chute do Dijon em direção ao gol e cinco do PSG.

Os destaques da partida ficaram por conta das escalações surpresa de Draxler e Rafinha. O meia alemão, inclusive, teve dois gols anulados por impedimento e chamou a atenção a fraca atuação por parte do Dijon.

No todo, o PSG teve uma postura séria e comprometida com o resultado e, com isso, tornou a partida fácil.

Com a vitória, chega aos 57 pontos e volta a ficar dois pontos atrás do Lille já que o Lyon somente empatou com o Olympique de Marselha por 1 a 1.

 

Como se trata de um clássico, um empate nunca pode ser considerado um tropeço mesmo apesar dos problemas que o time de Marselha vem encontrando nas últimas semanas.

Em campo, Lucas Paquetá foi um nome que participou de todos os lances capitais de uma partida nervosa e disputada cujos números demonstram essa igualdade: das 23 finalizações realizadas, equilíbrio: 12 para Marselha e 11 para o Lyon.

O Lyon saiu na frente do placar aos 21 minutos com Toko Ekambi. Em jogada iniciada pelo lado direito, Lucas Paquetá avançou e tocou para Aouar, que em um misto de toque de calcanhar e corta-luz, deixou a bola chegar a Ekambi. O atacante, livre dentro da grande área só teve o trabalho de consertar a postura corporal e dar um tapa cruzado no canto esquerdo de Mandanda.

O gol de empate saiu ainda no primeiro tempo: aos 44′, o chute frontal a meta de Lopes encontrou o braço de Lucas Paquetá no caminho. Pênalti e cartão amarelo para o brasileiro, que viria a ser expulso ainda por um segundo cartão amarelo.

Na cobrança, Arkadiuz Milik escolheu o canto esquerdo e deslocou Lopes.

Na segunda etapa, finalizações de risco dos dois lados, mas o gol não saiu. O destaque ficou por conta de Lucas Paquetá novamente. Em disputa de bola na intermediária ofensiva do Lyon, Payet foi mais rápido e recuperou a posse de bola. Atrasado, Paquetá pisou no tornozelo do meia do Marselha e recebeu o segundo cartão amarelo.

Sem a atuação vibrante que marcou o Lyon nessa temporada, o time somente empatou com o Marselha e chegou aos 56 pontos, três atrás do Lille e somente um na frente do Monaco que emplacou mais uma vitória e segue invicto em 2021. A última derrota aconteceu em dezembro de 2020, ou seja, dois meses e meio atrás.

 

Quem chegou de vez foi o Monaco e o topo da classificação nunca esteve tão possível. Não é somente pela queda no número de pontos, mas o padrão de jogo da equipe de Niko Kovac merece ser amplamente repercutida.

Com a disposição tática semelhante ao jogo em que derrotou o PSG, o Monaco se deparou com o ferrolho do Brest, armado em um 4-5-1 com duas linhas de marcação com poucos espaços e baixa.

Com isso, o Monaco teve para si a posse de bola. Entretanto, diferentemente do Lille, que tocou de um lado para outro, o Monaco procurou sem sucesso na maioria das vezes perfurar a defesa adversária.

Em uma rara ocasião em que o Monaco conseguiu uma escapulida com a bola sendo cruzada do lado esquerdo pro direito, a bola bateu no braço do lateral-esquerdo Perraud e o árbitro assinalou penalidade máxima. Na cobrança, Ben Yedder bateu no canto esquerdo, mas o goleirão Larsonneur foi buscar e manteve o empate…

 

Imagem: FEP / Ligue 1 – Ben Yedder perdeu pênalti quando a partida estava 0 a 0.

 

Já na segunda etapa, com uma disposição bem parecida, o Brest parecia mais focar na marcação do que ir em busca do gol da vitória.

A postura defensiva do adversário obrigou Niko Kovac a mexer ofensivamente e, por isso, o técnico alemão levou a campo o russo Golovin, o espanhol Fábregas e Stevan Jovetic. Em campo, o Monaco pressionava e até uma bola no travessão aconteceu após chute de Caio Henrique, lateral-esquerdo brasileiro que está presente na seleção da rodada da L’Équipe.

E mais uma vez o dedo do treinador trouxe os pontos para a equipe do principado.

