Lille e PSG fazem duelo emocionante na busca da liderança do Campeonato Francês

  • por Doentes por Futebol
  • 2 Meses atrás

Lyon vence Monaco, segue vivo pela Champions e tira adversário da luta pelo título; Lille e PSG vencem e agradecem – a 35ª rodada da Ligue 1 Uber Eats

Por Ligue 1

A 35ª rodada definiu: o título da Ligue 1 Uber Eats 2020-2021 vai ficar com o Lille ou com o Paris Saint-Germain.

 

 

As vitórias de Lille e PSG somada a derrota do AS Monaco para o Lyon praticamente elimina o time do Principado da disputa pela taça desta edição.

Diante deste cenário, duas disputas estão abertas: a do título e a da última vaga para a Liga dos Campeões da UEFA, onde o terceiro colocado da Ligue 1 2020-2021 se classificará para a fase inicial da competição europeia.

Restam três rodadas e tudo caminha para que essas definições aconteçam somente nos últimos jogos desta edição.

 

Imagem: Ligue 1 / FEP – Lille venceu o Nice por 2 a 0 e deu mais um passo rumo ao título da temporada.

 

Mais uma rodada na liderança. Essa é a rotina do Lille!

E ela veio com traços turcos nessa rodada.

Ao derrotar o Nice por 2 a 0, com gols de Yilmaz e Çelik, ambos jogadores turcos, o Lille não somente deu mais um passo em direção ao título, mas, desta vez, aproveitou para espantar de vez as dúvidas que todos tinham por conta de sua performance jogando em casa. Seu retrospecto recente antes da partida contra o Nice era de apenas uma vitória nos últimos cinco jogos no Estádio Pierre-Mauroy.

Em campo, chamou atenção o número de finalizações do Nice durante os 90 minutos e acréscimos: 0.

0 chutes ao gol e 0 finalizações.

Com isso, restou ao Lille dominar através de sua característica de adiantar a marcação e pressionar o adversário em sua saída de bola. A missão acabou sendo facilitada graças a um inoperante Nice.

Assim, aos 12′, em uma trama pelo lado esquerdo do ataque, Yilmaz, fora da área, recebeu passe próximo a linha da grande área e arriscou. O chute, forte e rasteiro, porém defensável, entrou no canto esquerdo do goleiro argentino Walter Benitez, que aceitou.

O que era tranquilo, tornou-se ainda mais para o Lille.

Sem passar do meio-campo, o Nice teve no início do segundo tempo a expulsão do lateral-direito congolês, naturalizado suíço, Jordan Lotomba. Após falta forte em cima de Bamba, a segunda no jogo, o jogador recebeu seu segundo cartão amarelo e deixou o campo logo aos três minutos da etapa final.

Oito minutos depois, o também lateral-direito, Çelik ampliou a vantagem com um belo chute de primeira de fora da área.

Em nova trama pelo lado esquerdo, a jogada iniciada por Yilmaz teve cruzamento de Reinildo. A bola, após corte mal feito pela zaga do Nice, se ofereceu para Çelik, de primeira, arriscar. O desfecho foi um golaço e números finais no placar: 2 a 0.

Com o resultado, o Lille vai aos 76 pontos e encara o Lens (fora), Saint-Étienne (casa) e Angers (fora) nas últimas três rodadas da competição.

 

Se pelo Lille os turcos decidiram, esse papel foi desempenho pelos brasileiros do Paris Saint-Germain.

Neymar fez um gol e deu a assistência para Marquinhos marcar o segundo do PSG na vitória por 2 a 1 sobre o Lens, próximo adversário do Lille, rival direto na luta pelo título.

Com um time misto por causa das partidas pela Liga dos Campeões da UEFA, o PSG foi a campo em um 4-2-3-1, diferentemente do 4-3-3 que vinha sendo utilizado e teve em seu camisa 10, Neymar, o principal nome para manter o time na luta pelo título.

O primeiro gol saiu através depois de um perde-ganha na intermediária defensiva do Lens. Após perder e recuperar a bola, Draxler deu passe para Neymar, livre entre os dois zagueiros adversários e na saída do goleiro, tocou para o fundo do gol aos 33′ do primeiro tempo.

Já na segunda etapa, o Lens sair pro jogo e criou chances.

Tanto é que, ao se analisar os números finais da partida, o Lens finalizou mais do que o PSG: 15 x 14.

Mas o que vale é bola na rede e o PSG chegou ao segundo gol aos 14′ da etapa final.

Neymar, em escanteio pelo lado direito do ataque do PSG, alçou na área e o brasileiro Marquinhos subiu livre no meio da área do Lens para ampliar: 2 a 0 PSG.

Só que a tranquilidade não durou muito tempo.