Mais criativo. Golovin e Jovetic foram os protagonistas do gol sofrido. O russo recebeu pelo lado esquerdo e fez linda enfiada de bola pelo meio da defesa do Brest. Jovetic entrou pelo meio da zaga e, cara a cara com o goleiro, só teve o trabalho de dar um tapa no canto esquerdo e abrir o placar aos 31 minutos da segunda etapa.

Com o resultado favorável, o Monaco passou a manter a posse de bola e numa falta sofrida nesses lances no canto do campo saiu o segundo gol.

Em cobrança de falta pelo lado direito da área do Brest, Golovin surpreendeu e bateu por baixo da defesa que pulou no momento da batida na bola. Com isso, a bola chegou limpa para Kevin Volland marcar aos 45′ da etapa final.

 

Na quinta colocação, o Metz resolveu desembolar um pouco e sair do roteiro de ganha-perde que tem marcado os times entre a 5ª e 10ª posição. A vitória sobre o Bordeaux por 2 a 1 foi a segunda seguida e levou a equipe aos 41 pontos.

Ela está empatada com o Lens em números de pontos. O Lens, por sua vez, empatou com o Angers por 2 a 2.
Já o Rennes, que chegou a sonhar por grandes feitos nesse ano, perdeu a terceira partida seguida: 2×1 para o Nice em casa. O resultado levou o treinador Julien Stéphan a ser demitido mesmo após ter levado o clube ao seu melhor desempenho na história na temporada passada, quando o Rennes terminou na 3ª colocação e se classificou para a UEFA Champions League.

 

Imagem: Crédito: FEP / Ligue 1 – O Rennes demitiu Julien Stéphan, técnico que levou o time ao 3º lugar na temporada passada.

 

Já na parte inferior da classificação, o Nantes se afundou um pouco mais. O empate em 1 a 1 com o Nîmes fez com que o time alcançasse a vice-lanterna da competição com 24 pontos.

Em sua frente estão o Lorient, com 26 pontos, e o próprio Nîmes com 25 pontos. Já o Dijon caminha para ser rebaixado nas próximas rodadas já que o time só conseguiu apenas duas vitórias em 27 jogos disputados.

 

DESTAQUE

Kevin Volland, Karl Toko Ekambi e Kylian Mbappé marcaram na 27ª rodada, que foi especial principalmente para o último citado.

 

 

Com 98 gols marcados, faltam apenas dois para Kylian chegar ao mesmo número de Jimmy Briand, atacante de 35 anos que atualmente veste a camisa do Bordeaux.

Briand é o jogador em atividade com mais gols na Ligue 1.

 

 

Se há disputa pelo posto de mais artilheiro da competição, a briga pelo título está mais do que aberta nesta temporada.

E ela ganhou mais emoção durante o final de semana de jogos.

Se contar somente os jogos em 2021, o Monaco tem tido um desempenho extraordinário.

Já são 10 jogos sem perder e 28 pontos conquistados em 11 jogos. São nove vitórias e apenas um empate. A campanha faz do Monaco o melhor time do ano na Ligue 1 disparado.

 

 

Em campo na última rodada, o Monaco teve 63% de posse, mas teve dificuldades para superar a defesa rival personificada pelo goleiro Gautier Larsonneur.

O arqueiro realizou oito defesas durante os 90 minutos e até um pênalti ele pegou após cobrança de Ben Yedder.

Para contornar a falta de criatividade por conta do ferrolho defensivo, Niko Kovac, mais uma vez, provou conhecer seu elenco na palma de sua mão.

O croata promoveu a entrada do atacante Stevan Jovetic e do meia Aleksandr Golovin aos 14’ da segunda etapa.

Golovin terminou o jogo com duas assistências. Ele serviu Jovetic e Volland na concretização dos 2 a 0 finais.

Olivier Dall’Oglio ressaltou o impacto do banco monegasco durante o jogo.

 

 

Golovin chegou a quatro gols e seis assistências em apenas 11 jogos disputados no ano. Já Jovetic pode ser caracterizado como um reserva de luxo. O montenegrino marcou três gols na temporada e todos eles foram feitos após o mesmo entrar com o jogo em andamento.