Logo na saída de bola, o Lens avançou pela direita e empatou. O lance, entretanto, contou com uma grande pitada de sorte de Arnaud Kalimuendo.

Ao tentar um voleio no cruzamento, ele furou e o que seria um lance bisonho tornou-se uma assistência para Ganago descontar: 2 a 1.

Sem facilidade, o PSG se viu a todo o momento com risco de sofrer o empate vide que o Lens ia ao ataque com frequência.

Apesar da pressão, a bola não entrou e o PSG, com a vitória, chegou aos 75 pontos e segue vivíssimo na luta pelo título. Nas três rodadas finais, o time terá uma pedreira contra o Rennes (fora), o Reims (casa) e fecha o campeonato contra o Brest (fora).

Fechamento da rodada, o jogo entre Monaco e Lyon era o mais aguardado e podemos dizer que, em termos de emoção, não deixou a desejar.

Jogando em casa, o Monaco foi derrotado por 3 a 2 e, além de ver o título como uma hipótese remotíssima já que ficou cinco pontos atrás do Lille em nove restantes a serem disputados – o time comandado por Niko Kovac se vê agora numa briga ferrenha diante do próprio Lyon pela última vaga para a próxima edição da Liga dos Campeões da UEFA.

Em campo, o Monaco começou prejudicado pelas baixas sofridas para a partida. Com um surto de COVID-19 no elenco, o Monaco perdeu peças fundamentais para seu estilo de jogo: seus jogadores ofensivos que atuam pelo lado de campo: Diop, Golovin, Diatta, Jovetic e Gelson Martins.

Apesar de uma escalação que não privilegiava as transições rápidas, o Monaco conseguiu abrir o placar aos 25′ do 1º tempo com Kevin Volland em uma jogada extremamente veloz de Caio Henrique e Kevin Volland.

A triangulação pelo lado esquerdo aconteceu quando Caio Henrique deu passe ainda no meio-campo para Ben Yedder que, por sua vez, num passe de muita visão, deixou Kevin Volland com campo aberto para chegar ao gol de Lopes. Volland ganhou na corrida de Denayer e na saída do goleiro, tocou para o fundo da rede e abriu o placar.

 

Imagem: Ligue 1 / FEP – Kevin Volland marcou um mas perdeu duas chances no primeiro tempo contra o Lyon.

 

Mesmo desfalcado, o Monaco ainda poderia ter saído da primeira etapa com uma vantagem ainda maior, mas as chances perdidas por Volland fizeram com que o placar estivesse 1-0 apenas para o Monaco.

Uma derrota nessa partida implicaria no fim das ambições do Lyon para a temporada. Talvez essa razão tenha motivado a equipe a apresentar uma melhor performance.

Aos 11′, Memphis fez um golaço.

Sozinho na ponta direita, ele driblou três e chutou com força, de canhota, na entrada da área cruzado. A bola estufou a rede monegasca: 1 a 1.

A virada do Lyon parecia questão de tempo vide o domínio da equipe somada a passividade do Monaco, mas Caqueret, meia do Lyon, acabou expulso aos 25′, fato que poderia ter mudado a história da partida a favor do time da casa.

#SQN

Sem perder a cabeça, o Lyon, mesmo com um a menos, manteve o controle e, aos 32′, o zagueiro brasileiro Marcelo aproveitou falta cobrada com excelência por Memphis e, aproveitando de sua altura, de cabeça, virou a partida: 2 a 1 Lyon.

Sem velocidade, mas com garra e um homem a mais em campo, o Monaco foi ao ataque e passou a chuveirar a bola na área adversária.

Em uma dessas bolas alçadas na área, Lopes saiu mal e acertou o rosto de Pellegri ao invés de acertar a bola. O VAR chamou e o árbitro assinalou pênalti.

Na cobrança, Ben Yedder, numa espécie de cavadinha, bateu no meio e empatou: 2 a 2.

No lance seguinte, o Monaco até teve a chance clara de virar novamente a partida, mas Lopes fez duas grandes defesas e salvou o Lyon de um fim de temporada melancólico.

E no finalzinho, aos 44′ da segunda etapa, a vitória veio através dos pés de Cherki.

No lance, Bruno Guimarães, de frente para o gol, fez linda enfiada de bola e encontrou De Sciglio aberto no lado direito. Ele foi a linha de fundo, cruzou rasteiro para o meia Rayan Cherki, no meio da área. O meia aproveitou-se da marcação frouxa do Monaco, para dar a vitória para o Lyon.

Com ânimos acirrados, a partida ainda contou com uma briga generalizada e que ocasionou algumas expulsões: Pellegri e Geubbels foram expulsos pelo lado monegasco enquanto De Sciglio e Marcelo acabaram recebendo cartão vermelho pelo lado do Lyon.