Na mesma briga, o PSG avança na classificação mesmo sem contar com jogadores como Paredes, que cumpriu suspensão, ou Neymar, Di María, Verratti, Florenzi, Paredes e Icardi, todos afastados por lesão.

Com tantos desfalques, um time alternativo foi o suficiente para golear o Dijon.

 

 

Com a chance de jogar, alguns jogadores que não vinham tendo tantos minutos em campo puderam mostrar seu valor.

Zagueiro de origem, Abdou Diallo foi improvisado na lateral-esquerda e deu uma assistência.

 

Imagem: Crédito: FEP / Ligue 1 – Diallo atuou pelo lado esquerdo e deu uma assistência.

 

Outro que vem se destacando é Julian Draxler: O meia alemão, que começou apenas sete jogos como titular na temporada e que tem ganhado mais minutos em campo desde que Neymar se lesionou, deu uma assistência para servir Danilo Pereira marcar.

Danilo, por sinal, é mais um dos jogadores que possui poucos minutos em campo. Assim como Draxler, o português iniciou sete partidas como titular das 14 que disputou.

Sem sustos, Keylor Navas praticamente não foi exigido e realizou apenas uma defesa durante todo o jogo em que sua equipe sufocou o fraco Dijon com 23 desarmes e 61% de posse.

A motivação para que todo elenco do PSG aumente foi dada pelo Lille ao tropeçar diante do Strasbourg.

A equipe de Christophe Galtier não saiu do empate em 1 a 1 e o retrospecto do clube dentro do estádio Pierre-Mauroy é de duas vitórias e quatro empates nos seis últimos jogos.

Logicamente, o treinador não ficou satisfeito com o 1 a 1.

 

 

Um dos principais problemas foi a falta de criatividade. Bem posicionado, o Strasbourg resistiu atrás e teve Ludovic Ajorque decisivo. O atacante que é nascido na Ilha da Reunião – próximo a Madagascar – faz a sua melhor temporada até então: 11 gols e quatro assistências em 25 jogos.

 

Se Ajorque garantiu lá na frente, o treinador Thierry Laurey viu a sua dupla de zaga anular o ataque do Lille.

Stefan MItrovic e Alexander Djiku realizaram 15 cortes, 11 interceptações e três desarmes. Sem espaços ofensivamente, o quarteto ofensivo do Lille formado por Luiz Araújo, Ikoné, David e Bamba finalizou somente uma vez no gol.

Anulados, Galtier necessitou realizar substituições. Uma delas foi do volante Xeka e do meia Yusuf Yazici, as duas aos 15’ da etapa final. Os dois deram três passes que antecederam finalizações, além de três vezes chutes ao gol e cinco lançamentos bem sucedidos. Gol, no entanto, nada.

O gol do empate saiu meio que na base do desespero e com um jogador que já estava em campo: o zagueiro José Fonte foi um dos heróis ao empatar o jogo e o resultado pode ser considerado como uma vitória.

 

Outro responsável pelo empate foi o goleiro Mike Maignan. Ele apareceu para operar um milagre e defender o chute do atacante Habib Diallo já nos acréscimos.

 

Já no “apagar das luzes da rodada”, a partida envolvendo os dois Olympiques se destacou pelas polêmicas.

O resultado de 1 a 1 deixou o Lyon mais insatisfeito que o Marseille no final das contas, como dito por Juninho, diretor esportivo dos visitantes.

 

 

Após abrir o placar com o atacante Karl Toko Ekambi aos 21’, o Lyon se fechou e isso fez com que o time de Marselha aproveitasse para avançar sua equipe. Com isso, finalizou mais vezes no gol (4-3), driblou mais (5-1) e teve mais escanteios (5-0) até o fim do primeiro tempo.

Como consequência desse aperto, o Marselha chegou ao empate com Arkadiusz Milik. O pênalti cometido por Lucas Paquetá resultou no primeiro amarelo do meia.

 

Bastante contestado, o primeiro cartão amarelo acabou sendo determinante na expulsão de Lucas Paquetá na segunda etapa.

Com os ânimos enervados, o futebol das duas equipes sumiu. Em questão de 20 minutos de jogo, cinco cartões amarelos foram distribuídos e o Marseille não finalizou uma vez sequer ao gol.