Com a vitória, o Lyon chega aos 70 pontos e está um ponto atrás do Monaco na luta pela última vaga da Liga dos Campeões da UEFA. O Lyon, empolgado pela excelente – e vital! – vitória, enfrentará os sufocados Lorient (casa) e Nîmes (fora), que lutam contra o rebaixamento, além do Nice (casa).

Já o Monaco tem uma tabela um pouco mais complicada já que encara o Reims (fora), Rennes (casa) e Lens (fora).

Na parte inferior da tabela, uma boa rodada para quem luta contra o rebaixamento. Com exceção do já rebaixado Dijon, nenhum postulante ao rebaixamento deixou de somar pontos.

 

 

Na zona do rebaixamento atualmente, o Nîmes empatou por 2 a 2 com o Reims. A equipe vencia até os 35′ da segunda etapa, mas Alexis Flips tirou dois pontos cruciais.

Já o Nantes, quem diria, goleou o Brest por 4 a 1 fora de casa após abrir 4 a 0.

O Lorient também não deu sopa para o azar e tratou de fazer a tarefa de casa e venceu o Angers por 2 a 0.

Quem também não dormiu no ponto foi o Bordeaux. A sequência de seis derrotas teve fim diante do Rennes: 1 a 0, gol salvador de Sékou Mara aos 11′ do 1º tempo. Destaque para a expulsão de Nzonzi aos 8′ do primeiro tempo.

Com esses resultados que aparece no pelotão debaixo é o Strasbourg que ficou no empate em 1 a 1 com o Olympique de Marseille, time de Jorge Sampaoli.

A briga contra o rebaixamento ainda tem uma partida interessante na próxima rodada: Nantes x Bordeaux.

DESTAQUE

Poupado, Kylian Mbappé não participou da 35ª rodada.

Com isso, Memphis, Wissam Ben Yedder e Kevin Volland aproveitaram para marcarem e reduzirem a vantagem de Mbappé.

 

 

Antes de a bola rolar, a partida contra o Monaco era decisiva para o Lyon.

Em caso de vitória, voltaria a briga pela Liga dos Campeões.

Em caso de derrota, um melancólico fim de temporada.

E, em tempos de decisão, ninguém melhor do que seu principal jogador para liderar a equipe.

E foi isso que Memphis fez: um gol e uma assistência.

 

 

Com liberdade para circular em todo o ataque, o holandês chamou a responsabilidade para si.

Memphis ainda deu cinco passes decisivos e acertou três dribles, incluindo o que terminou com a linda jogada do primeiro gol do Lyon.

Enquanto Memphis chamou a responsabilidade de lá, Ben Yedder não sucumbiu da sua responsabilidade.

Além de marcar seu 100º gol na Ligue 1, Ben Yedder também deu uma incrível assistência para Kevin Volland marcar o primeiro gol do Monaco na partida.

O lance foi de extrema categoria e visão de jogo.

Entretanto, o feito de Ben Yedder acabou ofuscado por Rayan Cherki.

Com 17, Cherki saiu do banco para marcar o gol da vitória. De quebra, foi o seu primeiro no campeonato e acabou eleito como “O Momento da Rodada”:

Um ponto atrás do Monaco e vivo na briga pela Liga dos Campeões da UEFA, Rudi Garcia falou sobre o resultado:

 

 

Já em PSG e Lens, Neymar assumiu a responsabilidade e comandou seu time.

Além de abrir o placar do jogo e servir Marquinhos no segundo gol, Neymar teve intensa movimentação por diversas faixas do gramado como aponta seu mapa de calor.

 

 

Com a obrigação de vencer para seguir no topo, a equipe de Christophe Galtier correspondeu.

Os turcos Burak Yilmaz e Zeki Çelik marcaram os gols da vitória sobre o Nice e vivem ótima fase: sete dos últimos oito gols que o Lille marcou na Ligue 1 tiveram a participação dos dois.

O atacante marcou quatro e deu uma assistência, enquanto o lateral-direito fez dois gols.

Com a liderança garantida, Galtier mostrou satisfação:

 

 

DETALHE TÉCNICO

 

Para sanar a lacuna deixada por Kylian Mbappé, Mauricio Pochettino escalou Pablo Sarabia, Neymar, Julian Draxler e Mauro Icardi no setor ofensivo.

Com Neymar como armador, Draxler e Sarabia atuaram como pontas, enquanto calhou a Icardi ser a referência no ataque.

Com marcação alta e obrigação de pressionar a saída de bola, Draxler “bateu a carteira de” Facundo Medina e serviu Neymar no lance do primeiro gol do time da capital.

Apesar da vantagem no placar, o PSG voltou a apresentar problemas defensivos.

Após superar a pressão ofensiva adversária, o Lens encontrou espaços pelo lado esquerdo da defesa adversária e conseguiu chegar até a linha de fundo com Jonathan Clauss.

O ala-direito foi uma das válvulas de escape do Lens com seis passes que antecederam uma finalização.

Se o PSG teve dificuldades para defender, o Lille mostrou força ao explorar essa parte do campo contra o Nice.

Os laterais Zeki Çelik e Reinildo aproveitaram o posicionamento dos pontas Jonathan Bamba e Luiz Araújo para avançar como alas.

 

 

Enquanto os dois davam a opção do passe através de suas subidas ao ataque, Bamba e Luiz, os pontas, puxaram para dentro.

 

Para completar a análise tática do líder, Burak Yilmaz e Jonathan David saíram da área para ajudar na transição ao ataque.

 

 

A movimentação ofensiva do Lille foi representada com o segundo gol.

Ao mesmo tempo que Bamba avançou, Yilmaz se movimentou e foi acionado no meio de campo. Com a bola, o atacante turco conduziu e esperou a ultrapassagem de Reinildo.

O lateral-esquerdo, por sua vez, avançou e recebeu o passe de Yilmaz na linha de fundo. Seu cruzamento, entretanto, foi cortado.

Bem posicionado na entrada da área para o rebote, o lateral-direito Zeki Çelik estava pronto para o remate que aconteceu.

E, por fim, Monaco 2 x 3 Lyon.

As equipes foram em campo ambas montadas no 3-5-2 e, em campo, apresentaram bastante equilíbrio.
Além dos 53% de posse de bola do Lyon contra 47% do Monaco, as duas equipes repetiram uma jogada que mostrou-se efetiva: as triangulações.

A primeira foi executada pelo Monaco:

Após a bola chegar em Kevin Volland (31), a triangulação aconteceu. Volland acionou Caio Henrique (12) na lateral e o brasileiro encontrou Ben Yedder (9).

De primeira, o camisa 9 deu linda assistência para Volland nas costas da defesa.

 

Monaco: triangulação na faixa central

Lyon: triangulação na ponta direita

 

A estratégia também pôde ser notada no terceiro gol do Lyon. O gol da vitória!

Bruno Guimarães (39) recebeu bola de Cherki (18) e, com talento e visão de jogo, viu a passagem de Mattia De Sciglio (22) com velocidade pelo lado direito do campo.

Ele acionou o italiano em profundidade que, por sua vez, foi até a linha de fundo e tocou para Cherki, livre na grande área, marcar.

 

BRASILEIROS NA LIGUE 1

Neymar decidiu a favor do PSG.

Com um gol e uma assistência, o camisa 10 do PSG foi o cara do jogo com 104 toques na bola, sete passes decisivos e sete faltas sofridas.

Ele foi quem realizou mais dribles. Ao total foram cinco fintas certas e ainda acertou um chute na trave.

 

 

Marquinhos também foi importante na história da partida ao marcar o segundo gol do PSG.

Outro zagueiro brasileiro que marcou e ajudou sua equipe a vencer foi Marcelo, do Lyon.

Revelado pelo Santos, Marcelo aproveitou a falta cobrada por Memphis em sua cabeça e virou a partida diante do Monaco.

Ao fim da partida, Marcelo recebeu cartão vermelho por participar da briga generalizada entre os jogadores.

 

Lucas Paquetá, Thiago Mendes e Bruno Guimarães também estiveram em campo pelo Lyon.

Enquanto Paquetá deu três passes que antecederam finalizações, chutou três vezes contra o gol adversário e deixou o campo aos 30’ do segundo tempo, Thiago Mendes teve como função dar suporte ao sistema defensivo, visto que sua obrigação foi ficar posicionado em frente aos zagueiros.

Thiago deixou o gramado aos 43’ da etapa final para ceder lugar a Bruno Guimarães.

Talentoso, Bruno aproveitou seus poucos minutos em campo e desequilibrou ao arquitetar a jogada que originou o gol da vitória do Lyon e que manteve seu time vivo e com objetivos na temporada.

Pelo Monaco, Caio Henrique ficou em campo até os 36’ do segundo tempo.

Ele iniciou a triangulação que culminou com o gol de Volland, mas esteve discreto em relação às suas partidas anteriores.

Já no empate entre Marseille 1 x 1 Strasbourg, Luis Henrique se destacou.

Ele serviu Darío Benedetto no gol de empate marcado aos 41’ do segundo tempo.

Já são cinco assistências em 16 jogos.

 

Por fim, Luiz Araújo foi titular no Lille de Galtier.

Revelado pelo São Paulo, Luiz completou 91% dos passes que tentou e acertou cinco lançamentos até os 30’ do segundo tempo, quando foi substituído por Jonathan Ikoné.

 

ESTATÍSTICAS

 

 

 

 

 

Comentários