Com um jogador a menos, o treinador do Lyon, Rudi Garcia, ajustou a sua equipe para terminar o 101º Olympico da história com um ponto enquanto o Marseille completou a sua quinta partida sem derrotas (duas vitórias, três empates).

 

DETALHE TÉCNICO

 

Kylian Mbappé mostrou a sua polivalência contra o Dijon. Ele iniciou a partida pela ponta esquerda e terminou como centroavante.

O atual artilheiro da Ligue 1 participou de duas situações importantes que saíram de sua área defensiva e que terminou na adversária.

No primeiro gol do jogo marcado por Moise Kean (18) aos seis minutos, o atacante (7) acionou o lateral-esquerdo Abdou Diallo (22) com um passe preciso executado no tempo e na hora exata. Com isso, ele conseguiu tirar dois adversários da jogada que resultou no gol.

 

 

Já no lance do terceiro gol, Mbappé desempenhou o papel de um centroavante clássico.

O camisa 7 saiu da área para tabelar e durante os muitos toques que antecederam ao gol, Mbappé foi até ao meio-de-campo para poder ajudar na construção ofensiva da jogada.

De forma centralizada, ele tabelou com Rafinha (12) enquanto a bola saía da esquerda e ia até ao lado direito do gramado.

Após tabelar, ele avançou para área junto com o avanço ofensivo da jogada e, assim, na sequência, ele completou a bela assistência de Rafinha e colocou a bola no fundo da rede.

 

 

Não foi somente Mbappé quem se destacou na rodada. Escalados como pontas no 4-4-2 do Strasbourg diante do líder Lille, Jean-Ricner Bellegarde e Dimitri Liénard se sacrificaram em seus setores.

Os dois jogadores de lado chegaram a formar uma linha de seis junto com os quatro defensores para impedir com que o Lille explorasse a linha de fundo.

 

 

O comprometimento dos dois foi importante para Strasbourg, que conquistou um ponto contra o Lille num jogo em que dois gols foram marcados dentro da mesma situação de jogo: o arremesso lateral.

Já no clássico, a pressão do ataque do Marseille não foi capaz de apertar a saída de bola do Lyon. O volante Thiago Mendes (23) foi encontrado fora da zona de pressão e recebeu a bola livre no meio-campo após uma sequência de passes laterais.

Vertical, o brasileiro encontrou Memphis Depay entre as linhas (10). O holandês acionou Lucas Paquetá (12) e viu o meia brasileiro servir o atacante Karl Toko Ekambi (7) na medida.

 

 

BRASILEIROS NA LIGUE 1

Contratado no início da temporada pelo Rennes junto a Inter de Milão, Dalbert voltou a ter tempo de jogo contra o Nice. O lateral-esquerdo não entrava em campo desde o dia 24 de janeiro.

 

Imagem: Crédito: FEP / Ligue 1 – Pouco conhecido no Brasil. Dalbert é lateral-esquerdo do Rennes nessa temporada.

 

Já no sábado, Rafinha fez um bom jogo com o PSG.

O armador paulistano completou 93% dos 75 passes que tentou e serviu Kylian Mbappé no segundo gol do 4 a 0 do Paris sobre o Dijon.

 

 

Já Caio Henrique mostrou mais uma vez todo o seu valor frente ao Brest no corredor esquerdo. Dos 23 cruzamentos feitos pelo Monaco no jogo, Caio executou 11 e ainda quase abriu o placar depois que acertou o travessão em sua única finalização no jogo.

 

 

Pelo outro lado, Jean Lucas trabalhou defensivamente para fechar o lado esquerdo da defesa visitante. O volante deu dois passes que antecederam uma finalização durante os 90 minutos.

 

 

Luiz Araújo não fez um bom jogo com a camisa do Lille.

O ponta teve uma finalização bloqueada, acertou apenas um dos quatro dribles que tentou e, com 61% de acerto no passe, foi substituído aos 15 do segundo tempo contra o Strasbourg.

 

Imagem: FEP / Ligue 1 – Luiz Araújo não conseguiu furar o forte bloqueio defensivo do Strasbourg.

 

ESTATÍSTICAS

 

 

Comentários